Aspectos-psicológicos-da-dor

Aspectos psicológicos da dor

Atualizado em 11/09/2020
Por Redatora Casule

Aspectos psicológicos da dor

Atualizado em 11/09/2020
Por Redatora Casule
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Aspectos psicológicos da dor

Aperte o play para escutar este conteúdo.

A Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor (SBED), tem como a mais atual definição de dor “uma experiência sensitiva e emocional desagradável associada, ou semelhante àquela associada, a uma lesão tecidual real ou potencial.” E ainda segundo a SBED, “a sensação de dor é subjetiva e individual”. 

Segundo o psiquiatra americano George Hengel, na década de 1970, os estados de saúde e de doença devem ser analisados sob a perspectiva biopsicossocial. Isso significa que a dor nos avisa que algo está não está bem e este aviso pode estar relacionado com seu corpo, indicando alguma lesão ou uma doença, por exemplo; com suas emoções ou com o ambiente em que você vive e trabalha.

gatilhos-e-doenças
Compreender a dor ajuda a desvendar as causas.

A partir dessas informações podemos entender melhor a dor, investigar as suas causas, gatilhos e doenças que podem estar associadas dentro da história individual. Os especialistas dizem que para que uma dor seja considerada crônica, ela deve persistir por mais de 3 meses ou por mais de 1 mês após a cura da doença que a originou. A dor crônica traz prejuízos nos relacionamentos, no trabalho, no âmbito social e no emocional.

O sofrimento que a dor proporciona, seja ela crônica ou não, ultrapassa o corpo, é também um sofrimento emocional. A dor traz com ela um certo nível de stress e o inverso também é verdadeiro: as emoções não resolvidas e o stress potencializam a dor. Percebe que é uma via de mão dupla? E aqui estamos falando de todo tipo de dor: dor crônica, dor de cabeça, dor abdominal, dores a partir de lesões…

O stress causado pela dor aumenta a sua intensidade e frequência, trazendo prejuízos acarretando mais stress, mais dor, mais prejuízos… É um ciclo de dor que se forma e se ele não é interrompido, vai se retroalimentar. As nossas crenças e a forma como interpretamos os acontecimentos, influenciam diretamente na percepção da dor, assim como o momento em que estamos vivendo. Num momento em que você está mais vulnerável, vai senti-la com mais intensidade.

Como a Terapia Cognitiva pode ajudar a quem sofre de dores?

A psicoterapia para a dor envolve ressignificar a percepção dos eventos. O terapeuta precisa ouvir a dor de forma ampla, naquele contexto que falamos no início deste texto, BIO = corpo, PSICO = emoções, SOCIAL = ambiente. A partir daí desenvolver junto com o paciente, habilidades e ferramentas para que o indivíduo consiga lidar com a dor e todo o prejuízo que ela causa a fim de minimizar seus efeitos.

terapia-online-casule-banner

Problemas e adversidades existem na vida de todos nós, porém, cuidar das emoções associadas aos eventos estressores em nossa vida nos ajuda a ter clareza para enfrentá-los, nos coloca no controle. Um evento estressor é qualquer situação que nos sobrecarrega e esta percepção de impotência diante de situações adversas é diferente para cada um de nós, é subjetiva. O que me estressa ou me deixa preocupada é diferente do que te estressa e pode desencadear alguma dor em você.

A-importância-das-supervisões-para-terapeutas-cognitivo-comportamentais-psicologia-casule
O terapeuta ajuda no questionamento e reflexão das causas das dores.

Com a ajuda do terapeuta, a pessoa identifica, questiona as crenças e os pensamentos desencadeadores da dor e a partir daí tem a capacidade de mudar a forma de experienciar situações criando estratégias para enfrentar a dor. Essa nova postura acarretará outras emoções associadas e um novo repertório de comportamentos perante os acontecimentos. Perceber a dor em sua intensidade, sofrimento e entender os gatilhos poderá potencializar o tratamento medicamentoso e seguir no caminho de ressignificar o fator estressor. Fazendo assim, você será parte ativa para conseguir lidar com o que te causa tanto desconforto.

Não se pode deixar de falar da importância de uma boa alimentação, qualidade do sono e da atividade física como partes importantes no tratamento. Já está mais que comprovado que a qualidade de vida com práticas diárias de bons hábitos influencia em todo o nosso organismo seja tanto para benefício do corpo quanto da mente, afinal são peças da mesma engrenagem. Questione o que você está fazendo ou deixando de fazer no seu dia para que a dor persista, reveja seus hábitos e procure um profissional caso sinta necessidade.

Terapia Casule

A Casule é uma clínica que pensa na sua saúde e no seu bem-estar que atende de forma presencial e online. Isso faz que possamos cuidar de pessoas em qualquer parte do Brasil e do Mundo!

Venha nos conhecer! Marque uma conversa com nossos terapeutas clicando aqui!

Curtiu o texto? Fica a vontade para relaxar com a gente, conheça nossos áudios de relaxamento, é GRÁTIS!

Compartilhe também a Casule em suas redes sociais, InstagramFacebook e Youtube

Guia com as 15 Técnicas para reduzir a ansiedade
Casule Play

Aspectos psicológicos da dor

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre Aspectos psicológicos da dor, você pode  agendar o seu horário clicando aqui. Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Redatora Casule, aqui no Blog.
Sou focada em achar o melhor conteúdo que já foi publicado na rede e trazer informações que são relevantes e agregam valor para você.

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários sua opinião sobre: Aspectos psicológicos da dor.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Hipocondria

Você sabia que existe um Transtorno de Ansiedade apenas pelo medo de adoecer? É o que chamamos de Hipocondria!
Leia mais
hipocondria

O funcionamento do TDAH em adultos

O Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, conhecido como TDAH, é um transtorno do neurodesenvolvimento que apresenta como característica essencial um padrão persistente de desatenção, desorganização e/ou hiperatividade-impulsividade, o qual costuma persistir na vida adulta resultando no comprometimento do funcionamento social, acadêmico e profissional.
Leia mais
O funcionamento do TDAH em adultos

5 passos para solucionar um problema

Em nosso cotidiano sempre surgem problemas inesperados, não conseguimos fugir deles. Nesse vídeo busco explicar quais são os passos mais importantes para estruturarmos uma solução assertiva.
Leia mais
5 passos para solucionar um problema

Formas de Comunicação

A maneira como você expressa sua opinião e interesses está muito relacionada com a interpretação que o outro vai fazer de você, ou da conversa que vocês estão tendo.
Leia mais
formas de comunicação
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This