O que caracteriza uma fobia?

A fobia é um medo desproporcional ao possível dano que poderia ser causado por uma situação, animal ou elemento.

A fobia é um transtorno de ansiedade e normalmente tem o objeto de medo como um depositário emocional deslocado de sua fonte original. Por exemplo, uma pessoa que tenha passado por situações de forte angustia, esta angustia pode ter deixado marcas que de alguma forma não conseguem ser exteriorizadas nem elaboradas por esta pessoa, então a fobia surge como um caminho, desviado, de exteriorização desta angustia. A fobia então permite que esta pessoa tenha contato com sua dor, mas como foi deslocada de seu motivo original, impede que haja elaboração e superação da angustia original, tendo assim a manter-se por longos períodos.

Outra forma de iniciar uma fobia pode ter sido uma informação errônea sobre o objeto causador de da fobia, como por exemplo um erro de interpretação de forma a considerar como muito perigoso algo que na realidade seria inócuo.

Como uma pessoa com fobia é diagnosticada?

O diagnóstico é concluído quando o psicólogo observa prejuízos em uma ou mais áreas da vida desta pessoa devido aos comportamentos de fuga e evitação ou sofrimento provocados pela fobia. Ou seja quando esta pessoa, portadora de fobia, estiver com sua vida limitada como por exemplo, deixa de sair de casa, sofre intensamente quando em contato com seu objeto fóbico, etc.

Participe e aprenda mais sobre bem-estarPowered by Rock Convert

Como funciona o tratamento para fobia?

 A psicoterapia comportamental irá ajudar a pessoa a enfrentar o objeto de medo de forma a perceber que na realidade não há danos causados por ele. Isso normalmente é realizado de forma gradual e pode ser realizado tanto em consultório como em áreas externas. O psicólogo pode iniciar o tratamento em consultório e orientar seu paciente quanto aos procedimentos em áreas externas quando houver possibilidade de contato com o objeto que causa fobia.

O enfrentamento pode ser iniciado a nível da imaginação e pensamentos e concluído com o contato real.

A segunda parte do tratamento para fobia é a identificação do processo original de formação desta fobia, assim o psicólogo trabalhará de forma que o evento traumático original, do qual a a dor foi deslocada para o objeto fóbico,  possa ser  elaborado e superado.

FONTE:http://www.marisapsicologa.com.br/fobia.html

Share This