Estresse em crianças e suas implicações para a vida adulta
9 de setembro de 2015
As vezes expôr o que pensa faz tão mal quanto guardar mágoa; equilibre-se
14 de setembro de 2015

casule-psicologia-insegurança

Identificando insegurança

Pode-se perceber insegurança em algumas situações, por exemplo ao sentir incapaz de realizar uma tarefa mesmo tendo todo o conhecimento necessário para tal. Muitas vezes a pessoa se sente inseguro porque não sabe “que sabe”, nunca se deu a oportunidade de testar sua própria capacidade, pode existir uma crença de que não consegue.

Outros exemplos seria a insegurança que aparece quando a pessoa não consegue ter iniciativa diante de atividades as quais gostaria muito de participar, por exemplo, ir numa festa, puxar conversa com alguém interessante, ir ao clube, ir à ginástica.

O que gera insegurança

O que está por trás da insegurança pode ser um medo, por exemplo medo de ser rejeitado, medo de que as coisas não deem certo, medo de ficar só, medo de ficar pobre, de ficar desempregado.  Muitas vezes aparece o medo de não saber reagir caso outra pessoa seja agressiva. Quantas vezes alguém fica quietinho por medo do que o outro pode fazer?  Outras vezes bate insegurança quando a pessoa não se sente bem para dar sua opinião, de dizer o que pensa, é o medo de se afirmar, de ser você mesmo.  Você percebe que uma pessoa pode ser insegura quando adia interminavelmente as coisas, “ depois eu faço”, e não faz nunca. Adia uma conversa, adia uma compra, adia uma atitude, adia um curso, etc.

Insegurança x covardia

Algumas pessoas inseguras que se autodenominam de “covardes” – neste ponto a autoestima já pode  está muito rebaixada.

Insegurança X depressão

A insegurança pode permear e agir como base para a depressão e para a ansiedade sócio avaliativa –   ansiedade ligada à sua preocupação sobre o que os outros pensam de você onde os seguintes pensamentos frequentes são: “será que ele acha que eu sou burra, será que ele me acha um perdedor, o que será que pensam de mim”.

A insegurança pode ser baseada em crenças irracionais mantidas mesmo que mas que não façam sentido, Ex: “Eu preciso ser linda para que os outros me amem e me dêem valor”.

Insegurança x independencia

Será que você nasceu inseguro?   Acredito que o ser humano nasce indefeso e dependente. O bebê precisa de que lhe deem comida, que lhe deem banho, precisa dos outros para ficar quentinho, e principalmente para ter afeto, mas a partir de uma certa idade começa a surgir a independência. Independência é a percepção de que você pode fazer as coisas por você mesmo, mas para algumas pessoas esse processo não acontece facilmente, esse processo de ter iniciativa, perceber sua capacidade de realizar coisas, a independência de desempenho, ocorre com muita dificuldade para alguns.

Necessidade em ser aceito

Alguns  têm uma personalidade insegura, outros passaram por algumas dificuldades e eventos incapacitantes que o tornaram mais sensível e inseguro. Por exemplo, houve uma moça que  quando criança passou um problema de saúde muito sério, os médicos não tinham o diagnóstico exato e isto e deixou  muitos anos quase desenganada. Hoje ela tem quase 40 anos e não pode ouvir uma ambulância sem tremer, não pode ter um resfriado sem achar que vai morrer. Isto acontece por  ela ter esperado a morte por muito tempo. Finalmente os médicos descobriram a origem de seu problema e pode ser tratada com sucesso mas ainda assim ela criou uma crença de que estava a beira da morte eternamente. Hoje, racionalmente, ela sabe que isso não é verdade, mas emocionalmente  ainda se comporta como se fosse verdade.

Quando alguém passa por situações desse tipo, pode passar a viver com dúvidas: “Será que eu consigo?”.

Insegurança X sentimento de inferioridade

O inseguro pode não se ver capaz de “fazer acontecer”, se sente refém dos outros e do destino. Pode creditar que só conseguirá uma promoção se o chefe assim o quiser, só fará um curso se alguém convidar, só conversará com alguém se o outro puxar conversa.

O inseguro pode se sentir inferior. Por exemplo o caso um advogado, que achava que qualquer outro advogado sabia mais que ele, qualquer outro era percebido como mais poderoso, até os estagiários.

A evitação reforça o sentimento de inferioridade pois quando não enfrentamos uma situação difícil não nos damos a oportunidade de vence-la, e a cada derrota aumenta a insegurança e o sentimento de inferioridade.

