fbpx

Você tem medo de falar em público?

Atualizado em 07/10/2020
Por Marcelle Mattos

Você tem medo de falar em público?

Atualizado em 07/10/2020
Por Marcelle Mattos
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Você tem medo de falar em público?

Aperte o play para escutar este conteúdo.

O medo de falar em público é muito comum. Ou você mesmo tem esse medo ou conhece alguém que tem, não é? É chamado de glossofobia quando esse medo tem proporções exageradas a ponto de paralisar e não permitir que a pessoa tente vencer este medo por si só.

Só de pensar que vai ter que falar para uma plateia, por menor que seja, a pessoa tem taquicardia, tremores, sudorese, a perna fica bamba, dá uma queimação no estômago, dor de barriga, pensamentos derrotistas, começa a imaginar cenários desastrosos e por aí vai. Sintomas típicos de ansiedade, isso mesmo, quem tem medo de falar em público tem crises de ansiedade só de pensar na situação. 

Este medo não tem a ver com o grau de dificuldade do assunto que você vai falar, nem com o quanto você estudou ou se preparou para determinada apresentação e não tem a ver também com a sua aparência física ou o quanto você está satisfeito com ela. 

Pessoas que se sentem desconfortáveis ao falar para os outros têm um padrão elevado de auto cobrança, têm uma crença que os faz acreditar que por mais que estudem e se preparem, serão avaliados negativamente pelo público que está ali, assistindo.

Estar em evidência pode trazer a impressão de vulnerabilidade

Estar em evidência nos coloca numa posição vulnerável, de ser avaliados, mas não necessariamente de forma negativa como pensam os que têm medo de falar em público. E por isso, o medo em proporções menores é um fator de proteção e faz com que você se prepare, estude, se preocupe em apresentar uma boa palestra. 

É certo que muitas pessoas já têm uma certa facilidade em se expressar, já possuem uma relação mais íntima com a exposição, com estar em evidência e por isso estão neste lugar com mais tranquilidade, mesmo assim uma certa dose de medo ou ansiedade ainda estará presente. Assim como alguns têm mais facilidade para tocar um instrumento ou têm a voz mais afiada para o canto, por exemplo, e mesmo assim precisam treinar, ensaiar e praticar para que consigam aprimorar seus talentos.

Mas como fazer para vencer este medo?

Para aprender a lidar com ele é preciso que você o conheça e identifique o que ele desperta em seu corpo física e emocionalmente.

Precisa entender primeiro qual o gatilho que desencadeia o medo em você. Falar para grandes públicos ou independe do número de pessoas? Falar para desconhecidos ou quando tem um conhecido na plateia você já se abala? Presencialmente ou pela internet?

terapia-online-casule-bannerPowered by Rock Convert

Sabe aqueles sintomas de ansiedade que foram falados logo no começo deste texto? Então, eles sinalizam que nosso sistema nervoso simpático está ativado e é ele que nos avisa que estamos com muito medo e ansiedade. Quais sintomas se manifestam em seu corpo? Qual a intensidade deles? São suficientes para te paralisar ou só te deixam um pouco ansioso?

Além dos sintomas físicos, quais os pensamentos passam pela sua cabeça neste momento? É importante que você tome consciência deles por que, segundo Aaron Beck, o criador da Terapia Cognitiva, “não é a situação em si que determina o que a pessoa sente, mas como ela interpreta uma situação.” A forma como você encara a situação de estar em evidência vai definir o grau de ansiedade e medo diante da situação. Qual o significado deste pensamento? O que ele diz sobre você?

A partir de toda essa reflexão você vai tomar dimensão do medo que você está sentindo e começar a lidar com ele. Não é se livrar dele e sim, LIDAR com ele, pois como já foi dito, o medo e a ansiedade têm uma importante função na nossa vida, assim como todas as nossas emoções que servem para nos sinalizar, nos guiar.

Procure um profissional da psicologia, caso seja o seu caso! A terapia cognitiva pode te ajudar! 

Terapia Casule

A Casule é uma clínica que pensa na sua saúde e no seu bem-estar que atende de forma presencial e online. Isso faz que possamos cuidar de pessoas em qualquer parte do Brasil e do Mundo!

Venha nos conhecer! Marque uma conversa com nossos terapeutas clicando aqui!

Curtiu o texto? Fica a vontade para relaxar com a gente, conheça nossos áudios de relaxamento, é GRÁTIS!

Compartilhe também a Casule em suas redes sociais, InstagramFacebook e Youtube

banner-paisagem-ebook-manejo-da-ansiedade-v1.1-curtoPowered by Rock Convert

Você tem medo de falar em público?

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre Você tem medo de falar em público?, você pode  agendar o seu horário clicando aqui.


Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Marcelle Mattos, aqui no Blog.
Psicóloga pós graduada em Terapia Cognitivo-comportamental. Atende adolescentes, adultos e idosos. Apaixonada pela psicologia e pelo que ela proporciona! Conheça o meu Instagram. | Clique para marcar uma consulta comigo

O que você achou deste conteúdo?
Conte nos comentários sua opinião sobre: Você tem medo de falar em público?.


0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compulsão por trair existe?

Compulsão por trair existe?

