Como-as-crianças-vivenciam-a-Separação-dos-Pais-blog-casule

Como as crianças vivenciam a Separação dos Pais?

Atualizado em 18/11/2019
Por Renata Giovannini

Como as crianças vivenciam a Separação dos Pais?

Atualizado em 18/11/2019
Por Renata Giovannini
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Como as crianças vivenciam a Separação dos Pais?

A decisão pelo divórcio não é algo fácil para um casal, e se torna ainda mais difícil quando este casal possui filhos.

Em algumas situações, temos a ilusão de achar que as crianças não ¨percebem¨ ou não entendem o que está acontecendo. Porém, as brigas e discussões dos pais, mesmo que disfarçadas ou escondidas, são percebidas pelas crianças e geram sentimentos de dúvidas e incertezas. A criança não possui conhecimento sobre o que está exatamente acontecendo, mas consegue perceber que há algo de errado no convívio familiar.

Quando os pais se separam, a preocupação mais comum da criança é ¨o que vai acontecer comigo?¨ Hoje em dia, a Separação é um assunto comum e as crianças tem mais contato com outras famílias onde houveram separações. Mas, ainda assim, este é um assunto que gera dúvida e culpa na criança.

Quando os pais não participam a criança da decisão tomada, permitem que ela tenha pensamentos futuros negativas cheios de imaginações irreais. Uma forma de amenizar o sofrimento causado é participar a criança de forma honesta sobre o que realmente está acontecendo, evitando assim que ela dê asas a imaginação de um futuro ruim.

É importante permitir que a criança expresse suas emoções. A criança pode ficar confusa, imaginando quais aspectos de sua vida sofrerá alterações e muitas vezes ela também pode imaginar-se como culpada. Por isso pode ser importante os pais ficarem atentos e esclarecer de forma clara todas as dúvidas que possam surgir.

Quando o contato físico com o pai ou a mãe deixa de ser diário, a criança começa a se sentir menos amada. Tal sentimento vem à tona quando ela se dá conta de atividades que antes fazia com um dos pais e agora não tem mais essa companhia, como por exemplo, colocar na cama para dormir, dar banho, assistir TV juntos, e etc.

É importante que os pais tenham atenção em como a criança está vivenciando este momento de adaptação. Dificilmente ela vai se expressar de forma verbal e clara, e em muitas situações a expressão dessa angústia virá em forma de irritabilidade. A criança passa a adotar comportamentos que anteriormente não eram comuns como intolerância, agressividade na fala e nas brincadeiras, além de brigas constantes com os coleguinhas.

Uma forma de minimizar tais comportamentos é se mostrar disponível para a criança. Promova momentos de contato, onde ela possa conversar sobre o que sente, onde possa chorar e dizer sobre o que lhe dá medo e insegurança. É necessário mostrar para a criança que ela tem o direito de estar triste, e que vocês, pais, também estão tristes com essa decisão. Mas que continuam a amando e cuidando dela.

terapia-online-casule-banner

Mostre para a criança que ela poderá se divertir com os pais e que ainda terá momentos de alegria com eles, mesmo que não seja com os dois juntos mais. Tenha cuidado ao falar do comportamento do ex-parceiro, pois a criança possui imaginação fértil e rápida, e qualquer palavra mal colocada pode acabar gerando sentimentos piores, aumentando a sua culpa.

Os filhos passarão muitas vezes finais de semana em casas diferentes, o que implica em uma nova rotina. Os pais poderão constituir novas famílias, e os filhos precisarão se readaptar a uma nova esposa do pai e/ou marido da mãe, outros filhos, possibilidades de novos irmãos.

Entretanto essas mudanças e diversas outras que ocorrem quando os pais se separam não precisam ser necessariamente ruins. A maneira como os pais conduzem à separação influencia diretamente na forma como os filhos irão lidar com a situação.

Por mais que os filhos sintam ausência de um dos pais em seu dia-a-dia, e todo o processo possa gerar muito sofrimento para a criança e/ou adolescente, ele não precisa ser traumático.

É muito importante que os pais conduzam o processo de separação de forma clara, sem esconder dos filhos que estão se separando e, estando atentos para que a criança e/ou adolescente não se sinta responsável pela separação.

Se torna fundamental que os pais esclareçam aos filhos que o fato de se separarem não faz com que deixem de ser seus pais e de amá-los. Que o carinho e amor que sentem pelos filhos não irão mudar, porém acontecerão alterações em suas rotinas e será necessário novas adaptações.

Independente da idade da criança, procurar a ajuda de um Psicólogo pode ajudar no enfrentamento do divórcio tanto por parte dos pais como por parte das crianças. A ajuda de um profissional poderá ser fundamental, tanto para orientação destes pais em como lidar com os filhos diante do novo contexto, como para a criança, que encontrará um suporte emocional adequado para expor suas angustias, medos, fantasias.

A criança não possui responsabilidades sobre os conflitos na relação do casal. E, quando acontecer a decisão de se separarem, sejam o mais claros, honestos e sinceros com seus filhos, esclarecendo sempre que estes não tem culpa sobre a separação, e, mesmo se separando vão continuar sendo seus pais e sempre vão amá-los.

Guia com as 15 Técnicas para reduzir a ansiedade
Casule Play

Como as crianças vivenciam a Separação dos Pais?

