Suicídio na Infância e Adolescência - casule

Suicídio na Infância e Adolescência

Atualizado em 01/01/2018
Por Redatora Casule

Suicídio na Infância e Adolescência

Atualizado em 01/01/2018
Por Redatora Casule
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Suicídio na Infância e Adolescência

O suicídio é um ato intencional para acabar com a própria vida. O comportamento suicida abrange uma continuação de atos que vão desde o suicídio propriamente dito resultando a morte, como também as tentativas, pensamentos e desejos suicidas.

Embora o número de suicídios entre crianças e adolescentes em nosso país seja relativamente baixo quando comparado a outros países, há uma grande preocupação, pois nossos índices vêm crescendo lentamente ao longo dos anos.

As crianças não entendem a morte como algo definitivo, pensam em algo breve e reversível. Já os adolescentes têm uma melhor compreensão de que a morte é definitiva, mas o desejo de morrer pode ser indefinido, podendo ocorrer a partir de uma situação aguda de frustração que leva a sua ocorrência em um momento de impulsividade. Outras vezes, no entanto, pode haver intencionalidade e desejo permanente.

De acordo com a National Association of School Psychologists, o bullying (principalmente o cyberbullying, uma de suas variantes cuja prevalência vem crescendo na atualidade) tem contribuído para o aumento de números de casos de suicídios, sendo assim, considerado uma das principais causas desse fenômeno em crianças e adolescentes, e também ganhando atenção quando correlacionados a transtornos mentais, como ansiedade e depressão.

Outro fator que também tem contribuído é o aumento no índice de depressão infantil-adolescente. Diversos autores têm apontado que a mídia tornou-se o terceiro maior motivador de suicídios, e que 60% dos adolescentes que cometem suicídios estão passando por um estado depressivo.

terapia-online-casule-banner

Analisa-se que o comportamento suicida de crianças menores está atrelado a decisões impulsivas e influências familiares. E que os comportamentos suicidas apresentados por adolescentes estão muitas vezes ligados à presença de transtornos mentais e uso de substâncias psicoativas.

A avaliação de uma criança ou adolescente com ideação, planejamento ou tentativa de suicídio necessita ser realizado por profissionais especializados,
mas é fundamental que a família e a escola estejam atentos a esses comportamentos, sabendo identificar fatores de risco e encaminhar o mais rápido possível para tratamentos individualizados, o que envolve acompanhamento psicológico, orientação familiar e escolar, além do uso de medicações específicas em alguns casos.

Alguns fatores de risco e precipitantes para o suicídio são:

  • Depressão;
  • Problemas familiares de diversas naturezas (Separação dos pais, Ausência de uma das figuras parentais, Violência familiar, Abuso físico e/ou sexual, Falta de comunicação entre os pais);
  • Intolerância à frustração;
  • Abuso físico e/ou sexual;
  • Conduta suicida de familiares ou amigos;
  • Acesso a armas de fogo;
  • Transtornos psiquiátricos.

Fatores de risco mais específicos na adolescência:

  • Isolamento social e/ou abandono;
  • Violência intrafamiliar;
  • Histórico de abuso físico/sexual;
  • Transtornos de humor e personalidade;
  • Transtornos mentais;
  • Impulsividade e estresse;
  • Sentimentos de solidão, desespero e incapacidade;
  • Uso de álcool e outras drogas;
  • Condições socioeconômicas;
  • Homossexualidade;
  • Bullying;
  • Dificuldades de aprendizagem e baixo rendimento escolar;
  • Condições de saúde desfavoráveis;
  • Oposição familiar a relacionamentos sexuais e decepções amorosas.

O jovem que tenta ou comete suicídio é um indivíduo em sofrimento psíquico, e é de fundamental importância para a compreensão desse comportamento a análise do contexto de desenvolvimento da criança e do adolescente, incluindo as relações parentais, escolares e sociais.

Para ajudar nessa luta contra o suicídio, a campanha Setembro Amarelo, ocorre desde 2015 no mês de Setembro, por meio de identificação de locais públicos e particulares com a cor amarela e ampla divulgação de informações, e tem como objetivo conscientizar e alertar a população acerca desse problema, provocando mudanças em defesa da vida e favorecendo a prevenção de comportamentos suicidas.

Guia com as 15 Técnicas para reduzir a ansiedade
Casule Play

Suicídio na Infância e Adolescência

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre Suicídio na Infância e Adolescência, você pode  agendar o seu horário clicando aqui.


Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Redatora Casule, aqui no Blog.
Sou focada em achar o melhor conteúdo que já foi publicado na rede e trazer informações que são relevantes e agregam valor para você.

O que você achou deste conteúdo?
Conte nos comentários sua opinião sobre: Suicídio na Infância e Adolescência.


