Transtorno-Explosivo-Intermitente----casule

Transtorno Explosivo Intermitente

Atualizado em 05/02/2018
Por Redatora Casule

Transtorno Explosivo Intermitente

Atualizado em 05/02/2018
Por Redatora Casule
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Transtorno Explosivo Intermitente

A frustração é uma emoção universal que todos nós vivenciamos. Algumas pessoas, porém, sentem a frustração de forma desproporcional e exagerada com relação àquilo que a desencadeia e, dessa forma, respondem de forma exagerada à determinadas situações: sofrem do transtorno explosivo intermitente.

O transtorno explosivo intermitente (TEI) se caracteriza por uma dificuldade de algumas pessoas em gerenciar seus impulsos agressivos. Tal dificuldade acaba por levar esses indivíduos a terem comportamentos agressivos como ataques de raiva ou de fúria de forma desproporcional com a situação enfrentada. Esses atos ocorrem de forma impulsiva, ou seja, não premeditada, e incongruentes no que diz respeito a qualquer provocação real ou percebida, e possíveis consequências a serem enfrentadas.

Sabe-se os ataques agressivos consequentes do TEI não ocorrem devido ao uso de substâncias (como álcool, drogas ou medicamentos) e nem devido a qualquer outra condição médica ou psicológica. Porém, é importante considerar que existem relatos que afirmam que mudanças afetivas ocorrem antes de uma explosão, como alteração de humor, por exemplo, o que corrobora a dificuldade em caracterização específica desse transtorno que, muitas vezes, exibe comorbidade com demais transtornos do humor.

Os critérios diagnósticos desse transtorno de acordo com o DSM-V são:

 

  1. Explosões comportamentais recorrentes representando uma falha em controlar impulsos agressivos, conforme manifestado por um dos seguintes aspectos:
  2. Agressão verbal (p. ex., acessos de raiva, injúrias, discussões ou agressões verbais) ou agressão física dirigida a propriedade, animais ou outros indivíduos, ocorrendo em uma média de duas vezes por semana, durante um período de três meses. A agressão física não resulta em danos ou destruição de propriedade nem em lesões físicas em animais ou em outros indivíduos.
  3. Três explosões comportamentais envolvendo danos ou destruição de propriedade e/ou

agressão física envolvendo lesões físicas contra animais ou outros indivíduos ocorrendo

terapia-online-casule-banner

dentro de um período de 12 meses.

  1. A magnitude da agressividade expressa durante as explosões recorrentes é grosseiramente desproporcional em relação à provocação ou a quaisquer estressores psicossociais precipitantes.
  2. As explosões de agressividade recorrentes não são premeditadas (i.e., são impulsivas e/ou decorrentes de raiva) e não têm por finalidade atingir algum objetivo tangível (p. ex., dinheiro, poder,intimidação).
  3. As explosões de agressividade recorrentes causam sofrimento acentuado ao indivíduo ou prejuízo no funcionamento profissional ou interpessoal ou estão associadas a consequências financeiras ou legais.
  4. A idade cronológica é de pelo menos 6 anos (ou nível de desenvolvimento equivalente).
  5. As explosões de agressividade recorrentes não são mais bem explicadas por outro transtorno mental (p. ex., transtorno depressivo maior, transtorno bipolar, transtorno disruptivo da desregulação do humor, um transtorno psicótico, transtorno da personalidade antissocial, transtorno da personalidade borderline) e não são atribuíveis a outra condição médica (p. ex., traumatismo craniano, doença de Alzheimer) ou aos efeitos fisiológicos de uma substância (p. ex., droga de abuso, medicamento). No caso de crianças com idade entre 6 e 18 anos, o comportamento agressivo que ocorre como parte do transtorno de adaptação não deve ser considerado para esse diagnóstico.

