Temos por hábito afirmar que todas as mulheres têm em algum momento da sua vida, o desejo de ser mãe. Isso é justificado por algumas pessoas sob o argumento de que as mulheres só se sentiriam completas após viver a experiência da maternidade. Mas será mesmo que isso é verdadeiro para todas as mulheres?

Para um grupo de mulheres a resposta é não! Atualmente existe um consenso de que o mais importante é que se tenha respeito pela individualidade. Existem sim aquelas mulheres que afirmam precisar passar pela experiência da gravidez para que possa se sentir verdadeiramente realizada, enquanto para outras, ter filhos pode não ser a realização de um sonho. 

Os motivos que geralmente fazem com que a mulher decida não ter filhos atualmente são:

  • Colocar a profissão como prioridade e entender que ter filhos atrapalharia se realizar profissionalmente
  • Mesmo tendo uma relação e uma vida estável algumas mulheres simplesmente não sentem esse desejo de ser mãe
  • Algumas não se sentem preparadas para ter e educar uma criança. Ainda que elas se deem bem com as crianças
  • Aquelas que não conseguem engravidar por questões biológicas 
  • Aquelas que acreditam ser necessário ter um parceiro(a) para dividir com ela a responsabilidade de educar uma criança. E caso não tenham conseguido encontrar alguém para formar uma família, preferem não ter o filho de forma independente.

Infelizmente, ainda é comum que as mulheres escutem comentários como a de que ela vai ficar para titia, ou que na idade dela a sua mãe já tinha dois filhos, a cobrança dos papais da mulher para quando eles seriam avós, o quanto a mulher está sendo egoísta ou que o verdadeiro amor só é descoberto depois que se é mãe. Ainda há muita pressão social para que a mulher se case e tenha filhos, porém o grupo de mulheres que vem lutando para que se possa ser, realmente, respeitado o direito de não querer engravidar, vem crescendo cada vez mais. 

É preciso que se fale mais sobre esse assunto, seja entre as mulheres que compartilham do mesmo pensamento em relação à maternidade, entre os amigos e familiares para que eles possam compreender e passar a respeitar o desejo delas de não ser mãe, abordar esse tema com o seu(sua) psicólogo(a) para que você possa enfrentar as cobranças sociais acerca das suas escolhas e para que essas mulheres não se sintam sozinhas 

O mais importante é que tenhamos consciência da importância de se respeitar a individualidade de cada mulher no processo de decisão de ter ou não filhos. Entender que esta é uma decisão que gera muitas mudanças na vida da mulher e que isso é importante de ser considerado no processo de decisão. Devemos ainda considerar a importância de se respeitar e não julgar a decisão que cada mulher toma, isso porque, uma mulher não será melhor nem mais feliz do que outra, por ter decidido ter ou não filhos. 

Comentários

comentários