Trbalhando-as-emoções---site-Casule---psicóloga-Pedrita

Como trabalhar emoções com crianças?

Atualizado em 23/01/2019
Por Redatora Casule

Como trabalhar emoções com crianças?

Atualizado em 23/01/2019
Por Redatora Casule
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Como trabalhar emoções com crianças?

Em textos anteriores vimos a importância de se conhecer as emoções, a importância que elas têm na infância e fase adulta. Neste texto apresentaremos algumas formas de se trabalhar as emoções com crianças! 

Em primeiro lugar é importante temos em mente que podemos sempre aprender com nossos filhos, sobrinhos, crianças de um modo geral! Então, faça dessas relações sempre uma construção!

Em segundo lugar, essas sugestões não se esgotam: a ideia é apenas apresentar algumas formas de acessar, acolher, aprender as emoções dos pequenos!

  • Procure sempre saber como foi o dia do seu filho e quando ele lhe contar algo dê atenção genuína ou peça que ele aguarde e em momento posterior dê atenção. Lembre-se, é importante que ele se sinta acolhido! Quando ele lhe contar algo, faça o exercício de se colocar na situação para entender o ponto de vista dele. Esse exercício é de empatia! Se a situação exigir, investigue como ele se sentiria se estivesse no lugar do outro, se haveria uma melhor solução para todos os envolvidos. Você pode sugerir alternativas, contudo, deixe sempre o pequeno criar, explorar!
  • Ensinando sobre emoções e expressões emocionais: Se não ensinarmos a criança a se conectar com seu mundo emocional, elas nunca entenderão a si mesmas. O primeiro passo é dizer para os pequenos que todas as emoções são necessárias. Em seguida, podemos perguntar a eles se eles sabem quais são as emoções e quais são as expressões dessas emoções. Isso pode ocorrer a partir de bonecos, desenhos ou até mesmo mímicas. Mas atenção: quando uma criança está emocionalmente abalada, não podemos responder com raiva, crítica ou falta de controle. Precisamos ter uma atitude carinhosa e empática para ajudá-la a identificar como se sente, quais são as causas que produziram esses sentimentos e como pode fazer para liberar as suas emoções. Esse é um trabalho de regulação emocional.  Devemos esperar a criança se acalmar para que haja diálogo!

Acolhimento: é importante acolher a emoção. Quanto mais intensa ela tiver sido vivenciada, mais apertado vale o abraço! Ensine-a a respirar fundo, a oxigenação do cérebro faz com que a gente lide melhor com as situações, mas não precisa dizer assim para ela. Diga apenas: respire bem fundo, você vai ver como o ar vai te acalmar ou como o ar vai te fazer entender ou como o ar vai fazer a dor parar!

  • Histórias: Busque ou invente uma historinha possível de ser vivida pelo pequeno! Crie personagens parecidos com os da vida real (amigos, familiares, animais de estimação). Escolha uma emoção para estar presente nesta história. Peça ajuda de seu pequeno (ou pequenos) para a construção do final da história.

Exs.: 

Emoção: Raiva;

Enredo: Um personagem não foi convidado para uma festa;

Pergunta: Como você se sentiria se não fosse convidado?

Emoção: Tristeza;

terapia-online-casule-banner

Enredo: Um personagem teve seu brinquedo preferido quebrado por um colega.

Pergunta: Como você se sentiria se alguém quebrasse seu brinquedo? 

E continue explorando os questionamentos:

O que você faria no lugar da personagem? Teria outra solução?

Faça uma lista com ele das possibilidades para aplacar a angústia do personagem. Essa brincadeira dará à criança subsídios para que aprenda a lidar melhor com os próprios sentimentos, a falar sobre eles e buscar ajuda.

  • Técnica do semáforo: o objetivo desta técnica é que as crianças associem as cores de um semáforo às suas emoções e comportamentos. Podemos usar desenho, recortes, etc.

Cor vermelha: Esta cor estaria associada a “parar”. Então, quando se sentem muito irritadas, ficam nervosas ou querem gritar e brigar, devem se lembrar de que a luz vermelha do semáforo está acesa e precisam parar. É como se fossem o motorista de um carro que para no farol vermelho. A mensagem que podemos lhes transmitir é: “Pare! Acalme-se e pense”;

Cor laranja: Esta cor marca o momento de parar para pensar, para descobrir qual é o problema e o que estão sentindo. Podemos dizer-lhe que, quando o semáforo está no amarelo, os motoristas param, pensam, procuram soluções e se preparam para sair. Neste caso, lhes diríamos: “Pense nas soluções e suas consequências”;

Cor verde: Esta cor é o indicativo para continuar, ou seja, para escolher a melhor solução e colocá-la em prática. A mensagem que os ajudaria nesses casos seria: “Avance e coloque em prática a melhor solução”;

Existem, claro, outras possibilidades. O mais importante é estar presente e entender o quanto é importante trabalharmos as emoções para nossa saúde mental agora e futura! Poder refletir junto com os pequenos sobre as causas de suas emoções, as formas de sentir e resolver promove sua conscientização, regulação e responsabilidade emocional.

Se esse texto te interessou compartilhe com os amigos! E se precisar de ajuda, conte conosco! 

Guia com as 15 Técnicas para reduzir a ansiedade
Casule Play

Como trabalhar emoções com crianças?