Quando há falsa crença de incapacidade a pessoa pode se ver com  menos valor que o outro. Alguns até  conseguem “provas” de serem inferiores, por exemplo, uma pessoa que tem a seguinte crença: “ninguém gosta de mim“, pode ser convidado a uma festa mas fica muito chateada porque ninguém conversou com ela, e diz: “Está vendo, eu sabia que ninguém gostava de mim”, mas, quem estava na festa viu que ela  ficou de cabeça baixa o tempo todo. Ou seja, ela se boicotou. Ela fez com que sua crença se confirme. A crença de que ninguém gosta dela não é verdadeira, o que ocorre é um auto boicote.

Desesperança

A desesperança é a sensação de que não há o que fazer ou não ter forças para mudar seu próprio destino.

A  culpa costuma acompanhar a desesperança pois faz com que a pessoa acredite que seja um fracasso por não ter conseguido fazer muito em prol de si mesmo.

Insegurança afeta o desempenho financeiro?

É possível que a insegurança afete o desempenho financeiro pois a desmotivação pode impedir a procura de novas  possibilidades quando necessário. A insegurança pode impedir, por exemplo,  que esta pessoa faça seu chefe ver seu potencial.

A insegurança pode provocar autoboicote em situações muito importantes como por exemplo em entrevista de emprego onde é possível travar e não mostrar o melhor de si.

Se você tem seu próprio negócio a insegurança pode estar te impedindo de manter a liderança, o dinamismo para procurar novos clientes, ou desenvolver melhor o seu produto.

A insegurança pode fazer da pessoa um “desistente”, tentou uma vez, não deu certo, larga!

Percepção distorcida de futuro

A expectativa negativa quanto a comportamentos futuros, ou seja, não conseguir imaginar um futuro diferente do que está vivendo hoje provoca uma percepção distorcida de futuro.

Esta distorção pode ser iniciada devido a forma como a pessoa explica os acontecimentos atuais, neste caso a pessoa considera os acontecimentos positivos como “sorte”   mas os acontecimentos negativos são vistos como responsabilidade própria, ou seja se considera incapaz de realizar coisas boas. Ex: Se alguém sorriu e conversou alegremente com esta pessoa é porque o outro é muito bacana, mas quando alguém a trata de forma desrespeitosa esta pessoa acha que isso aconteceu devido a sua insignificância como ser humano.

Autoconceito

Autoconceito é o que você pensa a seu próprio respeito incluindo as coisas que você se vê capaz de fazer.

O seu autoconceito pode ser muito contaminado por erros de percepção. Exemplo: um colega passa por você e não cumprimenta. Você começa a imaginar que ele está com raiva de você, talvez pense que ele te despreza, ele não liga para você, e você conclui que não tem muito valor como pessoa ou que você não seja importante.

Vamos analisar: Será que sua percepção estava correta? É possível que o colega tenha deixado de te cumprimentar porque estava distraído, ou por estar sem óculos? Ou podemos aceitar que ele não te cumprimentou porque não quis, talvez ele estivesse chateado nesse dia. Será que você não está sendo injusto com você mesmo quando conclui que você vale menos só porque este colega não te cumprimentou?

Autoconceito x Autoestima

O autoconceito tem um aspecto de avaliação envolvido pois, como você se vê é uma coisa mas o quanto você gosta do que vê é outra coisa – essa avaliação é a autoestima.

O quanto você aprova a si mesmo determina o seu nível da autoestima.

Na verdade todo mundo tem dentro de si um “eu ideal”, que é tudo o que esta pessoa gostaria de ser. É possível que esta pessoa nem tenha consciência deste  “eu ideal”  mas mantém um perfil de tudo o que  gostaria de ser, de fazer , como gostaria de se parecer , o quanto gostaria de ganhar , que coisas gostaria de realizar.

Quando a realidade está muito longe do “eu ideal” inicia-se um processo de insatisfação, pois ao não alcançar as metas gera-se angustia. A angustia vem tanto do fato desta pessoa não ser da forma que  gostaria  como também de não se perceber capaz de conseguir ser queria.

FONTEhttp://www.marisapsicologa.com.br/inseguranca.html

Comentários

comentários

Redatora Casule
Redatora Casule
Sou focada em achar o melhor conteúdo que já foi publicado na rede e trazer informações que são relevantes e agregam valor para você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marcar Consulta