Por que me preocupo tanto?

Atualizado em 19/03/2021
Por Rosana Moreira

Por que me preocupo tanto?

Atualizado em 19/03/2021
Por Rosana Moreira
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Por que me preocupo tanto?

Aperte o play para escutar este conteúdo.

Nós nos preocupamos com uma ampla variedade de coisas, desde tarefas mais simples do dia a dia, como não atrasar-se para um compromisso, até problemas mais graves e complexos.

Não temos os mesmos temas de preocupação, alguns tendem a se preocupar mais com questões relacionadas a saúde própria ou de familiares. Outros com os relacionamentos afetivos, com trabalho e vida financeira ou com questões relativas às situações sociais ou mundiais.

E, de fato, a preocupação é um processo normal na vida das pessoas. O que faz a diferença é a avaliação da quantidade, intensidade e frequência em que ocorrem os pensamentos de preocupação e de que forma eles podem causar aflição.

Quando a preocupação se torna duradoura e incontrolável para algumas pessoas?

Por que alguns de nós são mais capazes de controlar suas preocupações do que outros?

Nosso modo de pensar cria a nossa visão de mundo, que está sendo recriada a todo instante a partir das informações que recebemos através dos órgãos dos sentidos, estabelecendo um padrão de
pensamento durante as experiências vividas no decorrer da vida.

A preocupação crônica torna-se um hábito mental, um padrão de pensamento que limita a autoconfiança, levando a cogitação de infindáveis possibilidades ameaçadoras. Como se formassem uma “trilha” utilizada todos os dias, os pensamentos repetitivos criam um tipo de percurso no cérebro.

Esse condicionamento sutil se transforma em um ciclo que se repete. Um fato qualquer gera uma preocupação que dispara a ansiedade, que leva a mais pensamentos de preocupação, reiniciando o
ciclo.

Nem sempre a preocupação acontece no nível da consciência, podemos nos preocupar sem perceber, de forma automática, quando estamos fazendo outra atividade. Sendo preparar uma refeição ou dirigir
um carro.

O primeiro passo para usar sua preocupação de forma inteligente envolve uma análise sobre as características destes pensamentos aflitivos.

terapia-online-casule-banner

Podemos dividir as preocupações em produtivas e improdutivas, a partir da observação das seguintes características:

IMPRODUTIVA PRODUTIVA

Focar em cenários imaginados e distantes

Tendência a focar em como se sentiria se a
preocupação se concretizasse

Busca incessante de certeza e segurança de um resultado imaginado

Gera sentimento de impotência para lidar com a situação aflitiva

Alto nível de ansiedade ou aflição

IMPRODUTIVA PRODUTIVA

Focar em problemas reais e imediatos

Tendencia a focar na solução de
preocupação se concretizasse problemas

Maior tolerância para lidar com risco razoável e incertezas

Gera sentimento de confiança na capacidade de lidar com a situação afetiva

Baixa ansiedade ou aflição

Uma vez identificada as suas preocupações ou problemas, será necessário perceber qual o seu grau de controle e responsabilidade sobre uma situação, este é um aspecto essencial na preocupação produtiva.

A preocupação constante e o excesso de atribuição de controle e responsabilidade a si mesmo por um problema pode levar a muito estresse e ansiedade.

O contrário disso, ou seja, uma percepção diminuída da sua própria responsabilidade em uma situação, pode levar a paralisia ou inércia.

O primeiro passo em direção a qualquer mudança é sempre desafiador, mas essencial para iniciar uma transformação.

Algumas pequenas dicas

  1. Reconheça seus pequenos passos, valorize seu empenho
  2. Use o diálogo interno cordial, converse consigo como um amigo faria
  3. Sinta-se capaz de pensar e agir de modo diferente. Pensar: “Eu Sou assim” é uma forma de resistência.
  4. Pratique a respiração profunda com frequência e colha os benefícios desta prática

Para finalizar se a palavra “preocupação” ou “preocupado” está diariamente no seu vocabulário, fique atento aos prejuízos que os pensamentos de preocupação improdutiva podem estar trazendo para sua vida.

A psicoterapia tem grande eficácia nos transtornos causados pela preocupação excessiva. Além disso, oferece ferramentas para aquisição de novas habilidades no manejo da ansiedade, o que resulta numa
melhoria na qualidade de vida e bem-estar.

Terapia Casule

A Casule é uma clínica que pensa na sua saúde e no seu bem-estar que atende de forma presencial e online. Isso faz que possamos cuidar de pessoas em qualquer parte do Brasil e do Mundo!

Venha nos conhecer! Marque uma conversa com nossos terapeutas clicando aqui!

Curtiu o texto? Fica a vontade para relaxar com a gente, conheça nossos áudios de relaxamento, é GRÁTIS!

Compartilhe também a Casule em suas redes sociais, InstagramFacebook e Youtube.

Guia com as 15 Técnicas para reduzir a ansiedade
Casule Play

Por que me preocupo tanto?

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre Por que me preocupo tanto?, você pode  agendar o seu horário clicando aqui. Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Rosana Moreira, aqui no Blog.
Especialista em Terapias Cognitivas, com Formação em Terapia Cognitiva Comportamental. Atua na prática clínica com atendimentos a adolescentes, adultos e casais, realizando trabalho de acolhimento, escuta e análise de processos afetivos. Experiência na área de avaliação psicológica e de gestão de pessoas em instituição de ensino e hospitalar. Atualmente, me dedico ao atendimento individual em psicoterapia - Transtornos de ansiedade e depressão, entre outros. Bem como, a orientação profissional e de carreira, para jovens de primeira escolha e para reorientação profissional. Conheça o meu Instagram. | Clique para marcar uma consulta comigo

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários sua opinião sobre: Por que me preocupo tanto?.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Como tratar a Fobia Social
Como tratar a Fobia Social

Como tratar a Fobia Social

A ansiedade ou fobia social é quando a pessoa no contato social, no contato com o outro tem o seu objeto fóbico de medo, de ansiedade. Assim, qualquer circunstância que ela precise se expor a uma situação social desde as mais simples, como por exemplo, cumprimentar alguém, fazer ou receber um elogio, ela já sente uma ansiedade extrema e com sintomas físicos.
Fome fisiológica versus Fome emocional
Fome fisiológica x Fome emocional

Fome fisiológica x Fome emocional

Não é incomum se deparar com situações e períodos estressantes na vida da maioria das pessoas e uma das primeiras consequências é sair da dieta. Por essa razão a fome fisiológica (homeostática) muitas vezes pode ser confundida com a fome emocional (hedônica). E como diferenciá-las?

O tripé da Autoestima?

Autoestima é um dos assuntos mais falados no momento. E, apesar de aparecer sempre muito atrelado à autoimagem (forma como o indivíduo se enxerga), ela é muito mais que isso.
Leia mais
O tripé da Autoestima

Dicas para lidar com a insônia

Você sabia que os nossos comportamentos e atitudes durante o dia estão totalmente ligados com o nosso sono? Por isso, nesse vídeo, abordei quais são os tipos de insônia, e sugeri algumas mudanças para que você pode adaptar a sua rotina, e como consequência, melhorar a qualidade do seu sono.
Leia mais
Dicas-para-lidar-com-a-Insônia

Objetivos da Orientação Profissional

A Orientação Profissional é um processo de avaliação que auxilia qualquer pessoa, independente da idade, a escolher uma faculdade ou um curso profissionalizante, e até mesmo mudar de carreira.
Leia mais
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This