terapia-online-casule

Cleptomania: Sintomas e implicações clínicas

Atualizado em 04/07/2017
Por Redatora Casule

Cleptomania: Sintomas e implicações clínicas

Atualizado em 04/07/2017
Por Redatora Casule
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Cleptomania: Sintomas e implicações clínicas

A Cleptomania, também denominada furto compulsivo, está classificada nos Transtornos Disruptivos, do Controle de Impulsos e da Conduta, de acordo com a quinta edição do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM 5) da American Psychiatric Association (APA, 2014).

Sua característica fundamental é a falha recorrente em resistir aos impulsos de furtar itens, ainda que eles não sejam necessários para uso pessoal. O sujeito sente uma necessidade incontrolável e patológica de subtrair o objeto de terceiros, mesmo que possua condições financeiras para obtê-lo licitamente, tanto que suas práticas bastante comuns são a devolução do que foi roubado ou a coleção desses objetos, demonstrando que a finalidade do furto não é necessariamente o lucro financeiro ou a utilização das peças.

O ato de roubar não é cometido para expressar raiva ou vingança, não é realizado em resposta a um delírio ou a uma alucinação e é executado sem colaboração de terceiros.

O cleptomaníaco experimenta uma sensação crescente de tensão antes do furto e sente prazer, gratificação ou alívio quando toma posse do objeto, junto a isso leva a um intenso sentimento de culpa, vergonha, ansiedade e remorso. Os indivíduos com cleptomania sofrem prejuízo significativo em ambientes sociais e ocupacionais.

É comum que os pacientes relatem pensamentos intrusivos e impulsos relacionados ao ato de furtar que interferem em sua capacidade de concentração em casa e no trabalho, podendo elevar os níveis de absenteísmo daqueles que possuem o transtorno, tanto pelo medo de ir ao trabalho e cometer o furto, tanto por faltar ao trabalho para praticar o ato.

Dessa forma, não é surpreendente que eles também relatem uma qualidade de vida ruim, por passarem a evitar ambientes sociais, acadêmicos e profissionais que possam dar margem ao ato e a possíveis hostilizações. É comum que essas pessoas apresentem outros distúrbios mentais, como Depressão, Transtorno Bipolar, Transtornos de Ansiedade e etc.

terapia-online-casule-banner

A grande questão é que o indivíduo executa atos que sua própria consciência desaprova no intuito de obter conforto emocional. Ainda que seja um transtorno raro, poucos procuram tratamento ou só o fazem quando são pegos roubando. Os tratamentos combinados utilizando a Terapia Cognitivo Comportamental e o uso de medicação tem sido os mais indicados para amenizar os sintomas da Cleptomania e fazer com o que o sujeito passe a ter uma vida mais saudável e funcional.

Embora as pessoas com esse transtorno geralmente não pratiquem o ato de roubar quando existe a probabilidade de flagrante, não costumam planejar com antecedência os furtos ou levar totalmente em conta as chances de serem pegas, o que resulta em consequências legais significativas pelo seu comportamento.

Estudos têm relatado que 64% a 87% dos pacientes de cleptomania têm um histórico de serem pegos furtando. Ainda que a maioria das apreensões não resulte em condenações com privação de liberdade, evidências iniciais sugerem que 15% a 23% dos pacientes de cleptomania sofreram este tipo de condenação por furtarem (McElroy et al., 1991; Grant & Kim, 2002).

É importante ressaltar que o roubo de dinheiro ou de outros objetos de valor que tenham uma intenção de ganho financeiro não é um sintoma da Cleptomania.

A família não deve acobertar a pessoa; caso o furto aconteça em uma loja, deve-se pagar pelo objeto, ou em casos em que o item é subtraído da casa de alguém ou do trabalho, ele deve ser devolvido.

O ideal é que a família não julgue em um primeiro momento, mas ofereça ajuda.

Guia com as 15 Técnicas para reduzir a ansiedade
Sou focada em achar o melhor conteúdo que já foi publicado na rede e trazer informações que são relevantes e agregam valor para você.
Casule Play

Cleptomania: Sintomas e implicações clínicas

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre Cleptomania: Sintomas e implicações clínicas, você pode  agendar o seu horário clicando aqui. Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Redatora Casule, aqui no Blog.
Sou focada em achar o melhor conteúdo que já foi publicado na rede e trazer informações que são relevantes e agregam valor para você.

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários sua opinião sobre: Cleptomania: Sintomas e implicações clínicas.

0 comentários

5 sinais clássicos que você se cobra demais

5 sinais clássicos que você se cobra demais

Como lidar com a sensação incômoda de autocobrança excessiva? Como lidar com aquela voz que fica na nossa cabeça falando “você deveria ter feito isso”, “eu deveria dar conta… “você não podia ter feito aquilo”, “você podia ter feito diferente”, “porque eu sou assim?”, dentre outras tantas frases de cobrança que nós mesmos fazemos conosco.

Entenda o caso: mulher flagrada com mendigo

A notícia do envolvimento de uma mulher com um morador de rua trouxe muita repercussão na mídia. A mulher foi extremamente exposta e o morador de rua infelizmente teve "dias de glória". Mas o que pode explicar esse surto que a mulher teve? Neste vídeo, a Dra. Cristiane Schumann levanta algumas hipóteses e explica o que é transtorno bipolar do humor com sintomas psicóticos, em estado hipomaníaco. Lembrando que o mais importante é que saúde mental da mulher seja reabilitada e as pessoas esqueçam rápido o que aconteceu e a ajude nesse processo de recuperação.
Leia mais

Perigo! Exercícios em excesso

Neste vídeo, a Dra Cristiane Schumann fala sobre vigorexia. Um transtorno onde já uma distorção da imagem corporal e a pessoa tende a se ver menos “forte” do que ela realmente é. Com isto, há uma necessidade constante por musculação, atividade física em busca de um corpo muscularmente perfeito.
Leia mais

A importância de dizer ‘não’

Você é o amigo bonzinho que diz sim pra todo mundo? Muitas pessoas apresentam essa dificuldade de dizer não e isso pode atrapalhar nossa vida de várias maneiras. Nesse vídeo eu vou te mostrar a a importância de dizer não e te ajudar a falar sim pra você mesmo!
Leia mais
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This