A audição

Um dos sentidos mais importantes para o desenvolvimento da criança é a audição. O desenvolvimento auditivo na criança é extremamente importante para o desenvolvimento de diversas funções cerebrais. O sistema auditivo se desenvolve em etapas graduais de complexidade e tem início na vida intra-uterina a partir da 20ª semana de gestação, se estendendo até os primeiros meses de vida da criança.

Quando nasce, o bebê apresenta apenas a audição do tipo reflexa. Com o seu desenvolvimento dá-se início ao processo de aprendizagem auditiva, no qual novas respostas ao som passam a ser desenvolvidas através de experiências auditivas.

 

Desenvolvimento auditivo esperado

– 0 a 4 meses: a criança deve apresentar respostas como despertar do sono, sustos e piscadas de olhos diante de sons mais intensos. A reação aos sons familiares ainda não é consistente.

– 4 aos 7 meses: a criança deve localizar sons lateralmente. Nessa fase ela já é capaz de reconhecer a voz do cuidador mais próximo, na maioria dos casos, a mãe.

– 7 aos 9 meses: a criança deve localizar a fonte sonora para os lados e para baixo indiretamente. Ela já consegue demonstrar reações de agrado ou desagrado aos sons que ouve.

– 9 aos 13 meses: a criança deve localizar os sons para os lados e para baixo rapidamente. Nessa fase ela já deve ser capaz de compreender e responder a comandos verbais simples, como “dá tchau”.

Participe e aprenda mais sobre bem-estarPowered by Rock Convert

– 13 aos 16 meses: a criança deve ser capaz de localizar os sons para os lados, para baixo e para cima e de compreender comandos verbais mais complexos.

– acima de 16 meses: a criança deve ser capaz de localizar diretamente os sons para os lados, para cima e para baixo. Além disso, ela deve ser capaz de compreender ordens e responder perguntas relacionadas às partes do seu corpo, por exemplo.

 

Consequências das alterações auditivas

Os primeiros anos de vida da criança são fundamentais para a aquisição da linguagem e a ausência de comunicação adequada nessa fase pode impactar a comunicação do ser humano pelo resto de sua vida.

A deficiência auditiva, quando não diagnosticada precocemente, poderá interferir no desenvolvimento da linguagem da criança e, consequentemente, no seu processo de aprendizagem, já que, no caso da presença de uma deficiência auditiva, a criança não processará de forma adequada as informações da fala e, dessa forma, será mais difícil para essa criança estabelecer a relação entre a palavra falada e seu significado.

Portanto, é importante ficar atento para qualquer sinal de que a criança possa estar com algum problema auditivo, principalmente se ela não apresenta reação diante de estímulos sonoros familiares. Nesse caso, deve-se procurar a orientação de um fonoaudiólogo ou de um médico otorrinolaringologista para a realização da avaliação auditiva.

 

Teste da orelhinha

Desde 2010, o teste da orelhinha (triagem auditiva neonatal universal) se tornou obrigatório. Todos os hospitais e maternidades devem realizar o teste gratuitamente nas crianças nascidas em suas dependências. Esse teste é capaz de detectar precocemente a ocorrência de alguma deficiência auditiva, o que possibilita o diagnóstico e o tratamento precoces de possíveis alterações. O diagnóstico precoce é fundamental para a minimização dos impactos da deficiência auditiva no desenvolvimento da criança. O teste da orelhinha deve ser realizado por um fonoaudiólogo a partir do segundo ou terceiro dia de vida do bebê, com o bebê dormindo. Ele é um teste rápido, indolor e não possui contra-indicação.

Share This