Psicodermatoses, problemas emocionais desencadeados na pele - casule

Psicodermatoses, problemas emocionais desencadeados na pele

Atualizado em 06/01/2018
Por Redatora Casule

Psicodermatoses, problemas emocionais desencadeados na pele

Atualizado em 06/01/2018
Por Redatora Casule
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Psicodermatoses, problemas emocionais desencadeados na pele

A psicodermatose é uma doença de pele causada por um componente psicológico, onde o individuo agride a si mesmo involuntariamente, sem perceber que está causando danos a própria pele. O sinal que mais caracteriza a doença é a irritação cutânea autoinfligida, mas o paciente também pode ter o costume de arrancar os cabelos e pelos do corpo.

Fatores isolados não desencadeiam a psicodermatose, e sim uma compilação de vários distúrbios como a ansiedade, o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), a depressão e o estresse pós-traumático. Se o indivíduo tiver predisposição genética, qualquer momento de estresse, como a demissão no trabalho ou a separação dos pais, por exemplo, pode desencadear reações como acne, vitiligo ou psoríase.

Psoríase – pode ser uma reação da psicodermatose

Embora não existam estatísticas mais precisas, os dermatologistas estimam que 3% da população mundial, ou seja, mais de 200 milhões de pessoas, é portadora de psicodermatoses. No Brasil, dados da Sociedade Brasileira de Dermatologia indicam que a cada três pacientes que apresentam um problema de pele, um deles possui problemas emocionais, como depressão, ansiedade e estresse, que explicam o distúrbio.

Na maioria das vezes, o médico começa a desconfiar de que se trata de psicodermatose quando a doença foge do controle do tratamento convencional. Nestes casos, cremes e pomadas já não surtem mais efeito. Além disso, não é todo paciente que tem consciência desta relação de causa e efeito. Muitos, inclusive, não querem admitir que o problema é de cunho emocional.

Tipos de psicodermatoses

Os distúrbios psicofisiológicos são as alterações não relacionadas diretamente com a mente, mas cuja intensidade é fortemente influenciada por fatores psicológicos, principalmente tensão e ansiedade. Integram esse grupo a rosácea (caracterizada pela vermelhidão na face acompanhada de lesões), o vitiligo (manchas brancas provocadas pela ausência de pigmento da pele) e a psoríase (placas de cor avermelhada, descamativas e de evolução crônica, geradoras de coceira).

Psicodermatoses, problemas emocionais desencadeados na pele - casule

Também se enquadram no grupo a dermatite seborreica (mais conhecida por seborréia ou caspa, infecção crônica que se manifesta em locais do corpo nos quais existe maior produção de óleo ou a presença de um fungo), a dermatite atópica (manifestação alérgica, geralmente nas dobras dos cotovelos e joelhos), a alopécia areata (queda excessiva de cabelos ou pelos) e a urticária (coceira que causa caroços).

terapia-online-casule-banner

Os distúrbios psiquiátricos secundários são estados psicológicos motivados pela mudança estética produzida pela dermatose. É o que acontece principalmente no vitiligo e em todas as doenças que implicam desfiguração visível.

Já os distúrbios psiquiátricos primários são estados psicológicos que resultam em manifestações cutâneas autoinfligidas. Integram o grupo: a dermatite artefata (coceira da pele que provoca ferimento e induz o paciente a achar que as feridas são sintomas de doença), a ilusão de parasitose (o paciente tem a crença de que insetos percorrem o seu corpo e com isso arranca a pele com a intenção de pegá-los), a tricotilomania (compulsão em arrancar os cabelos ou pelos) e a acne escoriada (compulsão por espremer espinhas e cravos, causando feridas).

Sendo assim, os problemas psicológicos relacionados com a pele podem influir sobre o rumo da dermatose, originar uma dermatose ou surgir devido à presença de uma dermatose.

As consequências dos sintomas psicocutâneos, porém, vão além da superfície da pele, afetando a vida social da pessoa. Como são visíveis e todos podem vê-los, causam reações imediatas no ambiente e no cotidiano do paciente, podendo, inclusive, ser confundidas com falta de higiene, sujeira e com algo contagioso.

Prevenção e tratamento

Os remédios por via oral ou para uso tópico (loções, cremes e pomadas) são uma medida paliativa para combater as psicodermatoses. Em um primeiro momento, dão alívio imediato e ajudam o paciente a sair do círculo vicioso no qual o isolamento causa tristeza, que gera estresse, que debilita o sistema imunológico e torna o doente ainda mais suscetível às crises. Em longo prazo, porém, as doenças de pele requerem tratamentos mais prolongados e que não se restringem somente a consultas a dermatologistas e ao uso de fármacos, mas incluem também a mudança de hábitos e comportamentos.

O ideal é que o tratamento seja multidisciplinar, ou seja, dermatologista e psicólogo, afinal, é o psicólogo que vai ensinar ao paciente como enfrentar a real causa daquele problema, entrando em contato com seus próprios recursos e utilizando-se de técnicas efetivas que melhor se adaptam a ele e ao tipo de distúrbio presente.

Fontes:
http://www.ibacbrasil.com/noticias/enfermagem/psicodermatose-problemas-emocionais-desencadeados-na-pele
http://www.minhavida.com.br/bem-estar/materias/2090-entenda-o-que-e-a-psicodermatose
https://www.revistaplaneta.com.br/estresse-a-flor-da-pele/

Guia com as 15 Técnicas para reduzir a ansiedade
Casule Play

Psicodermatoses, problemas emocionais desencadeados na pele

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre Psicodermatoses, problemas emocionais desencadeados na pele, você pode  agendar o seu horário clicando aqui. Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Redatora Casule, aqui no Blog.
Sou focada em achar o melhor conteúdo que já foi publicado na rede e trazer informações que são relevantes e agregam valor para você.

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários sua opinião sobre: Psicodermatoses, problemas emocionais desencadeados na pele.

0 comentários

Como tratar a Fobia Social
Como tratar a Fobia Social

Como tratar a Fobia Social

A ansiedade ou fobia social é quando a pessoa no contato social, no contato com o outro tem o seu objeto fóbico de medo, de ansiedade. Assim, qualquer circunstância que ela precise se expor a uma situação social desde as mais simples, como por exemplo, cumprimentar alguém, fazer ou receber um elogio, ela já sente uma ansiedade extrema e com sintomas físicos.
Fome fisiológica versus Fome emocional
Fome fisiológica x Fome emocional

Fome fisiológica x Fome emocional

Não é incomum se deparar com situações e períodos estressantes na vida da maioria das pessoas e uma das primeiras consequências é sair da dieta. Por essa razão a fome fisiológica (homeostática) muitas vezes pode ser confundida com a fome emocional (hedônica). E como diferenciá-las?

O tripé da Autoestima?

Autoestima é um dos assuntos mais falados no momento. E, apesar de aparecer sempre muito atrelado à autoimagem (forma como o indivíduo se enxerga), ela é muito mais que isso.
Leia mais
O tripé da Autoestima

Dicas para lidar com a insônia

Você sabia que os nossos comportamentos e atitudes durante o dia estão totalmente ligados com o nosso sono? Por isso, nesse vídeo, abordei quais são os tipos de insônia, e sugeri algumas mudanças para que você pode adaptar a sua rotina, e como consequência, melhorar a qualidade do seu sono.
Leia mais
Dicas-para-lidar-com-a-Insônia

Objetivos da Orientação Profissional

A Orientação Profissional é um processo de avaliação que auxilia qualquer pessoa, independente da idade, a escolher uma faculdade ou um curso profissionalizante, e até mesmo mudar de carreira.
Leia mais
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This