 

Grande parte das pessoas com este transtorno acaba tendo problemas em seus relacionamentos, sejam amorosos, familiares, amizades, e até mesmo profissionais. A instabilidade e imprevisibilidade de explosões e possíveis ataques de raiva geram receio pra quem convive com esses indivíduos em função de nunca saberem quando podem passar por situações desagradáveis de brigas e/ou agressões e quais suas consequências. Assim, muitas pessoas acabam se afastando ou restringindo os laços, o que acaba limitando as relações de quem sofre com o transtorno.

Os ataques podem surgir de situações em que a pessoa é contrariada como em uma discussão com um colega, de quando se sente frustrada por não alcançar algo que desejava, de uma irritação por uma fila que está demorando a andar, ou até mesmo situações imaginárias em que a pessoa se sente injustiçada ou frustrada mesmo sem ter motivos racionais para isso. Os indivíduos diagnosticados com TEI relatam que suas explosões são breves (com duração inferior à uma hora), com uma variedade de sintomas corporais (sudorese, gagueira, aperto no peito, espasmos e palpitações). Os atos agressivos são acompanhados por uma sensação de alívio imediato e, posteriormente, na maioria dos casos, sentimento de arrependimento, culpa, vergonha ou tristeza após a explosão.

A terapia cognitivo comportamental pode auxiliar no tratamento desse transtorno. Assim, os pacientes se tornam capaz de identificar os primeiros sinais do aparecimento da raiva e criar alternativas para detê-la. Eistem várias possibilidades para criar, trabalhar e aperfeiçoar essas alternativas, ampliando as chances de sucesso do indivíduo no conrole de suas emoções e comportamentos impulsivos. Técnicas de relaxamento que ajudam a diminuir o estado geral de ansiedade também podem auxiliar, bem como medicamentos que equilibrem a serotonina que sejam prescritos por um psiquiatra que também acompanhe o caso.

O primordial é saber que, com consciência e racionalidade de que há um problema envolvido e com a busca de ajuda, é possível aprender a conduzir os impulsos e trazer melhora na qualidade de vida e bem estar.

Guia com as 15 Técnicas para reduzir a ansiedade
Casule Play

Transtorno Explosivo Intermitente

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre Transtorno Explosivo Intermitente, você pode  agendar o seu horário clicando aqui.


Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Redatora Casule, aqui no Blog.
Sou focada em achar o melhor conteúdo que já foi publicado na rede e trazer informações que são relevantes e agregam valor para você.

O que você achou deste conteúdo?
Conte nos comentários sua opinião sobre: Transtorno Explosivo Intermitente.


0 comentários

Trackbacks/Pingbacks

  1. Como deixa de ser impulsivo? • Casule • Saúde e Bem-estar - […] da personalidade anti-social, borderline, histriônica e narcisista, assim como transtorno explosivo intermitente, dependentes e transtorno afetivo bipolar, apresentam impulsividade…
Mães-Narcisistas
Mães Narcisistas

Mães Narcisistas

O termo “narcisismo” já faz parte da cultura ocidental há mais de século. Tem origem no mito grego de Narciso, rapaz jovem e orgulhoso cuja beleza era admirada por todos. Em uma caminhada ao lado de um rio, Narciso vê seu reflexo na água pela primeira vez. Apaixonado pela própria imagem, ele se mantém junto ao rio para melhor apreciá-la. Por recusar-se a abandoná-la, Narciso morre no local, admirando a si mesmo.
Insonia
Insônia

Insônia

Algumas pessoas enfrentam dificuldades na hora de dormir, seja para iniciar ou manter o sono, como por exemplo, acordam muito mais cedo do que estão habituadas e não conseguem voltar a dormir, acordam no meio da noite ou dormem durante toda a noite e acordam com a sensação de cansaço. Assim, a insônia é caracterizada como a incapacidade de conciliar o sono, seja para adormecer ou permanecer dormindo. “É possível identificar suas causas?” Sim, em sua maioria são consideradas psicofisiológicas.
Ensine seu filho(a) a lidar com as emoções
Ensine seu filho(a) a lidar com as emoções

Ensine seu filho(a) a lidar com as emoções

As crenças dos pais e cuidadores influenciam diretamente em como as crianças irão enxergar o mundo, o outro e principalmente a si mesmas. Todos nós temos nossos medos, ansiedades, sentimos raiva, tristeza e para cada um de nós as emoções têm uma intensidade, um significado e um motivo para que elas se expressem. Ensinar os pequenos a reconhecer as emoções, é muito importante para que tenhamos pessoas mais inteligentes emocionalmente.