0 comentários

Ensine seu filho(a) a lidar com as emoções
Ensine seu filho(a) a lidar com as emoções

Ensine seu filho(a) a lidar com as emoções

As crenças dos pais e cuidadores influenciam diretamente em como as crianças irão enxergar o mundo, o outro e principalmente a si mesmas. Todos nós temos nossos medos, ansiedades, sentimos raiva, tristeza e para cada um de nós as emoções têm uma intensidade, um significado e um motivo para que elas se expressem. Ensinar os pequenos a reconhecer as emoções, é muito importante para que tenhamos pessoas mais inteligentes emocionalmente.
O que é a terapia de Aceitação e Compromisso (ACT) e como ela pode te ajudar

O que é a terapia de Aceitação e Compromisso (ACT) e como ela pode te ajudar

A Terapia de Aceitação e Compromisso ou ACT (Acceptance and Commitment Therapy) foi desenvolvida nos Estados Unidos pelo psicólogo Steven Hayes e por seus colegas Kelly Wilson e Kirk Strosahl. Ela tem se mostrado altamente eficaz na solução de uma série de problemas, desde depressão, ansiedade, dor crônica e até mesmo vício em drogas.

Quando eu devo perdoar meu parceiro?

A reposta para esta pergunta é SEMPRE! Sempre Cris? Mas ele não merece!!! O perdão não é para ele… porque ele merece… é para você! Porque você merece PAZ! Te explico melhor aqui neste vídeo. Vem Comigo!!!
Leia mais

Como ter inteligência emocional?

Quanto maior a inteligência emocional, maior a qualidade das relações e interações sociais. Você já parou para pensar como podemos ter mais inteligência emocional?
Leia mais

Rede Social x Saúde Mental

Existem muitas pesquisas que relacionam problemas de saúde mental, principalmente depressão e ansiedade, com o uso excessivo das redes sociais. Mas o que acontece para que um número cada vez maior de pessoas se sinta atraída como se estivessem hipnotizadas, mesmo sabendo o quanto esse hábito em excesso pode ser prejudicial à saúde mental?
Leia mais

Como lidar com a Ansiedade diante da chegada de um Novo Ano?

A chegada do Ano Novo traz consigo a ideia de Recomeço! Para muitas pessoas, representa esperança, prosperidade e expectativas positivas para ”uma nova vida”. Nessa época, também é comum nos sentirmos ansiosos pela vontade de renovação e mudança. Mas, não podemos nos esquecer que a Ansiedade é uma sensação normal e nem sempre ruim. Ela faz parte do nosso instinto de proteção e nos prepara para lidar com as situações de perigo ou estresse.
Leia mais
Como lidar com a Ansiedade diante da chegada de um Novo Ano

Você reclama demais?

Você já parou para reparar quantas vezes você reclamou hoje? O nosso dia a dia está cada vez mais cheio de obrigações e afazeres. Muitas vezes o cansaço e as preocupações fazem com que façamos das reclamações um hábito. Se você se identificou com esse conteúdo, assista ao vídeo.
Leia mais
Voce Reclama Demais blog casule

Como sair do efeito platô?

Você já percebeu que, no processo de emagrecimento, a perda de peso costuma ser ótima nos primeiros meses, mas depois estaciona? Por que será que isso acontece? E como evitar tal efeito platô e continuar a ter resultados? É isso que a nutricionista Isa Polastri explica no vídeo de hoje.
Leia mais
Como-sair-do-efeito-plato-BLOG

Por que ele não me dá valor?

Você já ouviu a frase “a gente só da valor quando perde? Sabia que de certa forma, é uma frase que faz sentido? Neste vídeo, a psicóloga Cristiane Schumann explica o porquê de não darmos tanto valor àquilo que está disponível para nós. Depois de entender a teoria da disponibilidade, certamente muita coisa irá mudar na sua vida!
Leia mais
por-que-ele-não-me-dá-valor

Como ajudar uma pessoa com Depressão?

A Depressão não precisa necessariamente vir acompanhada de perdas marcantes ou evidentes. E nem deve ser confundida com aquela tristeza que veio por uma situação que normalmente nos deixaria triste, ou chateado.
Leia mais
como-ajudar-uma-pessoa-com-depressão-

Dicas para diminuir a Procrastinação e organizar melhor sua Rotina

A Procrastinação é uma Distorção Cognitiva – pensamentos automáticos disfuncionais que distorcem a realidade para que esta se torne condizente com nossas crenças e interpretações anteriores. Mascarada pelo pensamento de ”depois eu faço”, a pessoa tende a adiar tarefas e acumular várias atividades. Geralmente isso acontece por insegurança e promove muita culpa e sintomas de Ansiedade.
Leia mais
dicas para diminuir a procrastinação
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This