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre Como as crianças vivenciam a Separação dos Pais?, você pode  agendar o seu horário clicando aqui.


Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Renata Giovannini, aqui no Blog.
Psicóloga, Terapeuta Cognitivo Comportamental, pós graduada em Avaliação Psicológica. Encantada pela profissão e pelo cuidado com o outro. Conheça o meu Instagram. | Clique para marcar uma consulta comigo

O que você achou deste conteúdo?
Conte nos comentários sua opinião sobre: Como as crianças vivenciam a Separação dos Pais?.


0 comentários

Ensine seu filho(a) a lidar com as emoções
Ensine seu filho(a) a lidar com as emoções

Ensine seu filho(a) a lidar com as emoções

As crenças dos pais e cuidadores influenciam diretamente em como as crianças irão enxergar o mundo, o outro e principalmente a si mesmas. Todos nós temos nossos medos, ansiedades, sentimos raiva, tristeza e para cada um de nós as emoções têm uma intensidade, um significado e um motivo para que elas se expressem. Ensinar os pequenos a reconhecer as emoções, é muito importante para que tenhamos pessoas mais inteligentes emocionalmente.
O que é a terapia de Aceitação e Compromisso (ACT) e como ela pode te ajudar

O que é a terapia de Aceitação e Compromisso (ACT) e como ela pode te ajudar

A Terapia de Aceitação e Compromisso ou ACT (Acceptance and Commitment Therapy) foi desenvolvida nos Estados Unidos pelo psicólogo Steven Hayes e por seus colegas Kelly Wilson e Kirk Strosahl. Ela tem se mostrado altamente eficaz na solução de uma série de problemas, desde depressão, ansiedade, dor crônica e até mesmo vício em drogas.

Quando eu devo perdoar meu parceiro?

A reposta para esta pergunta é SEMPRE! Sempre Cris? Mas ele não merece!!! O perdão não é para ele… porque ele merece… é para você! Porque você merece PAZ! Te explico melhor aqui neste vídeo. Vem Comigo!!!
Leia mais

Como ter inteligência emocional?

Quanto maior a inteligência emocional, maior a qualidade das relações e interações sociais. Você já parou para pensar como podemos ter mais inteligência emocional?
Leia mais

Rede Social x Saúde Mental

Existem muitas pesquisas que relacionam problemas de saúde mental, principalmente depressão e ansiedade, com o uso excessivo das redes sociais. Mas o que acontece para que um número cada vez maior de pessoas se sinta atraída como se estivessem hipnotizadas, mesmo sabendo o quanto esse hábito em excesso pode ser prejudicial à saúde mental?
Leia mais

Como lidar com a Ansiedade diante da chegada de um Novo Ano?

A chegada do Ano Novo traz consigo a ideia de Recomeço! Para muitas pessoas, representa esperança, prosperidade e expectativas positivas para ”uma nova vida”. Nessa época, também é comum nos sentirmos ansiosos pela vontade de renovação e mudança. Mas, não podemos nos esquecer que a Ansiedade é uma sensação normal e nem sempre ruim. Ela faz parte do nosso instinto de proteção e nos prepara para lidar com as situações de perigo ou estresse.
Leia mais
Como lidar com a Ansiedade diante da chegada de um Novo Ano

Você reclama demais?

Você já parou para reparar quantas vezes você reclamou hoje? O nosso dia a dia está cada vez mais cheio de obrigações e afazeres. Muitas vezes o cansaço e as preocupações fazem com que façamos das reclamações um hábito. Se você se identificou com esse conteúdo, assista ao vídeo.
Leia mais
Voce Reclama Demais blog casule

Como sair do efeito platô?

Você já percebeu que, no processo de emagrecimento, a perda de peso costuma ser ótima nos primeiros meses, mas depois estaciona? Por que será que isso acontece? E como evitar tal efeito platô e continuar a ter resultados? É isso que a nutricionista Isa Polastri explica no vídeo de hoje.
Leia mais
Como-sair-do-efeito-plato-BLOG

Por que ele não me dá valor?

Você já ouviu a frase “a gente só da valor quando perde? Sabia que de certa forma, é uma frase que faz sentido? Neste vídeo, a psicóloga Cristiane Schumann explica o porquê de não darmos tanto valor àquilo que está disponível para nós. Depois de entender a teoria da disponibilidade, certamente muita coisa irá mudar na sua vida!
Leia mais
por-que-ele-não-me-dá-valor

Como ajudar uma pessoa com Depressão?

A Depressão não precisa necessariamente vir acompanhada de perdas marcantes ou evidentes. E nem deve ser confundida com aquela tristeza que veio por uma situação que normalmente nos deixaria triste, ou chateado.
Leia mais
como-ajudar-uma-pessoa-com-depressão-

Dicas para diminuir a Procrastinação e organizar melhor sua Rotina

A Procrastinação é uma Distorção Cognitiva – pensamentos automáticos disfuncionais que distorcem a realidade para que esta se torne condizente com nossas crenças e interpretações anteriores. Mascarada pelo pensamento de ”depois eu faço”, a pessoa tende a adiar tarefas e acumular várias atividades. Geralmente isso acontece por insegurança e promove muita culpa e sintomas de Ansiedade.
Leia mais
dicas para diminuir a procrastinação
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This