Metáfora do alarme desregulado e a ansiedade

Pra que serve um alarme em casa? Para dar segurança e avisar quando a casa é invadida, por exemplo. Imagina se esse alarme está desregulado e ele começa a disparar quando não tem invasão ou até mesmo quando um amigo seu vem te visitar.
Leia mais
Metáfora do alarme desregulado e a ansiedade blog casule

O que é a terapia de Aceitação e Compromisso (ACT) e como ela pode te ajudar

A Terapia de Aceitação e Compromisso ou ACT (Acceptance and Commitment Therapy) foi desenvolvida nos Estados Unidos pelo psicólogo Steven Hayes e por seus colegas Kelly Wilson e Kirk Strosahl. Ela tem se mostrado altamente eficaz na solução de uma série de problemas, desde depressão, ansiedade, dor crônica e até mesmo vício em drogas.
Leia mais

Por que não dá para fugir do que te causa ansiedade?

Um comportamento muito comum em quem sofre de ansiedade é fugir do que a causou. Para uma pessoa que tem medo de falar em público – que tem crises de ansiedade só de pensar que vai estar na frente de uma plateia falando sobre algum assunto – recusar um convite para dar a palestra vai trazer um alívio imediato dos sintomas. Mas será que o problema foi resolvido?
Leia mais

Quando eu devo perdoar meu parceiro?

A reposta para esta pergunta é SEMPRE! Sempre Cris? Mas ele não merece!!! O perdão não é para ele… porque ele merece… é para você! Porque você merece PAZ! Te explico melhor aqui neste vídeo. Vem Comigo!!!
Leia mais

Como ter inteligência emocional?

Quanto maior a inteligência emocional, maior a qualidade das relações e interações sociais. Você já parou para pensar como podemos ter mais inteligência emocional?
Leia mais

Rede Social x Saúde Mental

Existem muitas pesquisas que relacionam problemas de saúde mental, principalmente depressão e ansiedade, com o uso excessivo das redes sociais. Mas o que acontece para que um número cada vez maior de pessoas se sinta atraída como se estivessem hipnotizadas, mesmo sabendo o quanto esse hábito em excesso pode ser prejudicial à saúde mental?
Leia mais

Como lidar com a Ansiedade diante da chegada de um Novo Ano?

A chegada do Ano Novo traz consigo a ideia de Recomeço! Para muitas pessoas, representa esperança, prosperidade e expectativas positivas para ”uma nova vida”. Nessa época, também é comum nos sentirmos ansiosos pela vontade de renovação e mudança. Mas, não podemos nos esquecer que a Ansiedade é uma sensação normal e nem sempre ruim. Ela faz parte do nosso instinto de proteção e nos prepara para lidar com as situações de perigo ou estresse.
Leia mais
Como lidar com a Ansiedade diante da chegada de um Novo Ano

Você reclama demais?

Você já parou para reparar quantas vezes você reclamou hoje? O nosso dia a dia está cada vez mais cheio de obrigações e afazeres. Muitas vezes o cansaço e as preocupações fazem com que façamos das reclamações um hábito. Se você se identificou com esse conteúdo, assista ao vídeo.
Leia mais
Voce Reclama Demais blog casule

Como sair do efeito platô?

Você já percebeu que, no processo de emagrecimento, a perda de peso costuma ser ótima nos primeiros meses, mas depois estaciona? Por que será que isso acontece? E como evitar tal efeito platô e continuar a ter resultados? É isso que a nutricionista Isa Polastri explica no vídeo de hoje.
Leia mais
Como-sair-do-efeito-plato-BLOG
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This