A obesidade é considerada um preocupante problema de saúde pública tendo em vista seu crescente aumento e as consequências que pode acarretar. Conforme informações do Ministério da Saúde, os casos de obesidade tiveram um aumento de 60% em dez anos no Brasil entre 2006 e 2016, sendo que uma em cada cinco pessoas está acima do peso no país. Contudo, estar acima do peso não é sinônimo de estar obeso. O diagnóstico de obesidade deve vir a partir do cálculo do índice de massa corporal (IMC) por um profissional qualificado.

Uma vez identificada a obesidade, deve-se levar em conta que ela pode ser determinada por uma gama de fatores que envolvem componentes genéticos, metabólicos, endócrinos, sociais e psicológicos, entre outros, que devem ser devidamente investigados e trabalhados.

Participe e aprenda mais sobre bem-estarPowered by Rock Convert

Os aspectos psicológicos de pessoas obesas têm sido cada vez mais estudados e permitiram a percepção de que a obesidade cria uma enorme carga psicológica que, em termos de sofrimento, pode ser muitas vezes maior que outros efeitos adversos. Pessoas obesas apresentam maiores níveis de sintomas depressivos, ansiosos e alimentares, podendo estas psicopatologia terem aparecido antes da condição de obesidade ou como consequência desta.

Na prática clínica, a observação de fatores como cognições disfuncionais, desregulação afetiva, padrões comportamentais desadaptativos, como a função da alimentação para o alívio de sentimentos desagradáveis, além de pressões culturais, influenciam significativamente na aquisição e manutenção da obesidade, dificultando o processo de emagrecimento.

O acompanhamento multiprofissional é muito indicado para os casos de obesidade, com o objetivo de reduzir os riscos associados ao desenvolvimento de doenças secundárias e de proporcionar mudanças. No que tange o acompanhamento psicológico, mais especificamente a terapia cognitivo-comportamental, visa auxiliar na promoção de uma reestruturação cognitiva e desenvolvimento de recursos próprios para lidar com as dificuldades e buscar soluções mais funcionais para elas, promovendo a mudança e a manutenção de novos hábitos e estilo de vida.

Share This