Podemos passar por diferentes motivos que nos deixam mais tristes ou com um humor deprimido, por vezes convivemos com pessoas que estão passando por momentos difíceis e não sabemos de que forma podemos ajudá-la a superar esses momentos. Os familiares e os amigos mais próximos são os que têm maior possibilidade de perceber e consequentemente ajudar aquele que está passando por momentos de sofrimento.

É comum percebermos que alguém ao nosso redor não vai bem, ao notarmos que alguns hábitos foram modificados, como por exemplo:

  • Não ter mais cuidados básicos com a sua higiene pessoal;
  • Ter alterações de apetite e de sono, tanto para mais como para menos;
  • Alterações de humor;
  • Dificuldade para manter as relações sociais;
  • Dificuldades nos estudos ou no trabalho;
  • Isolamento social;

Mas é comum que consigamos perceber essas ou mais mudanças e, não saibamos o que fazer para que possamos ajudar essa pessoa a sair de tal situação. Para de fato oferecer apoio é preciso que tenhamos uma escuta atenta e sincera com quem está precisando da nossa ajuda naquele momento, que seja uma escuta sem julgamentos de valores e que se dedique tempo a isso (é preciso estar realmente disponível para a conversa, sem dividir tempo com outras tarefas).

Demonstrar uma atitude empática, reconhecendo e validando o sofrimento do outro são formas também muito eficazes de auxiliar. Outra coisa que precisamos pensar quando desejamos fornecer ajuda é sempre questionar a pessoa de que forma essa ajuda seria mais eficaz para ela. Por vezes, por acreditar que sabemos qual seria a melhor alternativa para aquela pessoa, acabamos tomando decisões por ela. No entanto, muitas das vezes o que julgamos ser o melhor para a pessoa não é o que ela nomearia naquele momento como o mais relevante.

Evitar frases que dão a impressão de que estar vivendo aquele sofrimento é uma escolha da pessoa, como por exemplo: “Não fica assim”, “Você tem tudo, porque está reclamando?”, “Você precisa ser mais grato(a)”, “Sai desse quarto”. É importante lembrarmos que a pessoa que está depressiva, por exemplo, sofre também por reconhecer que aquele estado não é saudável, mas não conseguir mudá-lo.

E sempre que você perceber que a sua ajuda não está sendo suficiente para que a pessoa melhore, busque ajuda de um profissional. Um psicólogo ou um psiquiatra podem ajudar inclusive quem está tentando auxiliar alguém.

Comentários

comentários