Como-conviver-com-a-minha-ansiedade-blog-casule

Como conviver com a minha ansiedade?

Atualizado em 13/03/2020
Por Renata Giovannini

Como conviver com a minha ansiedade?

Atualizado em 13/03/2020
Por Renata Giovannini
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Como conviver com a minha ansiedade?

Ouvimos o tempo todo que “A ansiedade é o mal do século” e que os índices de pessoas com ansiedade ou transtorno de ansiedade generalizada cresce cada vez mais no Brasil.

Por essa razão, as redes sociais estão cada vez mais cheias de “instruções” sobre como lidar com a Ansiedade. Mas, alguém já te orientou sobre o “porquê” dessa ansiedade?

Quando identificamos os motivos de algo que nos traz prejuízo, estamos aprendendo de forma simples a “o problema”. 

Já sabemos que a ansiedade negativa é algo que entra em nossa vida e toma conta de nós sem que a gente queira. Ela distorce a nossa realidade, os nossos pensamentos, e o dia parece que passa em um único minuto. A noite se torna longa e parece não ter fim. É uma tempestade de pensamentos em nossa cabeça, nos dizendo a todo momento que não somos capazes ou não vamos dar conta.

Da mesma forma que os sintomas de ansiedade são decorrentes de situações comuns, as crises de ansiedade também são desencadeadas por situações cotidianas. Por essa razão é muito importante saber identificar quais são essas situações, para saber como vamos lidar com ela.

Precisamos primeiramente saber o que a desencadeou e quais foram as situações que te levaram a ter os sintomas físicos, psíquicos e comportamentais de uma crise de ansiedade. Mas essa identificação nem sempre é fácil, não é mesmo? Na hora da crise ficamos tão atordoados com o que estamos sentindo, que nos encontramos perdidos em pensamentos negativos e acelerados, e não conseguimos desfocar a nossa atenção para outra coisa, como a identificação dos eventos. Muitas vezes não conseguimos nem sequer reconhecer que o que estamos sentindo é uma crise de ansiedade.

Porém, a identificação da situação desencadeadora é o que nos ajuda a evitar novos momentos de crise. Uma dica é registrar alguns tópicos como:

1. Aonde você estava quando surgiu a crise?

2. O que você estava fazendo ou qual atividade estava sendo realizada?

terapia-online-casule-banner

3. Quem estava com você neste momento?

4. Como você se sentiu?

5. como a crise de ansiedade passou?

Depois de fazer essas anotações simples, tente pensar em outras formas de interpretar tal situação. Faça algumas perguntas para você mesmo, como:

1. posso pensar de outra forma?

2. qual evidência eu tenho de que meus pensamentos/sensações são reais?

3. o que eu estou fazendo que está aumentando a minha ansiedade?

4. qual benefício essa situação vai me trazer?

Respondendo essas perguntinhas rápidas você vai começar a “conhecer” a sua ansiedade negativa e perceber ainda como fazer para evitá-la. A partir do momento que você adquire controle sobre ela, passa a ter controle também dos seus pensamentos negativos, evitando recaídas e conseguindo focar sua atenção em coisas materiais, no ambiente ao redor, e em outras situações ou outros tipos de pensamentos.

Guia com as 15 Técnicas para reduzir a ansiedade
Casule Play

Como conviver com a minha ansiedade?

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre Como conviver com a minha ansiedade?, você pode  agendar o seu horário clicando aqui. Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Renata Giovannini, aqui no Blog.
Psicóloga, Terapeuta Cognitivo Comportamental, pós graduada em Avaliação Psicológica. Encantada pela profissão e pelo cuidado com o outro. Conheça o meu Instagram. | Clique para marcar uma consulta comigo

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários sua opinião sobre: Como conviver com a minha ansiedade?.

0 comentários

Como tratar a Fobia Social
Como tratar a Fobia Social

Como tratar a Fobia Social

A ansiedade ou fobia social é quando a pessoa no contato social, no contato com o outro tem o seu objeto fóbico de medo, de ansiedade. Assim, qualquer circunstância que ela precise se expor a uma situação social desde as mais simples, como por exemplo, cumprimentar alguém, fazer ou receber um elogio, ela já sente uma ansiedade extrema e com sintomas físicos.
Fome fisiológica versus Fome emocional
Fome fisiológica x Fome emocional

Fome fisiológica x Fome emocional

Não é incomum se deparar com situações e períodos estressantes na vida da maioria das pessoas e uma das primeiras consequências é sair da dieta. Por essa razão a fome fisiológica (homeostática) muitas vezes pode ser confundida com a fome emocional (hedônica). E como diferenciá-las?

O tripé da Autoestima?

Autoestima é um dos assuntos mais falados no momento. E, apesar de aparecer sempre muito atrelado à autoimagem (forma como o indivíduo se enxerga), ela é muito mais que isso.
Leia mais
O tripé da Autoestima

Dicas para lidar com a insônia

Você sabia que os nossos comportamentos e atitudes durante o dia estão totalmente ligados com o nosso sono? Por isso, nesse vídeo, abordei quais são os tipos de insônia, e sugeri algumas mudanças para que você pode adaptar a sua rotina, e como consequência, melhorar a qualidade do seu sono.
Leia mais
Dicas-para-lidar-com-a-Insônia

Objetivos da Orientação Profissional

A Orientação Profissional é um processo de avaliação que auxilia qualquer pessoa, independente da idade, a escolher uma faculdade ou um curso profissionalizante, e até mesmo mudar de carreira.
Leia mais
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This