Hipocondria

Atualizado em 11/11/2019
Por Suelen Tebaldi

Hipocondria

Atualizado em 11/11/2019
Por Suelen Tebaldi
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Hipocondria

Ao contrário do que muita gente acredita, a hipocondria não está relacionada ao consumo excessivo de medicamentos. Também não é verdade a crença de que os pacientes fingem os sintomas.

Com o boom da internet, a comunidade médica tem encontrado motivos ainda maiores para se preocupar com o quadro, que hoje apresenta uma nova forma de manifestação: a chamada cibercondria — ou hipocondria digital.

Mas afinal de contas, você sabe o que é esse transtorno e como identificá-lo?

A hipocondria trata-se de uma patologia na qual a pessoa acredita que possui uma doença, geralmente séria, mesmo sem nenhuma evidência médica. A hipocondria está diretamente ligada à ansiedade e a transtornos obsessivos compulsivos e os pacientes que desenvolvem esse transtorno tendem a interpretar sintomas comuns como sinais de algo grave, degenerativo ou potencialmente fatal. Por exemplo: uma simples dor de cabeça certamente significará um tumor cerebral. Nesse caso, os sintomas realmente existem, mas são amplificados e erroneamente interpretados.

Causas 

A hipocondria atinge igualmente homens e mulheres e normalmente aparece no início da vida adulta, apesar de poder se desenvolver em qualquer idade. Não se sabe ao certo o que causa esse transtorno, mas algumas situações podem aumentar a chance de uma pessoa desenvolver hipocondria: 

  • eventos traumáticos e doenças graves, principalmente durante a infância;
  • histórico familiar; 
  • preexistência de outros transtornos, como ansiedade, depressãoTranstorno Obsessivo-Compulsivo e Transtornos de Personalidade;
  • acreditar que boa saúde significa estar livre de quaisquer sintomas; 
  • pais pouco afetivos. 

Este último causador parece estranho, mas se trata de um determinante influenciador do desenvolvimento desta patologia, pois a pouca afetividade, traz, ao hipocondríaco, uma necessidade de atenção, o que faz com que ele intensifique seus sintomas para que as pessoas direcionem sua atenção a eles.

Como identificar um hipocondríaco?

Uma pessoa com hipocondria costuma apresentar os seguintes comportamentos:

  • Ter um medo intenso ou prolongado de ter uma doença grave;
  • Preocupar-se que os menores sintomas e sensações físicas podem significar uma doença grave;
  • Procurar médicos repetidamente ou fazer exames complexos com frequência, como ressonâncias magnéticas e ecocardiogramas;
  • Trocar de médico constantemente, sempre buscando uma segunda opinião que indique uma condição grave;
  • Falar diversas vezes sobre seus sintomas ou das doenças que suspeita ter;
  • Checar frequentemente o corpo em busca de problemas;
  • Checar frequentemente os sinais vitais, como pulsação ou pressão arterial;
  • Pensar ter uma doença só de ler ou ouvir sobre ela;
  • evitar obsessivamente ambientes ou situações que podem trazer riscos à saúde ou de contrair uma doença grave.

Pessoas com hipocondria tendem a aumentar sintomas quando realmente estão doentes. Mas a principal característica está no pensamento obsessivo de que isso de fato se trata de uma doença muitíssimo grave e de que sua vida pode estar em risco.

Como tratar?

O diagnóstico pode ser difícil e demorado, já que os pacientes não percebem que tem um transtorno psiquiátrico. Se sentem um desconforto no peito, provavelmente vão procurar um cardiologista — e não um psicólogo ou psiquiatra.

terapia-online-casule-banner

Nesse momento, é muito importante que pessoas próximas ao paciente se atentem a esses sinais e não compactuem com os comportamentos obsessivos ou ignorem o problema. São eles que normalmente percebem que algo está errado e encorajam o paciente a procurar por um especialista.

O tratamento para hipocondria tem diversas abordagens. A primeira é a psicoterapia e a metodologia mais usada é a Terapia Cognitiva Comportamental. Essa abordagem permite ao paciente reconhecer as causas de seu comportamento ansioso e ensina formas de parar com ele. Além disso, é importante que o paciente aprenda mais sobre a hipocondria, até para saber melhor como lidar. Essa educação sobre o quadro também é importante para a família do paciente.

Em alguns casos, medicamentos também podem ajudar, principalmente os antidepressivos. Muitas vezes, tratar comorbidades, como ansiedade e depressão, também ajudam no quadro.

É importantíssimo ressaltar que o tratamento medicamentoso para a hipocondria, sozinho, não resolve o problema — o acompanhamento psicológico é indispensável, já que não foca apenas nos sintomas, mas em todas as possíveis causas que geraram o transtorno.

Ter preocupação com a própria saúde é normal e importante para evitar futuras doenças. É normal também ficar ansioso quando se tem algum sintoma cuja causa o médico não consegue identificar claramente. Essa preocupação só se torna um problema quando a ideia de estar com uma doença séria consome você, mesmo que você já tenha feito exames apropriados e seu médico tenha assegurado que o problema é simples ou mesmo inexistente.

