É-possível-ensinar-sem-broncas-e-castigos-blog-casule

É possível ensinar sem broncas e castigos?

Atualizado em 13/11/2019
Por Nayara Benevenuto

É possível ensinar sem broncas e castigos?

Atualizado em 13/11/2019
Por Nayara Benevenuto
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

É possível ensinar sem broncas e castigos?

Muitos pais se preocupam se de fato estão educando seus filhos da forma apropriada e chegam ao ponto de se sentirem exaustos na tentativa de corrigir os comportamentos inadequados dos filhos. Limites e autocontrole são necessidades emocionais básicas que devem ser satisfeitas na infância, permitindo que a criança cresça de modo mais saudável psicologicamente. 

A bronca e o castigo são respostas dadas pelos pais diante do comportamento indesejável do filho, mas na prática, estão sendo usados mais como um instrumento punitivo do que educativo propriamente dito, fugindo do propósito dos pais. O ideal seria não utilizar a bronca/castigo, mas caso aconteça, há formas melhores dos pais se expressarem ou alternativas ao castigo. 

A primeira coisa é pensar em conversa em vez de confronto. Procure não se exaltar ou gritar e nem ameaçar o seu filho. Não o compare com outras crianças e nem seja agressivo com ele. Lembre-se que você é o exemplo para ele, portanto o modo como você se comporta é o guia. 

Outra medida importante seria evitar que a bronca seja na frente de outras pessoas, para que a criança não se sinta humilhada e constrangida. Além disso, a conversa deve ser guiada de modo que os pais possam ensinar o comportamento correto, o “jeito certo”, e não focar onde estava o erro, pois ensinar o erro seria reforçá-lo. 

terapia-online-casule-banner

Se a criança estiver descontrolada, fazendo pirraça em um local público, por exemplo, a bronca não vai ser eficaz naquele momento. O ideal seria repreender a criança rapidamente e deixar a conversa para outro momento.

Outra medida seria dizer ou mostrar concretamente as opções para a criança, ajudá-la a identificar as vantagens e desvantagens de cada ação em potencial. Outra forma é deixar a criança filho sofrer as consequências da sua escolha, pois é passando por experiências ruins que as crianças aprendem boas condutas. 

Outra dica é encorajar a criança, promovendo o senso de autoeficácia e autoconfiança, dizendo que acredita que ela é capaz. É importante validar conquistas, sem relaciona-las à beleza e nem a seus sentimentos e expectativas. Por exemplo, em vez de falar “arrumou o quarto sozinha? Que linda!” diga “arrumou o quarto sozinha? Que legal, ficou ótimo”; Ao invés de dizer “eu gostei do que você fez” você pode dizer “que legal que você fez, como se sentiu? Gostou de ter conseguido?”. 

São inúmeros os benefícios do encorajamento à criança: aumenta a motivação, a autonomia, autoestima, autoconceito positivo, além de aumentar a probabilidade daquele comportamento benéfico se repetir novamente. É importante lembrar que os elogios são importantes e úteis no dia-a-dia, mas o encorajamento é o que irá promover os melhores resultados em termos de prevenção de problemas de saúde mental.

Guia com as 15 Técnicas para reduzir a ansiedade
Casule Play

É possível ensinar sem broncas e castigos?

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre É possível ensinar sem broncas e castigos?, você pode  agendar o seu horário clicando aqui. Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Nayara Benevenuto, aqui no Blog.
Especialista em terapia cognitiva-comportamental com adultos e tem formação em terapia cognitiva sexual além de atuar na avaliação bariátrica. Conheça o meu Instagram. | Clique para marcar uma consulta comigo

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários sua opinião sobre: É possível ensinar sem broncas e castigos?.

0 comentários

Meu medo me faz fugir
Meu medo me faz fugir

Meu medo me faz fugir

Evitar se expor a situações que causam medo e ansiedade é algo extremamente normal. Porém, quando a "evitação" e a fuga se tornam um repertório comum para várias situações... é importante ligar o sinal de alerta.

3 vilões da autoestima

A autoestima é a avaliação (positiva ou negativa) que o indivíduo faz sobre si. Existem 3 vilões da autoestima você conhece eles?
Leia mais
3 vilões da autoestima
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This