pessoa sobrecarregada

Síndrome de Burnout: O estresse ocupacional/assistencial crônico

Atualizado em 21/08/2017
Por Redatora Casule

Síndrome de Burnout: O estresse ocupacional/assistencial crônico

Atualizado em 21/08/2017
Por Redatora Casule
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Síndrome de Burnout: O estresse ocupacional/assistencial crônico

Todos sabemos que o trabalho gera competição e um certo nível de estresse, que em níveis adequados podem nos auxiliar a tomar decisões, portanto, este quadro pode se agravar e gerar sintomas muito mais complexos. A Síndrome de Burnout é caracterizada por sintomas e sinais de exaustão física, psíquica e emocional, em decorrência da má adaptação do indivíduo a um trabalho prolongado, altamente estressante e com grande carga tensional. Acompanha-se de sentimento de frustração em relação a si e ao trabalho. A síndrome se manifesta especialmente em pessoas cuja profissão exige envolvimento interpessoal direto e intenso. Profissionais das áreas de educação, saúde, assistência social, recursos humanos, agentes penitenciários, bombeiros, policiais e mulheres que enfrentam dupla jornada correm risco maior de desenvolver o transtorno, além de cuidadores ou mães de filhos com limitações físicas ou psicológicas.

O Burnout tem sido considerado como resultante da vivência profissional em um contexto de relações sociais complexas, envolvendo a representação que a pessoa tem de si e dos outros. O trabalhador que antes era muito envolvido afetivamente com os seus clientes, pacientes ou com as atividades em si, desgasta-se, desiste, perde a energia ou se consome por completo, isto deve-se especialmente ao acúmulo de tarefas, cobranças excessivas, perfeccionismo e foco no trabalho como fonte exclusiva de prazer.

terapia-online-casule-banner

Os sintomas mais comuns são fadiga, cansaço constante, distúrbios do sono, dores musculares e de cabeça, irritabilidade, alterações de humor e de memória, dificuldade de concentração, falta de apetite, depressão e perda de iniciativa. A Síndrome de  Burnout caracteriza-se por três dimensões:

  • Exaustão Emocional: Falta ou carência de energia, entusiasmo e um sentimento de esgotamento de recursos.
  • Despersonalização: Tentativa de distanciamento entre o indivíduo e os destinatários do serviço (usuários/clientes) ou ainda a “perda do sentimento” de que estamos lidando com outro ser humano.
  • Envolvimento Pessoal ou Realização Profissional: Tendência do trabalhador a se auto-avaliar de forma negativa. As pessoas sentem-se infelizes consigo próprias e insatisfeitas com sua performance profissional.

Diagnóstico e tratamento:

Por ser uma síndrome e apresentar uma diversidade grande de sintomas, seu diagnóstico pode ser mais complexo que outros distúrbios emocionais e se desdobrar em outras hipóteses diagnósticas, como outros tipos de estresse, fadiga crônica, problemas dermatológicos, do sistema nervoso ou digestivo, ou transtornos mentais, como ansiedade e a depressão. Para detectar a síndrome, deve-se fazer um exame minucioso e analisar se os problemas enfrentados estão relacionados ao ambiente de trabalho ou à profissão. É necessário avaliar se é o ambiente profissional que causa o estresse ou se são as atitudes do próprio indivíduo que causam os sintomas.

É fundamental que se faça o acompanhamento psicológico/psiquiátrico para amenizar o sofrimento. São priorizados alguns temas de trabalho durante a psicoterapia, que se resumem na relação do sujeito com sua ocupação/profissão, o ambiente de trabalho no qual ele está inserido e o trabalho com foco nos sintomas – por exemplo, a dificuldade de concentração ou perda de interesse. É importante ressaltar que uma alimentação adequada, boa qualidade de sono e prática de atividades físicas podem auxiliar no sucesso do tratamento.

Guia com as 15 Técnicas para reduzir a ansiedade
Sou focada em achar o melhor conteúdo que já foi publicado na rede e trazer informações que são relevantes e agregam valor para você.
Casule Play

Síndrome de Burnout: O estresse ocupacional/assistencial crônico

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre Síndrome de Burnout: O estresse ocupacional/assistencial crônico, você pode  agendar o seu horário clicando aqui. Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Redatora Casule, aqui no Blog.
Sou focada em achar o melhor conteúdo que já foi publicado na rede e trazer informações que são relevantes e agregam valor para você.

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários sua opinião sobre: Síndrome de Burnout: O estresse ocupacional/assistencial crônico.

0 comentários

A mulher em cada fase do ciclo menstrual

Mulher, você sente que seu humor muda muito em cada momento do mês? Isso pode estar relacionado a cada fase do ciclo menstrual. Venha ver esse vídeo, se conhecer e entender como agir em cada momento desta fase.
Leia mais

Vivendo no piloto automático

Você sabia que você pode estar vivendo no piloto automático? No vídeo de hoje vamos falar sobre como podemos ter pensamentos, sentimentos e comportamentos sem mesmo nos darmos conta que eles estão lá!
Leia mais

As 5 linguagens do autoamor

Neste vídeo, Cris Schumann fala sobre as 5 linguagens do autoamor e a como desenvolver uma admiração e valorização maior sobre si mesmo.
Leia mais
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This