Ensine seu filho(a) a lidar com as emoções

Ensine seu filho(a) a lidar com as emoções

Atualizado em 15/01/2021
Por Redatora Casule

Ensine seu filho(a) a lidar com as emoções

Atualizado em 15/01/2021
Por Redatora Casule
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Ensine seu filho(a) a lidar com as emoções

Aperte o play para escutar este conteúdo.

As crenças dos pais e cuidadores influenciam diretamente em como as crianças irão enxergar o mundo, o outro e principalmente a si mesmas. Todos nós temos nossos medos, ansiedades, sentimos raiva, tristeza e para cada um de nós as emoções têm uma intensidade, um significado e um motivo para que elas se expressem. Ensinar os pequenos a reconhecer as emoções, é muito importante para que tenhamos pessoas mais inteligentes emocionalmente.

Para que nós possamos ensinar os pequenos a lidar com o que nos é tão natural como as emoções, precisamos entender como nós mesmos lidamos com elas e assim transmitir esse ensinamento na prática.

Nossa vida sem emoções seria como uma vida sem cor, sem graça. As emoções precisam ser valorizadas para que recebam a devida atenção, afinal de contas são elas que nos mostram nossas necessidades, nos conectam com as outras pessoas, nos alertam para o que pode ser perigoso além de outras importantes funções.

Por exemplo, sentir um pouco de medo e ansiedade antes de uma apresentação nos impulsiona a fazer uma palestra melhor porque nos leva a nos preparar e estudar sobre o assunto sobre o qual vamos falar.

 “O que estou sentindo? Por que eu estou sentindo isso? O que causou a emoção?”

Este é um exercício mental que deveria fazer parte do nosso cotidiano. Perceber as emoções antes que elas transbordem em explosões de raiva ou em uma resposta mal-educada a uma pessoa próxima traz essa conscientização para reconhecer o que se passa internamente e a partir daí aprender a se conectar consigo mesmo.

Afinal, o que é educar crianças emocionalmente?

Educar as crianças emocionalmente é ensiná-los a aceitar, respeitar, receber e entender o que se passa com suas emoções. Ao invés de mandá-las engolir o choro ou parar de sentir raiva do amiguinho, podemos acolhê-las em seus momentos emotivos e perguntar o que aconteceu para estarem daquela forma, o que estão sentindo e a partir daí deixá-las se expressarem. Fazendo assim, você os ensinará a identificar as emoções e os gatilhos para que possam aprender a lidar com as situações que virão.

Quando você valida o que se passa com uma criança, você a ensina a lidar com o problema e com o que ele causa ao invés de jogar para debaixo do tapete. Você ensina que o que se passa internamente com ela é importante e que ela não é a vítima de suas emoções e sim um sujeito ativo que pode escolher como agir. Ser um sujeito que se sente capaz de encarar as situações da vida, trará a esta criança uma sensação de potência em relação ao seu ambiente. Potência no sentido de se sentir apta para lidar com o que o mundo ao seu redor lhe causa.

terapia-online-casule-banner

Na prática isso significa que o problema existe, mas não é por isso que ela precisa sofrer e se entregar às emoções como se fosse impotente diante delas. O problema é real e está aí sem que possamos controlá-lo, mas o sofrimento é a parte que podemos administrar! Isso é diferente de ser onipotente ou impotente.

A onipotência neste caso nos traz a ideia de negar o problema. Ensinar a onipotência seria invalidar as emoções do pequeno, minimizar e negar o problema ou até mesmo ignorar o que causa desconforto nele. Ensinar a ser onipotente perante uma situação de stress é invalidar o sentimento de raiva ou frustração dizendo que perder o jogo não é motivo para chorar, sem nem querer saber como ele estaria processando aquela perda. O ensinamento aqui é de que é melhor reprimir os sentimentos porque eles não são importantes e não é disso que se trata a educação emocional. 

Já impotência é quando assumimos uma postura vitimista diante do problema. No exemplo do jogo, ensinando-o a ser impotente diante da derrota, o adulto poderia tê-lo culpado pela perda ou apontar suas falhas no jogo e ele iria aprender a ser vítima do mundo ao seu redor, trazer a culpa para si mesmo ao invés de perceber o contexto e aprender! 

Ensinar a ser potente é ajudar ao seu filho a enfrentar, pensar e aprender com o problema, mas não ser levado e dominado por ele. Assumir uma postura ativa em relação aos obstáculos que fazem parte de vida vai trazer uma sensação de segurança e de autoconfiança. Ensine-o a acreditar em si e a valorizar a sua essência!

Terapia Casule

A Casule é uma clínica que pensa na sua saúde e no seu bem-estar que atende de forma presencial e online. Isso faz que possamos cuidar de pessoas em qualquer parte do Brasil e do Mundo!

Venha nos conhecer! Marque uma conversa com nossos terapeutas clicando aqui!

Curtiu o texto? Fica a vontade para relaxar com a gente, conheça nossos áudios de relaxamento, é GRÁTIS!

Compartilhe também a Casule em suas redes sociais, InstagramFacebook e Youtube

Guia com as 15 Técnicas para reduzir a ansiedade
Casule Play

Ensine seu filho(a) a lidar com as emoções

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre Ensine seu filho(a) a lidar com as emoções, você pode  agendar o seu horário clicando aqui. Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Redatora Casule, aqui no Blog.
Sou focada em achar o melhor conteúdo que já foi publicado na rede e trazer informações que são relevantes e agregam valor para você.

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários sua opinião sobre: Ensine seu filho(a) a lidar com as emoções.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Hipocondria

Você sabia que existe um Transtorno de Ansiedade apenas pelo medo de adoecer? É o que chamamos de Hipocondria!
Leia mais
hipocondria

O funcionamento do TDAH em adultos

O Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, conhecido como TDAH, é um transtorno do neurodesenvolvimento que apresenta como característica essencial um padrão persistente de desatenção, desorganização e/ou hiperatividade-impulsividade, o qual costuma persistir na vida adulta resultando no comprometimento do funcionamento social, acadêmico e profissional.
Leia mais
O funcionamento do TDAH em adultos

5 passos para solucionar um problema

Em nosso cotidiano sempre surgem problemas inesperados, não conseguimos fugir deles. Nesse vídeo busco explicar quais são os passos mais importantes para estruturarmos uma solução assertiva.
Leia mais
5 passos para solucionar um problema

Formas de Comunicação

A maneira como você expressa sua opinião e interesses está muito relacionada com a interpretação que o outro vai fazer de você, ou da conversa que vocês estão tendo.
Leia mais
formas de comunicação
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This