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre Como trabalhar emoções com crianças?, você pode  agendar o seu horário clicando aqui. Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Redatora Casule, aqui no Blog.
Sou focada em achar o melhor conteúdo que já foi publicado na rede e trazer informações que são relevantes e agregam valor para você.

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários sua opinião sobre: Como trabalhar emoções com crianças?.

0 comentários

Saiba quais são os 9 indicadores de violência infantil
Saiba quais são os 9 indicadores de violência infantil

Saiba quais são os 9 indicadores de violência infantil

Antes de qualquer coisa precisamos pensar em uma prática muito comum dos adultos em atribuírem qualquer discurso da criança somente à imaginação e à fantasia, podendo estar negligenciando situações de risco ou de violência consumada. É claro que, em muitos casos, essas situações não são óbvias e nem mesmo fáceis de serem identificadas, por isso é de extrema importância nos atentarmos para os indicadores de violação de direitos e violência.
Como-escolher-minha-futura-profissão-BLOG
Como escolher minha futura profissão?

Como escolher minha futura profissão?

Este momento de decidir em qual curso ingressar optando por uma faculdade, representa uma tomada de decisão importante e significativa na vida de todos nós. Muitas vezes se torna um grande desafio, pois junto com as pressões de notas e prazos para os exames seletivos, surgem também sentimentos de insegurança e incerteza. E o que fazer para tomar uma decisão com coerência e tranquilidade?
Como organizar as finanças do casal
Como organizar as finanças do casal

Como organizar as finanças do casal

A primeira coisa que é importante saber é que não existe o que é o ideal para todas as pessoas, ou seja, não há uma forma adequada que vá se encaixar na vida de todos casais. Por isso, é importante que você e seu parceiro(a) conversem e estabeleçam qual vai ser a forma de organização financeira que vai ser melhor para o caso de vocês. Mas, há quatro formas principais para organizar a vida financeira do casal
voce sabe pedir ajuda
Você sabe pedir ajuda?

Você sabe pedir ajuda?

Você provavelmente passou por alguma situação em que sentia que precisava de ajuda , mas não conseguiu pedir. Parece simples, mas muitas pessoas resistem a isso e para elas, pedir ajuda pode representar não só assumir a própria fragilidade, como a exposição dessa fragilidade para outras pessoas.

Devo comer de 3 em 3 horas?

Quando se inicia um processo de reeducação alimentar e/ou emagrecimento é muito comum associar “dieta” com o ato de comer de 3 em 3 horas, este tipo de analogia na prática clínica é algo recorrente. Entretanto, quando surge este tipo de questionamento a resposta é: depende.
Leia mais
devo comer de 3 em 3 horas

Como se tornar uma pessoa mais interessante?

Não se sentir uma pessoa interessante tem uma relação com o medo do julgamento dos outros, da insegurança e da baixa autoestima. O que você precisa é se tornar interessante primeiro para você, e com isso, tornará mais fácil entender que alguns irão gostar do seu jeito e outras não, e está tudo bem, pois cada um é de um jeito.
Leia mais
como se tornar mais interessante

Você tem vivido como adulto saudável ou como uma criança ferida?

A maneira como vivemos hoje está muito relacionada à nossa história de vida, as nossas experiências passadas, ao que nos foi dado e ao que nos faltou na nossa infância. No entanto, conforme vamos crescendo, precisamos aprender a desenvolver nossa maturidade emocional. Isso significa que precisamos ter controle sobre nossas emoções, comportamentos e olhar para as adversidades de forma mais realista e objetiva. Nesse texto, eu vou explicar as principais características do adulto saudável.
Leia mais
Você tem vivido como adulto saudável ou como uma criança ferida

Você é uma pessoa perfeccionista?

Já ouviu falar sobre o perfeccionismo? Sabia que a longo prazo ele pode causar muitos prejuízos para nossa saúde mental e pode ser fator de risco para transtornos de ansiedade, depressão, burnout e transtornos alimentares?
Leia mais
Você-é-uma-pessoa-perfeccionista

É possível haver relacionamentos abusivos entre pais e filhos?

Sim! É possível sofrer violência na relação entre pais e filhos. Aqui, neste texto, você entenderá mais sobre essa relação tóxica que pode acontecer desde a infância de quem passa por isso. Identificar um relacionamento abusivo na relação entre pai e filho não é nada fácil, considerando que o indivíduo passa por isso desde sempre e pode estar sendo manipulado a enxergar que os castigos e repreensões que sofre são normais devido ao seu mau comportamento.
Leia mais
É possível haver relacionamentos abusivos entre pais e filhos

Fui traído(a) e não consegui superar

É muito comum que pessoas decidam permanecer em um relacionamento mesmo após uma traição. A questão é que muitas vezes, a insegurança, a desconfiança e conflitos por causa disso tomam conta do relacionamento.
Leia mais
Fui-traído-e-não-consegui-superar

Síndrome da Boazinha: Você já ouviu falar sobre ela?

Você conhece alguém que sempre precisa da aprovação do outro, que se colocam em segundo plano, necessitam agradar todos ao redor e sentem dificuldade em dizer não, mesmo que não tenha tempo ou não tenha interesse para atender tais solicitações? Se sim, talvez você sofra com a “Síndrome da Boazinha”
Leia mais
Síndrome da Boazinha- Você já ouviu falar sobre ela
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This