Esta patologia pode durar a vida toda se o paciente não buscar ajuda e tratamento. No entanto, trata-se de uma doença tratável (apesar de não se tratar hipocondria de um dia para o outro), por isso a importância do acompanhamento psicológico e psiquiátrico.

Fontes:

https://www.unimedfortaleza.com.br/blog/cuidar-de-voce/sintomas-hipocondriaco

https://www.minhavida.com.br/saude/temas/hipocondria


Guia com as 15 Técnicas para reduzir a ansiedade
Casule Play

Hipocondria

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre Hipocondria, você pode  agendar o seu horário clicando aqui.


Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Suelen Tebaldi, aqui no Blog.
Psicóloga, terapeuta cognitiva comportamental, apaixonada pela escuta e pelo relacionamento com as pessoas. "Psicóloga da família" desde pequena, vive e ama essa profissão e todos os seus desafios. Conheça o meu Instagram. | Clique para marcar uma consulta comigo

O que você achou deste conteúdo?
Conte nos comentários sua opinião sobre: Hipocondria.


0 comentários

Relacionamento-à-distância-dá-certo-BLOG
Relacionamento a distância dá certo?

Relacionamento a distância dá certo?

Neste vídeo, nossa psicóloga Cristiane Schumann fala sobre as principais dificuldades enfrentadas por casais de se relacionam à distância. Dra. Cristiane explica, por exemplo o aumento das desconfianças, ciúmes e conflitos que o casal passa a ter. E dá dicas espetaculares para amenizar os afeitos da distância, da insegurança e da saudade.

Mitos e verdades sobre a psicoterapia

Apesar de a psicoterapia estar ganhando seu merecido espaço na atualidade, ainda existem pessoas que resistem a procurar ajuda de um profissional quando têm algum tipo de sofrimento psíquico, seja ele no âmbito pessoal, seja nos relacionamentos. Atualmente, estamos falando mais sobre a importância da saúde mental e de cuidar das emoções, mas é importante desmitificar alguns pontos que ainda persistem.
Leia mais
Mitos e verdades sobre a psicoterapia

Ativação comportamental na depressão

A depressão é um tipo de transtorno mental que pode se tornar incapacitante dependendo do nível de adoecimento psíquico que o indivíduo se encontra. É caracterizado pela alteração de humor, sendo presente sentimentos de tristeza, apatia, vazio ou irritabilidade, acompanhado de alterações somáticas e cognitivas que afetam de forma significativa a capacidade de funcionamento do indivíduo, podendo estar associada a pensamentos suicidas.
Leia mais
ativação mental da depressão

Orientação Profissional

Escolher uma profissão nem sempre é um caminho fácil. E em muitos momentos pode desencadear sofrimentos emocionais, ansiedade, angústias, medos... para isso existe a Orientação Profissional!
Leia mais
Orientaçã-profissional-BLOG

Como o viés da negatividade pode afetar sua vida

O viés é a tendência a prestar mais atenção em determinadas coisas do que em outras. Segundo a neurociência, os seres humanos desenvolveram ao longo da evolução da espécie uma tendência a se sentirem mais afetados por aspectos negativos do que por outros positivos. É como se fosse uma “programação” que auxiliou o homem primitivo a garantir a sua sobrevivência nos primórdios da nossa existência.
Leia mais
Como o viés da negatividade pode afetar sua vida

As 4 formas mais comuns de violência infantil

Embora a violência infantil seja um assunto difícil de ser abordado, seu debate é de extrema importância. Em primeiro lugar porque ela está presente no cotidiano de muitas crianças e adolescentes brasileiros, se mostrando como um grande problema de saúde pública, além disso, ela pode afetar profundamente a vida das vítimas.
Leia mais
4-formas-mais-comuns-de-violencia-infantil-BLOG

Adoecimento Psicológico causado pela Pandemia

Desde o início da pandemia, ouvimos falar muito sobre os efeitos do vírus no corpo e suas possíveis consequências físicas. Pouco se fala sobre o aumento de pessoas com adoecimento emocional, manifestados exatamente por esse período de isolamento, medo, angústias e dúvidas.
Leia mais
Adoecimento Psicológico causado pela Pandemia

Quando a ansiedade se torna um problema?

Você tem sofrido com ansiedade? Sabe quando ela se torna um problema? Nesse vídeo te explico o que é a ansiedade e te ajudo a identificar quando ela se torna prejudicial em nossas vidas.
Leia mais
Quando-a-ansiedade-se-torna-um-problema-BLOG

O que fazer diante de uma escolha difícil?

Alguma vez na vida já tivemos que lidar com um dilema ou uma decisão difícil. Quando estamos nessas situações, nossa mente facilmente entra em ação, tentando descobrir o que fazer, para "fazer a decisão correta".
Leia mais
O-que-fazer-diante-de-uma-escolha-dificil
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This