Mudar de carreira - psicóloga Joana - Casule
Os cuidados na hora de mudar de carreira
9 de julho de 2018
quando-procurar-um-nutricionista-nutrição-casule
Quando devo procurar um nutricionista? (Vídeo Completo)
10 de julho de 2018

Atuação fonoaudiológica no câncer de cabeça e pescoço

Prevenção-contra-o-câncer---fonoaudióloga---Flávia---Casule

Durante o mês de julho é realizada uma campanha nacional de conscientização para a prevenção e o combate ao câncer de cabeça e pescoço denominada Julho Verde. Os tumores de cabeça e pescoço podem atingir boca, língua, palato mole ou duro, gengivas, bochechas, amígdalas, faringe, laringe, esôfago, tireoide e seios paranasais.

Fatores de risco

Os principais fatores de risco para o desenvolvimento desse tipo de câncer são:

– tabagismo

– consumo de álcool

– infecções por papilomavírus (HPV)

Sinais e sintomas

O diagnóstico tardio acontece em mais de 60% dos casos, muitas vezes porque os tumores de cabeça e pescoço podem não apresentar sintomas no início do seu desenvolvimento. Porém, o diagnóstico tardio dificulta o tratamento, diminuindo as chances de cura. Por isso é tão importante a conscientização sobre os fatores de risco, sua prevenção e a identificação dos sintomas precocemente.

É importante ficar atento aos seguintes sintomas:

– feridas na boca que demoram a cicatrizar

– manchas brancas na boca

– nódulos no pescoço

– mudança na voz e rouquidão por mais de 15 dias

– dificuldade para engolir

Incidência

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer, a cada ano surgem 43 mil novos casos de câncer de cabeça e pescoço no Brasil. Entre as mulheres, os tumores malignos da tireoide são o tipo mais comum, sendo o quinto tipo de câncer mais comum entre elas, enquanto o câncer de cavidade oral é o tipo de tumor maligno de cabeça e pescoço mais comum entre os homens brasileiros, sendo o segundo tipo de câncer mais comum entre eles, ficando atrás apenas do câncer de próstata.

Consequências

Só os cânceres de laringe e cavidade oral contabilizam cerca de 10 mil mortes por ano no Brasil, sendo que os indivíduos que sobrevivem enfrentam diversas complicações que afetam significativamente sua qualidade de vida durante e após o tratamento.

Algumas das consequências mais comuns são alterações na fala, na voz e na deglutição, uma vez que a prática adotada durante o tratamento do câncer de cabeça e pescoço (cirurgia, radioterapia e/ou quimioterapia) pode levar à paralisia das pregas vocais, diminuição do olfato e do paladar, diminuição da produção de saliva, edema da laringe, inflamação da mucosa da cavidade oral, fibrose, entre outras sequelas. O tratamento fonoaudiológico realizado na reabilitação dos pacientes com câncer de cabeça e pescoço visa otimizar a potencialidade das estruturas remanescentes e desenvolver mecanismos de compensação para as funções que estão prejudicadas, objetivando um padrão miofuncional o mais próximo possível do normal, contribuindo, dessa forma, na readaptação para uma alimentação segura e desenvolvendo estratégias para uma melhor comunicação do paciente.

Para saber um pouco mais sobre o câncer de cabeça e pescoço e a campanha Julho Verde, acesse: http://www.sbccp.org.br http://www.acbgbrasil.org/julhoverde/ 

Comentários

comentários

Flávia Henriques
Flávia Henriques
Fonoaudióloga do riso fácil e com um pé (e formação!) na Psicologia. Gosto de estudar, ver filmes e passar o tempo na internet.

Os comentários estão encerrados.

Marcar Consulta