A Reestruturação Cognitiva é um processo psicoterapêutico da Terapia Cognitivo Comportamental (TCC) que tem como objetivo ensinar o paciente a modificar pensamentos disfuncionais, distorções cognitivas e crenças limitantes, por pensamentos e crenças mais adaptativas, realistas e funcionais. 

Com base no modelo cognitivo da depressão desenvolvido por Aaron Beck em 1976, a Reestruturação Cognitiva sugere que a maneira de interpretar os acontecimentos externos influencia a nossa reação emocional a eles. Por exemplo, se você tem um amigo que chega 45 minutos atrasado em um compromisso, você pode pensar: “Pode ter acontecido um acidente com ele” OU ” ele acha que é normal chegar 45 minutos atrasado? Poderia ter me avisado!!” OU AINDA “Talvez ele tenha entendido que eu marquei de encontrá-lo em outro restaurante e deve estar me esperando lá. Esta confusão é culpa minha”.

Se você interpretar o atraso do seu amigo como no primeiro exemplo, você ficará ansioso; o segundo exemplo fará você sentir raiva, e o terceiro, um sentimento de culpa. A situação não muda, é a sua reação emocional que varia de acordo com a sua interpretação.

Para a Terapia Cognitiva a forma como atribuímos significado as situações, influencia a maneira como nos sentimos e lidamos com ela, ou seja, não é o evento em si que gera as emoções e os comportamentos, mas sim o que nós pensamos sobre o evento.

Participe e aprenda mais sobre bem-estarPowered by Rock Convert
Pessoa-pensando---Blog-Casule---psicóloga-Suelen

O problema ocorre quando nossas interpretações são distorcidas e acabam gerando emoções e comportamentos disfuncionais.  Sendo assim pensar, sentir e agir estão estreitamente relacionados entre si.

Na reestruturação Cognitiva, os pensamentos são considerados hipóteses. O terapeuta e o paciente trabalham juntos para reunir dados que determinem se estas hipóteses são corretas ou úteis. Em vez de dizer ao paciente quais são os pensamentos alternativos válidos, o terapeuta formula uma série de perguntas. Depois, ele vai planejar experiências comportamentais para que o paciente avalie e coloque os seus pensamentos negativos à prova. 

Finalmente, o paciente vai chegar a uma conclusão sobre a validez e a utilidade destes pensamentos, ou seja, ele vai “ressignificar” o seu pensamento (dar um novo significado a ele, mudar a perspectiva, reformular a forma de interpretar as situações ou suas experiências), e assim mudar  seu estado emocional e seus comportamentos.

Vale ressaltar que o psicólogo não impõe nada. É o próprio paciente que vai tirando as suas conclusões a partir das experiências que vai realizando. 

Muitas vezes não podemos mudar uma situação, mas podemos escolher como queremos lidar com ela!

A Reestruturação Cognitiva conta com estratégias e técnicas que são praticadas durante e fora da sessão, visando sempre a identificação, contestação e modificação dos pensamentos disfuncionais. Muitos destes pensamentos são conscientes e outros pré-conscientes, mas mesmo assim acessíveis ao paciente. O objetivo do terapeuta é ensinar o paciente a utilizar a Reestruturação Cognitiva para que ele mesmo (sozinho) seja capaz de produzir conclusões mais equilibradas, precisas e  úteis do que as formas habituais de pensamento. 

A reestruturação dos nossos pensamentos e atitudes é um processo lento e contínuo, por isso não desista!!! Seja paciente e persistente para conseguir estabelecer um relacionamento saudável com a sua mente.

Share This