Estresse em crianças e suas implicações para a vida adulta

Atualizado em 09/09/2015
Por Nayara Benevenuto

Estresse em crianças e suas implicações para a vida adulta

Atualizado em 09/09/2015
Por Nayara Benevenuto
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Estresse em crianças e suas implicações para a vida adulta

url

Inevitavelmente, toda criança enfrentará inúmeras situações de stress ainda nos primeiros anos de vida, tais como hospitalizações, acidentes, doenças, nascimento de irmãos, mudança de casa, de escola e de empregada, além das tensões geradas pela necessidade sempre maior de se autocontrolar.

As múltiplas etapas de desenvolvimento intelectual, emocional e afetivo trazem consigo a oportunidade do indivíduo desenvolver seu potencial genético. Porém, estas etapas são também assinaladas por inúmeras situações geradoras de tensão, muitas vezes incapacitantes para às crianças e para o seu frágil mecanismo de combate ao stress, como, por exemplo, o treino de toalete, a retirada da chupeta e o ingresso na escola.

A maioria das crianças reage ao stress com sintomas imediatos, como birras, hiperatividade, enurese e medos excessivos. Os pais, na maioria das vezes rapidamente percebem que o stress é demasiado para aquela criança e imediatamente tentam diminuir a tensão à qual ela está sujeita. Em geral, tudo isto é feito de modo intuitivo, sem sequer os pais saberem que estão lidando com o fenômeno “stress”. Problemas surgem, de fato, quando a tensão é extrema ou quando os adultos deixam de entender os sintomas da criança. Nestes casos, os danos emocionais e físicos podem ocorrer e se manterem por longos períodos de tempo.

Em muitas ocasiões, a criança que não aprendeu a lidar com o stress poderá tornar-se um adulto fragilizado, altamente vulnerável ao stress e, consequentemente, um ser humano que poderia ser considerado de alto-risco quanto à aquisição de várias enfermidades, cuja ontogênese é o stress.
Uma situação pode ou não ser estresssante para uma criança dependendo do estágio de desenvolvimento emocional em que ela esteja. Aquilo que talvez tenha um efeito menos grave em um bebê de 3 meses, que ainda não se percebe como um ente separado dos outros, pode afetar drasticamente uma criança de 18 meses, como uma separação da mãe. O nível de ansiedade e desconforto que esta separação vai acarretar dependerá, certamente, do seu nível de amadurecimento emocional/social e também do seu estágio de desenvolvimento intelectual. Primeiro, porque o nível de desenvolvimento da criança influencia como ela percebe e sente o que se passa ao seu redor. Por outro lado, o desenvolvimento emocional/social, com suas etapas às vezes difíceis de serem identificadas em cada criança, apresenta seus próprios conflitos.

Cada estágio deste desenvolvimento, como proposto por Erickson (1963), apresenta seus próprios problemas e conflitos a serem resolvidos e suas fontes específicas de ansiedade e stress. A criança, à medida que amadurece, muda sua maneira primitiva de lidar com o stress e incorpora em seu repertório novas estratégias de resposta.

terapia-online-casule-banner

Vários autores enfatizam que as experiências pelas quais o ser humano passa geram uma aprendizagem que determina seu comportamento futuro. Na área do stress, esta afirmação é extremamente relevante, pois, como observado por Lipp e Romano (1987), há crianças que parecem ser praticamente invulneráveis às tensões da vida, enquanto outras são muito sensíveis ao stress. A maneira pela qual a criança lida com seu stress vai determinar sua resistência às tensões da vida adulta.

Quando a criança consegue lidar bem com seu meio ambiente; quando este não lhe impõe a necessidade de exibir uma resistência acima de sua capacidade – ainda limitada; quando a ansiedade gerada pela vida não está além de sua capacidade de lidar com ela e a criança consegue se adaptar às tensões, ela cresce para ser um adulto mais competente no manejo do stress.

Quando, no entanto, as circunstâncias da vida são exageradamente estressantes e não permitem uma adaptação saudável, reações ao stress inadequadas são aprendidas, a pessoa terá na idade adulta a tendência de emitir estas respostas inapropriadas nas horas de tensão. Sendo elas respostas inadequadas, freqüentemente são ineficientes na resolução das dificuldades e, deste modo, tornam-se fontes internas de stress e acrescentam sua própria contribuição para que um nível ainda maior de stress seja gerado.

Vê-se, então, que o ensino de estratégias de controle do stress é importante não só para que a criança possa lidar com o seu stress diário, mas também como um preparo para a vida adulta.

O ensino de estratégias para o controle do stress é, em geral, realizado pelos pais de modo natural e não programado, à medida que as tensões surgem no dia-a-dia. Deste modo, os pais se tornam o principal veículo para transmissão de conhecimentos no controle do stress. Vê-se, portanto, que as atitudes parentais são de fundamental importância para que a criança – através dos seus vários estágios de desenvolvimento emocional – adquira uma resistência às tensões não só da infância, mas também do mundo adulto.

Fonte: http://www.estresse.com.br/publicacoes/o-stress-em-criancas-e-suas-implicacoes-para-a-vida-adulta/

Guia com as 15 Técnicas para reduzir a ansiedade
Casule Play

Estresse em crianças e suas implicações para a vida adulta

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre Estresse em crianças e suas implicações para a vida adulta, você pode  agendar o seu horário clicando aqui.


Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Nayara Benevenuto, aqui no Blog.
Psicóloga, terapeuta cognitivo-comportamental, terapeuta do esquema, especialista em terapia cognitivo-comportamental com crianças e adolescentes. Atende adultos, adolescentes e faz avaliação bariátrica. Conheça o meu Instagram. | Clique para marcar uma consulta comigo

O que você achou deste conteúdo?
Conte nos comentários sua opinião sobre: Estresse em crianças e suas implicações para a vida adulta.


0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Insonia
Insônia

Insônia

Algumas pessoas enfrentam dificuldades na hora de dormir, seja para iniciar ou manter o sono, como por exemplo, acordam muito mais cedo do que estão habituadas e não conseguem voltar a dormir, acordam no meio da noite ou dormem durante toda a noite e acordam com a sensação de cansaço. Assim, a insônia é caracterizada como a incapacidade de conciliar o sono, seja para adormecer ou permanecer dormindo. “É possível identificar suas causas?” Sim, em sua maioria são consideradas psicofisiológicas.
Ensine seu filho(a) a lidar com as emoções
Ensine seu filho(a) a lidar com as emoções

Ensine seu filho(a) a lidar com as emoções

As crenças dos pais e cuidadores influenciam diretamente em como as crianças irão enxergar o mundo, o outro e principalmente a si mesmas. Todos nós temos nossos medos, ansiedades, sentimos raiva, tristeza e para cada um de nós as emoções têm uma intensidade, um significado e um motivo para que elas se expressem. Ensinar os pequenos a reconhecer as emoções, é muito importante para que tenhamos pessoas mais inteligentes emocionalmente.

Por que não dá para fugir do que te causa ansiedade?

Um comportamento muito comum em quem sofre de ansiedade é fugir do que a causou. Para uma pessoa que tem medo de falar em público – que tem crises de ansiedade só de pensar que vai estar na frente de uma plateia falando sobre algum assunto – recusar um convite para dar a palestra vai trazer um alívio imediato dos sintomas. Mas será que o problema foi resolvido?
Leia mais

Quando eu devo perdoar meu parceiro?

A reposta para esta pergunta é SEMPRE! Sempre Cris? Mas ele não merece!!! O perdão não é para ele… porque ele merece… é para você! Porque você merece PAZ! Te explico melhor aqui neste vídeo. Vem Comigo!!!
Leia mais

Como ter inteligência emocional?

Quanto maior a inteligência emocional, maior a qualidade das relações e interações sociais. Você já parou para pensar como podemos ter mais inteligência emocional?
Leia mais

Rede Social x Saúde Mental

Existem muitas pesquisas que relacionam problemas de saúde mental, principalmente depressão e ansiedade, com o uso excessivo das redes sociais. Mas o que acontece para que um número cada vez maior de pessoas se sinta atraída como se estivessem hipnotizadas, mesmo sabendo o quanto esse hábito em excesso pode ser prejudicial à saúde mental?
Leia mais

Como lidar com a Ansiedade diante da chegada de um Novo Ano?

A chegada do Ano Novo traz consigo a ideia de Recomeço! Para muitas pessoas, representa esperança, prosperidade e expectativas positivas para ”uma nova vida”. Nessa época, também é comum nos sentirmos ansiosos pela vontade de renovação e mudança. Mas, não podemos nos esquecer que a Ansiedade é uma sensação normal e nem sempre ruim. Ela faz parte do nosso instinto de proteção e nos prepara para lidar com as situações de perigo ou estresse.
Leia mais
Como lidar com a Ansiedade diante da chegada de um Novo Ano

Você reclama demais?

Você já parou para reparar quantas vezes você reclamou hoje? O nosso dia a dia está cada vez mais cheio de obrigações e afazeres. Muitas vezes o cansaço e as preocupações fazem com que façamos das reclamações um hábito. Se você se identificou com esse conteúdo, assista ao vídeo.
Leia mais
Voce Reclama Demais blog casule

Como sair do efeito platô?

Você já percebeu que, no processo de emagrecimento, a perda de peso costuma ser ótima nos primeiros meses, mas depois estaciona? Por que será que isso acontece? E como evitar tal efeito platô e continuar a ter resultados? É isso que a nutricionista Isa Polastri explica no vídeo de hoje.
Leia mais
Como-sair-do-efeito-plato-BLOG

Por que ele não me dá valor?

Você já ouviu a frase “a gente só da valor quando perde? Sabia que de certa forma, é uma frase que faz sentido? Neste vídeo, a psicóloga Cristiane Schumann explica o porquê de não darmos tanto valor àquilo que está disponível para nós. Depois de entender a teoria da disponibilidade, certamente muita coisa irá mudar na sua vida!
Leia mais
por-que-ele-não-me-dá-valor

Como ajudar uma pessoa com Depressão?

A Depressão não precisa necessariamente vir acompanhada de perdas marcantes ou evidentes. E nem deve ser confundida com aquela tristeza que veio por uma situação que normalmente nos deixaria triste, ou chateado.
Leia mais
como-ajudar-uma-pessoa-com-depressão-

Dicas para diminuir a Procrastinação e organizar melhor sua Rotina

A Procrastinação é uma Distorção Cognitiva – pensamentos automáticos disfuncionais que distorcem a realidade para que esta se torne condizente com nossas crenças e interpretações anteriores. Mascarada pelo pensamento de ”depois eu faço”, a pessoa tende a adiar tarefas e acumular várias atividades. Geralmente isso acontece por insegurança e promove muita culpa e sintomas de Ansiedade.
Leia mais
dicas para diminuir a procrastinação
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This