As doenças crônicas não transmissíveis apresentam evolução lenta e prolongada, provocam danos celulares geralmente irreversíveis e, podem levar a morte. Uma parte significativa desses problemas de saúde são as doenças cardiovasculares, neoplasias, doenças crônicas respiratórias, diabetes entre outras. 

Essas doenças causam modificações psicológicas, físicas e sociais importantes, exigem mudanças no estilo de vida e cuidados com a saúde, podem levar à limitações e incapacidades, requerem aderência contínua ao tratamento além de influenciarem as relações familiares, sociais e profissionais.

A psicoterapia tem por objetivo auxiliar o paciente a identificar as crenças que ele tem sobre o tratamento, que podem estar acompanhados de sentimentos de angustia, incertezas, dificuldades e fatores estressantes. O foco não é o diagnóstico em si, mas as percepções da doença em relação às esferas da sua vida.

O psicólogo pode auxiliar o paciente a lidar com as emoções de uma maneira mais efetiva, através de estratégias de enfrentamento adaptativas que valorizam e estimulam a curto e longo prazo um funcionamento mais produtivo definido por propósitos do próprio indivíduo. 

Durante o processo terapêutico as intervenções também podem ser direcionadas às respostas fisiológicas envolvidas na doença, como o relaxamento muscular progressivo e treino de respiração para o manejo dos sintomas de estresse, dessensibilização sistemática para redução da náusea que geralmente ocorre em antecipação a procedimentos médicos como a quimioterapia e  desenvolvimento de recursos para auxiliar os pacientes a lidarem com a cronicidade da dor em casos de dor crônica, por exemplo. 

A terapia cognitivo-comportamental (TCC) facilita a aderência a tratamentos médicos; aborda os problemas e desafios vivenciados pelo enfermo no tratamento; favorece o empoderamento em relação a sua saúde, aumentando o autocuidado e a capacidade de tomar decisões em relação ao seu tratamento; promove a percepção de controle sobre os sintomas; previne ou reduz comportamentos que podem ter consequências negativas à saúde do indivíduo e auxilia na redução do uso excessivo de medicação ou de visitas ao médico decorrentes de erros de interpretação de sintomas, como aqueles associados à ansiedade.

Participe e aprenda mais sobre bem-estarPowered by Rock Convert

Dessa forma, a TCC  pode fornecer muitas ferramentais úteis para modificações na percepção da doença e promoção de estratégias de enfrentamento mais adaptativas às pessoas com doenças crônicas. Esses métodos também podem ajudar às pessoas promoverem mudanças em seu estilo de vida, quando necessário, desenvolver habilidades de solução de problemas e comunicação mais efetivas.

Cuidados inovadores para condições crônicas: organização e prestação de atenção de alta qualidade às doenças crônicas não transmissíveis nas Américas. Washington, DC:OPAS, 2015.

LEAHY, Robert L. Regulação emocional em psicoterapia: um guia para o terapeuta cognitivo-comportamental. Porto Alegre : Artmed, 2013.

NOGUEIRA, Graziela Souza. Efeitos da intervenção cognitivo-comportamental sobre a percepção de doença de pessoas que vivem com HIV/Aids. 2016. 193f. Tese (Doutorado em processos do desenvolvimento humano e saúde)- Universidade de Brasília, Brasília, 2016.

NUNES, Bruno Pereira et al . Multimorbidity: The Brazilian Longitudinal Study of Aging (ELSI-Brazil). Rev. Saúde Pública, São Paulo ,  v. 52, supl. 2, 2018.

World Health Organization. Global action plan for the prevention and control of noncommunicable diseases 2013-2020, 2013. 

Share This