medo-ansiedade-fobia-psicologia-casule
Qual a diferença entre medo, ansiedade e fobia? (vídeo completo)
8 de novembro de 2018
suicidio - Ana Carolina - psicóloga - Casule
Suicídio
12 de novembro de 2018
Insegurança---psicóloga-Suelen---Casule

Você se cobra demais? Sempre acha que as outras pessoas são melhores que você? Sente que nunca faz o suficiente? Condiciona sua felicidade a um relacionamento? Tem medo de perder a pessoa amada? Costuma desistir das coisas porque não se sente capaz?

Se a maior parte das suas respostas foi “sim”, saiba que a insegurança tem tomado um lugar importante na sua vida e você precisa ficar atento a isso.

Em todos esses casos, a insegurança é causada pelo medo: medo de fracassar, de se frustrar, de que as coisas não deem certo, de desistir, de ser rejeitado, de ser criticado, de perder alguém importante, de ficar desempregado, etc. Muitas vezes também aparece o medo de não saber reagir caso a outra pessoa seja agressiva ou então de expressar sua opinião, de dizer o que pensa e de ser você mesmo.

O medo é uma emoção importante e que nos protege de situações possivelmente perigosas, que nos faz pensar melhor antes de agir e que pode tanto nos impulsionar como nos paralisar. No entanto, ao sempre evitarmos situações difíceis,  não nos damos a oportunidade de vencê-la, e a cada derrota aumentamos a insegurança e o sentimento de inferioridade.

A insegurança é um estado emocional que traz a sensação de inferioridade, podendo basear-se em crenças irracionais que são mantidas, mesmo que não façam sentido. Sendo assim, a pessoa insegura sente que não é boa o suficiente para realizar determinada tarefa ou para ser amada, aceita e reconhecida.

Em um relacionamento de casal, a insegurança vem acompanhada de medos irreais, histórias fantasiosas, ciúmes, carência, entre tantas outras coisas que atrapalham a boa convivência e uma troca saudável.

Causas da insegurança

As sensações de segurança e de insegurança fazem parte da formação do psiquismo e estão diretamente associadas às vivências de satisfação e frustração que a criança tem ao longo do seu desenvolvimento. Os estímulos recebidos dos pais e do ambiente também contribuem para a construção desses sentimentos.

Se você foi muito criticado quando criança, por exemplo, com certeza sente muito medo de ser criticado. Se você foi muito cobrado, sente muito medo de errar e ser rejeitado.

Um bom exercício para identificarmos as causas da nossa insegurança é buscar na nossa história de vida como eram nossas relações, principalmente com os nossos pais, e refletir sobre como as situações e crenças vividas naquela época podem estar impactando nos nossos relacionamentos atuais. Perguntas como: “quais eram as exigências dos meus pais?” / “De que forma eu reagia?” / “E quais eram as punições e os reforços positivos diante de erros e acertos?” podem facilitar esse exercício.

Construindo relacionamentos mais funcionais e positivos

Questione sua insegurança

Coloque no papel todas as situações que trazem sentimento de insegurança. Para cada situação identificada, avalie se há uma justificativa real para que você se sinta inseguro e qual a pior coisa que poderia acontecer. Perceba que muitos medos não são reais, enquanto outros são muito menores do que você imaginava.

As consequências de encarar um medo e fracassar muitas vezes são menores do que as consequências de passar a vida fugindo das situações. Isso porque, além de superar seus medos, você terá um aprendizado que servirá de exemplo para as próximas experiências.

Eleve sua autoestima

Perceba como está sua autoestima: como você se enxerga, sua capacidade de reconhecer suas competências, suas fragilidades, sua capacidade de gostar de você mesmo. Quando você é capaz de aceitar a si, passa a ter mais facilidade de sentir segurança nas suas ações e decisões.

Invista na sua autoestima. De nada adianta querer se relacionar bem com um parceiro, se não estiver bem consigo próprio. A insegurança pode estar presente em qualquer relacionamento, sem sequer ser percebida, isto porque muitas pessoas têm a tendência de trazer a insegurança das relações anteriores, achando que tudo será igual.

Evite comparações

Cada vez que você se compara com alguém, você anula suas qualidades. Quando há falsa crença de incapacidade a pessoa pode se ver com menos valor que o outro. Algumas até conseguem “provas” de serem inferiores porque se “auto sabotam”.

Reforce suas qualidades positivas

Tire o foco do que está errado. Para se sentir seguro, você precisa ter consciência das suas qualidades. Faça uma lista de tudo o que ama sobre você mesmo, desde a amizade até a inteligência, e tenha isso sempre em mente. Toda vez que se criticar por algo, lembre-se de uma qualidade positiva.

Autoconhecimento

Conhecer sua história de vida, sua personalidade, suas forças e fraquezas, bem como sua forma de se relacionar e atuar permite que você tenha uma visão clara do seu funcionamento e de como você reage em cada situação da vida.

O autoconhecimento é o principal combustível para você se libertar dos processos inconscientes e agir de maneira consciente.

Fontes:

http://www.sbie.com.br/como-tratar-inseguranca-no-relacionamento-de-casal/

https://opsicologoonline.com.br/inseguranca-no-relacionamento/

http://www.marisapsicologa.com.br/inseguranca.html

Comentários

comentários

Suelen Tebaldi
Suelen Tebaldi
Psicóloga, terapeuta cognitiva comportamental, apaixonada pela escuta e pelo relacionamento com as pessoas. "Psicóloga da família" desde pequena, vive e ama essa profissão e todos os seus desafios.

Os comentários estão encerrados.

Marcar Consulta