Alinhar,-ordenar,-organizar--Quando-isso-passa-a-ser-uma-doença----casule

Alinhar, ordenar, organizar: Quando isso passa a ser uma doença?

Atualizado em 03/02/2018
Por Nayara Benevenuto

Alinhar, ordenar, organizar: Quando isso passa a ser uma doença?

Atualizado em 03/02/2018
Por Nayara Benevenuto
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Alinhar, ordenar, organizar: Quando isso passa a ser uma doença?

Obsessões e compulsões por alinhamento, simetria, sequências, ordenamento e repetições são sintomas muito comuns do Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC), podendo atingir metade dos indivíduos com esse transtorno. Nesse caso, o indivíduo tem sensações ou experiências emocionais desagradáveis, que são sentidas quando as coisas estão fora do lugar ou desalinhadas, ou, ainda, tem preocupações no sentido de que as coisas estejam “certas” ou “direitas”. Esses pensamentos são seguidos de atos mentais ou motores realizados com a finalidade de colocar as coisas em ordem ou na posição “correta”, até que seja restabelecida a sensação de exatidão ou segurança em relação ao lugar que as coisas ocupam.

Ao contrário dos outros tipos de TOC, os pensamentos não são catastróficos ou negativos, mas há experiências físicas ou sensações desagradáveis, tais como pensamentos invasivos “preciso colocar aquilo no lugar” ou “isso está no lugar errado”, que levam o indivíduo a executar rituais de simetria, ordenamento ou alinhamento. Sendo assim, percebe-se que a sensação desagradável leva a um comportamento compulsivo ou a um ritual.

As pessoas acometidas com TOC possuem um enorme incômodo com a percepção de que determinada coisa não se encontra idealmente organizada ou “certa”, o que as leva a realizar atos repetidos (compulsões ou rituais) de ordenamento, até que os objetos estejam no “lugar certo” e, consequentemente, o desconforto desapareça, diminuindo a ansiedade. Como exemplos, tem-se alinhar objetos na parede, alinhas os cabides, esticar o lençol, organizar coisas por tamanho e cor, organizar os alimentos no prato de modo que não se misturem e preocupar-se com o alinhamento perfeito de determinado objeto em relação a outros no ambiente.

terapia-online-casule-banner

Quando isso passa a ser uma doença?

A consequência prática de tais comportamentos é a demora na realização de tarefas – a chamada lentidão obsessiva – que acaba por gerar o comprometimento das relações interpessoais, conflitos familiares e a diminuição do desempenho na realização de tarefas, uma vez que o indivíduo dedica muito mais tempo ao TOC do que a si mesmo, seu trabalho e sua vida afetiva, muitas vezes por não conseguir entender a desfuncionalidade de seu comportamento.

O TOC também pode se manifestar sob a forma de comportamentos repetitivos, muitas vezes sem sentido, tais como contagens; necessidade de fazer algo várias vezes, geralmente em uma mesma sequência etc. Assim, além da simetria, é comum que haja determinado comportamento sequencial, seguindo a mesma ordem repetidamente para a realização de tarefas como passar roupas e tomar banho. Ademais, é comum que pacientes com esse tipo de TOC apresentem sintomas que não possuem um critério logicamente justificado para a orientação de seu comportamento.

A Terapia Cognitivo-Comportamental tem-se mostrado eficaz na redução dos sintomas do TOC, sobretudo quando da adoção de técnicas comportamentais, haja vista que o foco principal é a sensação de desconforto. São empregadas técnicas comportamentais como a exposição e prevenção de respostas, psicoeducação, experimentos comportamentais e reestruturação cognitiva das crenças disfuncionais, do TOC, e do perfeccionismo, entre outros.

Guia com as 15 Técnicas para reduzir a ansiedade
PSICÓLOGA Especialista em terapia cognitiva-comportamental com adultos e tem formação em terapia cognitiva sexual além de atuar na avaliação bariátrica. Clique para marcar uma consulta comigo
Casule Play

Alinhar, ordenar, organizar: Quando isso passa a ser uma doença?

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre Alinhar, ordenar, organizar: Quando isso passa a ser uma doença?, você pode  agendar o seu horário clicando aqui. Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Nayara Benevenuto, aqui no Blog.
PSICÓLOGA Especialista em terapia cognitiva-comportamental com adultos e tem formação em terapia cognitiva sexual além de atuar na avaliação bariátrica. Clique para marcar uma consulta comigo

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários sua opinião sobre: Alinhar, ordenar, organizar: Quando isso passa a ser uma doença?.

0 comentários

8 Dicas para melhorar a sua autoestima

8 Dicas para melhorar a sua autoestima

Tem dias que você acorda e não se sente satisfeito com o que é? Não consegue sentir orgulho do que faz e das suas conquistas? Tem dificuldade de enxergar seus pontos fortes e suas qualidades? Pois é, você pode estar com baixa autoestima e isso é muito comum de acontecer. Buscar meios para melhorar a autoestima é um grande passo. Seja através da leitura de um livro sobre o assunto, pesquisas, assistindo vídeos ou mesmo através da ajuda profissional.
5 sinais clássicos que você se cobra demais

5 sinais clássicos que você se cobra demais

Como lidar com a sensação incômoda de autocobrança excessiva? Como lidar com aquela voz que fica na nossa cabeça falando “você deveria ter feito isso”, “eu deveria dar conta… “você não podia ter feito aquilo”, “você podia ter feito diferente”, “porque eu sou assim?”, dentre outras tantas frases de cobrança que nós mesmos fazemos conosco.

6 dicas para lidar com a traição

A descoberta de uma traição é capaz de transformar qualquer relacionamento amoroso, seja namoro ou casamento. A vida do casal pode mudar para melhor ou piorar consideravelmente, mas, com certeza, nunca mais será a mesma.
Leia mais

3 estratégias para controlar seu dinheiro

Ser positivo é algo muito bom, porém quando falamos de dinheiro, devemos ser realistas e conhecer bem a nossa própria condição financeira. Por isso, ter inteligência emocional nas finanças se torna algo tão importante.
Leia mais

5 sinais clássicos que você se cobra demais

Como lidar com a sensação incômoda de autocobrança excessiva? Como lidar com aquela voz que fica na nossa cabeça falando “você deveria ter feito isso”, “eu deveria dar conta… “você não podia ter feito aquilo”, “você podia ter feito diferente”, “porque eu sou assim?”, dentre outras tantas frases de cobrança que nós mesmos fazemos conosco.
Leia mais

Geração Tik Tok: 3 vícios do momento

Uma tela de celular, um vídeo vertical e um minuto da sua vida. Esses três elementos são a essência do Tik Tok, a rede social de vídeos curtos que está viciando os jovens e já mudou os hábitos de consumo de vídeos de milhares de usuários. Você abre às 19h, e quando olha para o relógio novamente, já se passou uma hora.
Leia mais
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This