Transtornos comportamentais infantis podem persistir na vida adulta

Transtornos comportamentais infantis podem persistir na vida adulta!

Atualizado em 18/06/2015
Por Redatora Casule

Transtornos comportamentais infantis podem persistir na vida adulta!

Atualizado em 18/06/2015
Por Redatora Casule
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Transtornos comportamentais infantis podem persistir na vida adulta!

Aproximadamente 5% dos casos são carregados após a infância

Ao falar em Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), muitas vezes pensa-se exclusivamente em crianças. Porém, esses distúrbios podem fazer parte do diagnóstico de um adolescente ou de um adulto que carregou consigo os sintomas ao longo dos anos. A análise é da médica especializada em pediatria e neurologia, e membro do Comitê de Neuro da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul, Magda Lahorgue Nunes.

— Atualmente, esse diagnóstico é feito em torno de seis a sete anos de idade, sendo que alguns casos os sintomas já podem ser percebidos antes. O que é interessante é que antes se pensava que era exclusividade de crianças e percebe-se que agora podem ser observados também na vida adulta — afirma a médica.

Estudos mostram que o TDAH, com base em uma média mundial, possa chegar a 5,5 casos em cada mil crianças, índice considerado alto. Em aproximadamente 4% a 5% dos casos pode persistir na vida adulta. Os sintomas mais comuns são desatenção, atividade motora excessiva e impulsividade. Esses sinais podem aparecer separadamente ou de forma mista. Por se tratar de características comuns no comportamento infantil, o diagnóstico torna-se mais difícil.

— Muitas vezes, pode acontecer um subdiagnóstico ou um diagnóstico extrapolado, dependendo de como se avalia. Outro desafio é que não há um marcador biológico, ou seja, não há um exame clínico que se faça para dizer se é ou não é um transtorno comportamental. Trata-se de uma avaliação baseada em sintomas — completa Magda.

terapia-online-casule-banner

O tratamento é feito a base de medicamentos e manejos que podem ser bem comuns como, por exemplo, colocar a criança mais à frente na sala de aula ou promover o aumento de supervisão. Também é importante avaliar se existe alguma comorbidade, pois outros transtornos comportamentais podem ser associados.

— Um alerta é não achar que o medicamento resolve tudo. O tratamento é importante, mas está dentro de um contexto que inclui modificação e auxílio na organização da vida da criança impondo rotina e limites — completa Magda.

Um dos fatores considerados na avaliação é de que os problemas precisam acontecer em três diferentes ambientes sociais. Por exemplo: se só acontece na escola e não ocorre em casa, ou vice-versa, é possível desconfiar que não é uma doença em si, mas sim a ocorrência de fatos isolados.

FONTE: http://zh.clicrbs.com.br/rs/vida-e-estilo/vida/noticia/2013/09/transtornos-comportamentais-infantis-podem-persistir-na-vida-adulta-4264022.html

Guia com as 15 Técnicas para reduzir a ansiedade
Sou focada em achar o melhor conteúdo que já foi publicado na rede e trazer informações que são relevantes e agregam valor para você.
Casule Play

Transtornos comportamentais infantis podem persistir na vida adulta!

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre Transtornos comportamentais infantis podem persistir na vida adulta!, você pode  agendar o seu horário clicando aqui. Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Redatora Casule, aqui no Blog.
Sou focada em achar o melhor conteúdo que já foi publicado na rede e trazer informações que são relevantes e agregam valor para você.

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários sua opinião sobre: Transtornos comportamentais infantis podem persistir na vida adulta!.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

5 sinais clássicos que você se cobra demais

5 sinais clássicos que você se cobra demais

Como lidar com a sensação incômoda de autocobrança excessiva? Como lidar com aquela voz que fica na nossa cabeça falando “você deveria ter feito isso”, “eu deveria dar conta… “você não podia ter feito aquilo”, “você podia ter feito diferente”, “porque eu sou assim?”, dentre outras tantas frases de cobrança que nós mesmos fazemos conosco.

3 estratégias para controlar seu dinheiro

Ser positivo é algo muito bom, porém quando falamos de dinheiro, devemos ser realistas e conhecer bem a nossa própria condição financeira. Por isso, ter inteligência emocional nas finanças se torna algo tão importante.
Leia mais

5 sinais clássicos que você se cobra demais

Como lidar com a sensação incômoda de autocobrança excessiva? Como lidar com aquela voz que fica na nossa cabeça falando “você deveria ter feito isso”, “eu deveria dar conta… “você não podia ter feito aquilo”, “você podia ter feito diferente”, “porque eu sou assim?”, dentre outras tantas frases de cobrança que nós mesmos fazemos conosco.
Leia mais

Geração Tik Tok: 3 vícios do momento

Uma tela de celular, um vídeo vertical e um minuto da sua vida. Esses três elementos são a essência do Tik Tok, a rede social de vídeos curtos que está viciando os jovens e já mudou os hábitos de consumo de vídeos de milhares de usuários. Você abre às 19h, e quando olha para o relógio novamente, já se passou uma hora.
Leia mais
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This