Terapia Cognitiva Comportamental e as Crenças Centrais: Desamparo, Desamor e Desvalor

Atualizado em 15/01/2020
Por Suelen Tebaldi

Terapia Cognitiva Comportamental e as Crenças Centrais: Desamparo, Desamor e Desvalor

Atualizado em 15/01/2020
Por Suelen Tebaldi
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Terapia Cognitiva Comportamental e as Crenças Centrais: Desamparo, Desamor e Desvalor

A terapia cognitiva foi desenvolvida por Aaron Beck, direcionada a resolver problemas atuais dos pacientes e a modificar os pensamentos e comportamentos disfuncionais dos mesmos. 

O modelo cognitivo levanta a hipótese de que as emoções e os comportamentos das pessoas são influenciados por sua percepção e interpretação dos eventos e não somente pelo evento em si. Ou seja, o modo como as pessoas sentem está associado ao modo como elas interpretam e pensam sobre uma situação, sendo suas respostas emocionais intermediadas por sua percepção da mesma.  Esses pensamentos são relacionados aos tipos de crenças que cada pessoa tem.

As crenças são ideias ou esquemas que as pessoas desenvolvem desde a infância sobre si mesmas, as outras pessoas e seus mundos. As crenças são uma forma que a criança tem de extrair sentido do seu ambiente. São entendimentos que são tão fundamentais e profundos que as pessoas frequentemente não os questionam e os consideram como verdades absolutas. Usualmente se valem dos ditos “sempre foi assim” ou ”eu sempre fui assim”.

As crenças centrais são as ideias mais centrais da pessoa a respeito dela mesma, de outras pessoas e seus mundos. São usualmente globais, supergeneralizadas e absolutistas. Quando ativadas, o paciente facilmente identifica informações que a apoiam e distorcem as que não se enquadram no estilo de sua crença.  

contestar a preocupação
Sempre foi assim?

Na Terapia Cognitiva, as crenças centrais podem ser: DESAMPARO, DESAMOR e DESVALOR e o que ativa cada crença é:

Na crença de DESAMPARO a pessoa tem uma certeza (irracional/inconsciente) de que é incompetente e sempre será um fracassado.

Na crença de DESAMOR a pessoa tem a certeza (irracional/inconsciente) de que será rejeitada.

Na crença de DESVALOR a pessoa acredita ser inaceitável, sem valor algum.

terapia-online-casule-banner

Para verificar qual ideia está mais enraizada no seu funcionamento psicológico é possível analisar os tipos de pensamentos que você costuma ter com mais frequência.

Pensamentos automáticos da crença de desamparo:

  • Sou inadequado, ineficiente, incompetente;
  • Eu não consigo me proteger;
  • Eu não consigo mudar;
  • Eu não tenho atitude;
  • Sou uma vítima;
  • Sou carente;
  • Eu estou sem saída;
  • Não sou bom o suficiente;
  • Não sou igual aos outros.

Pensamentos automáticos da crença de desamor:

  • Sou diferente, indesejável, feio, monótono, não tenho nada a oferecer;
  • Não sou amado, querido; 
  • Sou negligenciado;
  • Sempre serei rejeitado, abandonado, sempre estarei sozinho;
  • Sou diferente, imperfeito, não sou bom o suficiente para ser amado.

Pensamentos automáticos da crença de desvalor:

  • Não tenho valor;
  • Sou inaceitável;
  • Sou mau, louco, derrotado;
  • Sou um nada mesmo, sou um lixo;
  • Sou cruel, perigosos, venenoso, maligno;
  • Não mereço viver.

As crenças tendem a se fortificarem quando a pessoa foca sua atenção para os dados que confirmam sua visão negativa e não conseguem perceber as situações da vida com outro ponto de vista. Esse processo ocorre involuntariamente e automaticamente, gerando sofrimento psicológico e/ou transtornos psicológicos significativos.

Essas crenças podem ser:

  1. Em relação a si mesmo: citado acima.
  2. Em relação aos outros: os outros são categorizados de maneira inflexível. São vistos como desprezíveis, frios, prejudiciais, ameaçadores e manipuladores.

Também é possível desenvolver uma crença positiva em relação aos outros e em detrimento a si mesmo: as pessoas são superiores, muito eficientes, amáveis e úteis (diferente de si mesmo).

  1. Em relação ao mundo: o mundo é injusto, hostil, imprevisível, incontrolável, perigoso.

Mas e aí? Como é possível nos libertarmos dessa ideia que nos acompanha desde a infância/adolescência?

Inscreva-se no nosso Canal no Youtube

 

O primeiro passo é a tomada de consciência da ativação das crenças. Somente à partir dessa nova percepção é que é possível operar mudanças.

E, neste sentido, a Terapia Cognitiva Comportamental possui ferramentas e técnicas capazes de habilitar a pessoa a desativar suas crenças e esquemas mentais, proporcionando assim, uma vida mais saudável.

Fontes:

BECK, Judith S., Terapia Cognitiva, Teoria e prática. Artmed, São Paulo, 1997 in https://psicologado.com.br/abordagens/psicologia-cognitiva/introducao-ao-modelo-cognitivo

https://noranadirsoares.site.med.br/index.asp?PageName=crencas-centrais

Guia com as 15 Técnicas para reduzir a ansiedade
Casule Play

Terapia Cognitiva Comportamental e as Crenças Centrais: Desamparo, Desamor e Desvalor

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre Terapia Cognitiva Comportamental e as Crenças Centrais: Desamparo, Desamor e Desvalor, você pode  agendar o seu horário clicando aqui.


Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Suelen Tebaldi, aqui no Blog.
Psicóloga, terapeuta cognitiva comportamental, apaixonada pela escuta e pelo relacionamento com as pessoas. "Psicóloga da família" desde pequena, vive e ama essa profissão e todos os seus desafios. Conheça o meu Instagram. | Clique para marcar uma consulta comigo

O que você achou deste conteúdo?
Conte nos comentários sua opinião sobre: Terapia Cognitiva Comportamental e as Crenças Centrais: Desamparo, Desamor e Desvalor.


0 comentários

Mães-Narcisistas
Mães Narcisistas

Mães Narcisistas

O termo “narcisismo” já faz parte da cultura ocidental há mais de século. Tem origem no mito grego de Narciso, rapaz jovem e orgulhoso cuja beleza era admirada por todos. Em uma caminhada ao lado de um rio, Narciso vê seu reflexo na água pela primeira vez. Apaixonado pela própria imagem, ele se mantém junto ao rio para melhor apreciá-la. Por recusar-se a abandoná-la, Narciso morre no local, admirando a si mesmo.
Insonia
Insônia

Insônia

Algumas pessoas enfrentam dificuldades na hora de dormir, seja para iniciar ou manter o sono, como por exemplo, acordam muito mais cedo do que estão habituadas e não conseguem voltar a dormir, acordam no meio da noite ou dormem durante toda a noite e acordam com a sensação de cansaço. Assim, a insônia é caracterizada como a incapacidade de conciliar o sono, seja para adormecer ou permanecer dormindo. “É possível identificar suas causas?” Sim, em sua maioria são consideradas psicofisiológicas.
Ensine seu filho(a) a lidar com as emoções
Ensine seu filho(a) a lidar com as emoções

Ensine seu filho(a) a lidar com as emoções

As crenças dos pais e cuidadores influenciam diretamente em como as crianças irão enxergar o mundo, o outro e principalmente a si mesmas. Todos nós temos nossos medos, ansiedades, sentimos raiva, tristeza e para cada um de nós as emoções têm uma intensidade, um significado e um motivo para que elas se expressem. Ensinar os pequenos a reconhecer as emoções, é muito importante para que tenhamos pessoas mais inteligentes emocionalmente.

Os Efeitos Psicológicos da Pandemia

Muito se fala sobre os impactos físicos que o Covid-19 pode trazer ao corpo. Mas ainda é pouco falado sobre o agravamento dos quadros de transtornos mentais que a Pandemia gerou.
Leia mais

Metáfora do alarme desregulado e a ansiedade

Pra que serve um alarme em casa? Para dar segurança e avisar quando a casa é invadida, por exemplo. Imagina se esse alarme está desregulado e ele começa a disparar quando não tem invasão ou até mesmo quando um amigo seu vem te visitar.
Leia mais
Metáfora do alarme desregulado e a ansiedade blog casule

O que é a terapia de Aceitação e Compromisso (ACT) e como ela pode te ajudar

A Terapia de Aceitação e Compromisso ou ACT (Acceptance and Commitment Therapy) foi desenvolvida nos Estados Unidos pelo psicólogo Steven Hayes e por seus colegas Kelly Wilson e Kirk Strosahl. Ela tem se mostrado altamente eficaz na solução de uma série de problemas, desde depressão, ansiedade, dor crônica e até mesmo vício em drogas.
Leia mais

Por que não dá para fugir do que te causa ansiedade?

Um comportamento muito comum em quem sofre de ansiedade é fugir do que a causou. Para uma pessoa que tem medo de falar em público – que tem crises de ansiedade só de pensar que vai estar na frente de uma plateia falando sobre algum assunto – recusar um convite para dar a palestra vai trazer um alívio imediato dos sintomas. Mas será que o problema foi resolvido?
Leia mais

Quando eu devo perdoar meu parceiro?

A reposta para esta pergunta é SEMPRE! Sempre Cris? Mas ele não merece!!! O perdão não é para ele… porque ele merece… é para você! Porque você merece PAZ! Te explico melhor aqui neste vídeo. Vem Comigo!!!
Leia mais

Como ter inteligência emocional?

Quanto maior a inteligência emocional, maior a qualidade das relações e interações sociais. Você já parou para pensar como podemos ter mais inteligência emocional?
Leia mais

Rede Social x Saúde Mental

Existem muitas pesquisas que relacionam problemas de saúde mental, principalmente depressão e ansiedade, com o uso excessivo das redes sociais. Mas o que acontece para que um número cada vez maior de pessoas se sinta atraída como se estivessem hipnotizadas, mesmo sabendo o quanto esse hábito em excesso pode ser prejudicial à saúde mental?
Leia mais

Como lidar com a Ansiedade diante da chegada de um Novo Ano?

A chegada do Ano Novo traz consigo a ideia de Recomeço! Para muitas pessoas, representa esperança, prosperidade e expectativas positivas para ”uma nova vida”. Nessa época, também é comum nos sentirmos ansiosos pela vontade de renovação e mudança. Mas, não podemos nos esquecer que a Ansiedade é uma sensação normal e nem sempre ruim. Ela faz parte do nosso instinto de proteção e nos prepara para lidar com as situações de perigo ou estresse.
Leia mais
Como lidar com a Ansiedade diante da chegada de um Novo Ano

Você reclama demais?

Você já parou para reparar quantas vezes você reclamou hoje? O nosso dia a dia está cada vez mais cheio de obrigações e afazeres. Muitas vezes o cansaço e as preocupações fazem com que façamos das reclamações um hábito. Se você se identificou com esse conteúdo, assista ao vídeo.
Leia mais
Voce Reclama Demais blog casule
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This