Raiva: quem nunca? - Psicóloga - Pedrita - Casule

Raiva: quem nunca?

Atualizado em 17/07/2018
Por Redatora Casule

Raiva: quem nunca?

Atualizado em 17/07/2018
Por Redatora Casule
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Raiva: quem nunca?

Você sabia que a raiva é uma das emoções humanas básicas, uma resposta física e mental a uma ameaça ou prejuízo (real ou imaginário)?

Um episódio de raiva pode se dissipar de forma rápida e inofensiva ou evoluir a ponto de a pessoa emitir comportamentos com sérias consequências.

A raiva é causada por uma combinação de fatores:

  • Evento desencadeante ou gatilho;
  • Personalidade da pessoa;
  • Avaliação individual da situação (interpretação dada a um evento);

Ela é uma emoção sentida em três níveis:

terapia-online-casule-banner
  • Nível 1: Pensamento – quando há consciência de uma emoção raivosa, sem palavras e sem expressão comportamental;
  • Nível 2: Palavras – quando há verbalização do que é sentido em um tom agressivo (palavrões, xingamentos, ofensas morais);
  • Nível 3: Atos – quando há agressão física (tapas, socos, pontapés, uso de armas brancas ou de fogo, etc);

A raiva pode ser avaliada segundo quatro dimensões diferentes:

  • Estado: sentimentos transitórios que variam desde um leve aborrecimento até uma forte ira; há estimulação do sistema nervoso autônomo;
  • Traço: tendência de cada indivíduo em perceber variadas situações como injustas, aborrecedora, frustrantes ou ameaçadoras; quanto mais elevado for o traço de raiva, maior a propensão de aquele indivíduo experienciar um aumento no estado de raiva, seja em frequência ou em intensidade.
  • Expressão: comportamentos agressivos contra si ou contra os outros; há também ocasiões onde ocorrem supressões ou repressões desse sentimento;
  • Controle: esforço empregado, quando vivenciado um estado de raiva, para controlar a expressão de tal sentimento;

É importante entender que a raiva surge, em geral, como uma resposta natural quando nossa interpretação do evento nos diz que fomos atacados, enganados, tratados de forma injusta. Quando ela passa a gerar prejuízos para a própria pessoa ou suas relações interpessoais, contudo, torna-se disfuncional ou um problema.

As atitudes explosivas, independentemente de suas causas, são mais frequentes durante os períodos de estresse. Elas vão eclodir quando nos confrontarmos com situações que nos fizerem lembrar experiências frustrantes ou ameaçadoras vividas anteriormente. A terapia cognitivo-comportamental possui técnicas que podem ajudar na melhora das quatro dimensões apresentadas acima, além de auxiliar nos momentos de estresse.

Referência: Avaliação e intervenção na clínica em terapia cognitivo-comportamental: a prática ilustrada. Araújo, N. G., Rubino, J. P. Oliveira, M. I. S – Novo Hamburgo: Sinopsys, 2018.

Guia com as 15 Técnicas para reduzir a ansiedade
Sou focada em achar o melhor conteúdo que já foi publicado na rede e trazer informações que são relevantes e agregam valor para você.
Casule Play

Raiva: quem nunca?

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre Raiva: quem nunca?, você pode  agendar o seu horário clicando aqui. Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Redatora Casule, aqui no Blog.
Sou focada em achar o melhor conteúdo que já foi publicado na rede e trazer informações que são relevantes e agregam valor para você.

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários sua opinião sobre: Raiva: quem nunca?.

0 comentários

8 Dicas para melhorar a sua autoestima

8 Dicas para melhorar a sua autoestima

Tem dias que você acorda e não se sente satisfeito com o que é? Não consegue sentir orgulho do que faz e das suas conquistas? Tem dificuldade de enxergar seus pontos fortes e suas qualidades? Pois é, você pode estar com baixa autoestima e isso é muito comum de acontecer. Buscar meios para melhorar a autoestima é um grande passo. Seja através da leitura de um livro sobre o assunto, pesquisas, assistindo vídeos ou mesmo através da ajuda profissional.
5 sinais clássicos que você se cobra demais

5 sinais clássicos que você se cobra demais

Como lidar com a sensação incômoda de autocobrança excessiva? Como lidar com aquela voz que fica na nossa cabeça falando “você deveria ter feito isso”, “eu deveria dar conta… “você não podia ter feito aquilo”, “você podia ter feito diferente”, “porque eu sou assim?”, dentre outras tantas frases de cobrança que nós mesmos fazemos conosco.

6 dicas para lidar com a traição

A descoberta de uma traição é capaz de transformar qualquer relacionamento amoroso, seja namoro ou casamento. A vida do casal pode mudar para melhor ou piorar consideravelmente, mas, com certeza, nunca mais será a mesma.
Leia mais

3 estratégias para controlar seu dinheiro

Ser positivo é algo muito bom, porém quando falamos de dinheiro, devemos ser realistas e conhecer bem a nossa própria condição financeira. Por isso, ter inteligência emocional nas finanças se torna algo tão importante.
Leia mais

5 sinais clássicos que você se cobra demais

Como lidar com a sensação incômoda de autocobrança excessiva? Como lidar com aquela voz que fica na nossa cabeça falando “você deveria ter feito isso”, “eu deveria dar conta… “você não podia ter feito aquilo”, “você podia ter feito diferente”, “porque eu sou assim?”, dentre outras tantas frases de cobrança que nós mesmos fazemos conosco.
Leia mais

Geração Tik Tok: 3 vícios do momento

Uma tela de celular, um vídeo vertical e um minuto da sua vida. Esses três elementos são a essência do Tik Tok, a rede social de vídeos curtos que está viciando os jovens e já mudou os hábitos de consumo de vídeos de milhares de usuários. Você abre às 19h, e quando olha para o relógio novamente, já se passou uma hora.
Leia mais
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This