Muitos casais estabelecem um acordo em que se comprometem a permanecer fiéis ao amor que professam um pelo outro. Quando um dos dois rompe esse acordo, falamos de infidelidade. A pessoa que comete a infidelidade geralmente a oculta porque sabe o que significa, e intui algumas das consequências que pode ter, embora mais tarde possa confessar ou ser descoberta. Seja como for, a pessoa que é vítima da infidelidade sofre uma dupla sensação de traição: uma traição a ela e ao relacionamento.
A-importância-da-rede-de-apoio-no-processo-de-psicoterapia
A importância da rede de apoio no processo de psicoterapia

A importância da rede de apoio no processo de psicoterapia

Muito se fala sobre o acolhimento, alternativas de tratamento, estratégias, dicas e orientações necessárias para os pacientes que estão passando por um momento de sofrimento mental, ou possuem algum tipo de transtorno ou realizam psicoterapia. No entanto, pouco é abordado sobre a importância dos familiares e indivíduos que fazem parte do cotidiano e convívio do paciente, que compõem a rede de apoio, sendo considerados parte importante do processo terapêutico, também poder buscar por ajuda, cuidados e orientação.
O-que-a-minha-filha-me-ensina
O que a minha filha me ensina

O que a minha filha me ensina

No aniversário da minha filha Luiza, já estávamos em isolamento social e por conta disso, tivemos que cancelar a festinha de aniversário dela. Confesso que foi bem difícil para mim, pois ela ama o aniversário dela que segundo ela, é o dia mais feliz da vida dela. Mal acaba a festa e ela já está planejando o tema do ano seguinte, ela adora estar com os amigos.
Motivos-que-levam-à-obesidade
Motivos que levam à obesidade

Motivos que levam à obesidade

Você sabia que a obesidade é um quadro multifatorial? Isso mesmo! Não podemos colocar apenas na comida a responsabilidade de um ganho de peso. Por isso é importante não ter preconceito e não julgar o comportamento alimentar de uma pessoa que está nesta situação. O aconselhável é sempre buscar ajuda de profissionais que tenham empatia e que possam oferecer qualidade de vida e bem-estar à pessoa com obesidade. Assista a este vídeo completo e saiba mais!

6 dicas para se tornar uma pessoa mais resiliente

Você sabia que a resiliência é uma habilidade que conseguimos desenvolver e aprimorar? Não são todas as pessoas que já tem essa habilidade super desenvolvida e é por isso que, nesse vídeo, você vai aprender dicas simples de como se tornar uma pessoa mais resiliente e conseguir enfrentar melhor os obstáculos da vida.
Leia mais
6-dicas-para-se-tornar-uma-pessoa-mais-resiliente-BLOG

Você acha que autoestima é só cuidar da sua aparência?

A autoestima vai muito além da aparência, é a visão que você tem sobre você e quando ela está baixa afeta outras áreas da sua vida, seu relacionamento, vida profissional... No vídeo vou explicar o que é, porque é importante e dar dicas para aumentar sua autoestima.
Leia mais
Você acha que autoestima é só cuidar da sua aparência

Na sua dieta tem “dia do lixo”?

O dia do lixo é uma expressão usada para caracterizar o dia em que comemos em grandes quantidades, alimentos calóricos e super deliciosos! Mas será que essa prática é aconselhável? Contribui ou atrapalha o processo de emagrecimento? Saiba como agir assistindo a este vídeo completo.
Leia mais
Dia do lixo

A Saúde mental nos relacionamentos: como ajudar um parceiro que está passando por algum transtorno psicológico!

Quando falamos sobre os transtornos mentais, nos referimos a uma série de alterações significativas no que diz respeito aos aspectos cognitivos, emocionais e comportamentais dos indivíduos e que podem afetar qualquer pessoa durante algum momento de sua trajetória. É uma condição que muitas vezes interfere diretamente na capacidade do indivíduo de enfrentar problemas cotidianos e sentir prazer na vida.
Leia mais
A Saúde mental nos relacionamentos como ajudar um parceiro que está passando por algum transtorno psicológico!

Por que falar sobre Suicídio?

10 de setembro é o Dia Internacional de Prevenção ao Suicídio. Por essa razão, desde 2015, o Brasil promove campanhas de prevenção e informação sobre o assunto dedicando essa época ao Setembro Amarelo.
Leia mais
Por que falar sobre Suicídio

Transtorno Bipolar

A variação de humor no nosso dia a dia é algo muito comum e normal! Passamos por diversas situações ao longo do dia, e da vida, e por consequência, nosso humor e nossas emoções podem se manifestar e alternar de formas diferentes. Mas quando essa mudança se torna um problema? Nesse vídeo vou te ensinar algumas características do Transtorno Bipolar, e te dar algumas dicas para lidar com pessoas que sofrem com essa desordem.
Leia mais
Transtorno bipolar

Aspectos psicológicos da dor

Segundo o psiquiatra americano George Hengel, na década de 1970, os estados de saúde e de doença devem ser analisados sob a perspectiva biopsicossocial. Isso significa que a dor nos avisa que algo está não está bem e este aviso pode estar relacionado com seu corpo, indicando alguma lesão ou uma doença, por exemplo; com suas emoções ou com o ambiente em que você vive e trabalha.
Leia mais
Aspectos-psicológicos-da-dor
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This