passo-a-passo--para-aemagrecer-definitivamente-em-2019-nutricao-casule
Como emagrecer definitivamente em 2019?(vídeo completo)
22 de janeiro de 2019
voce-depende-emocionalmente-de-alguem-psicologia-casule
Você depende emocionalmente de alguém? (vídeo completo)
24 de janeiro de 2019

Como trabalhar emoções com crianças?

Trbalhando-as-emoções---site-Casule---psicóloga-Pedrita

Em textos anteriores vimos a importância de se conhecer as emoções, a importância que elas têm na infância e fase adulta. Neste texto apresentaremos algumas formas de se trabalhar as emoções com crianças! 

Em primeiro lugar é importante temos em mente que podemos sempre aprender com nossos filhos, sobrinhos, crianças de um modo geral! Então, faça dessas relações sempre uma construção!

Em segundo lugar, essas sugestões não se esgotam: a ideia é apenas apresentar algumas formas de acessar, acolher, aprender as emoções dos pequenos!

  • Procure sempre saber como foi o dia do seu filho e quando ele lhe contar algo dê atenção genuína ou peça que ele aguarde e em momento posterior dê atenção. Lembre-se, é importante que ele se sinta acolhido! Quando ele lhe contar algo, faça o exercício de se colocar na situação para entender o ponto de vista dele. Esse exercício é de empatia! Se a situação exigir, investigue como ele se sentiria se estivesse no lugar do outro, se haveria uma melhor solução para todos os envolvidos. Você pode sugerir alternativas, contudo, deixe sempre o pequeno criar, explorar!
  • Ensinando sobre emoções e expressões emocionais: Se não ensinarmos a criança a se conectar com seu mundo emocional, elas nunca entenderão a si mesmas. O primeiro passo é dizer para os pequenos que todas as emoções são necessárias. Em seguida, podemos perguntar a eles se eles sabem quais são as emoções e quais são as expressões dessas emoções. Isso pode ocorrer a partir de bonecos, desenhos ou até mesmo mímicas. Mas atenção: quando uma criança está emocionalmente abalada, não podemos responder com raiva, crítica ou falta de controle. Precisamos ter uma atitude carinhosa e empática para ajudá-la a identificar como se sente, quais são as causas que produziram esses sentimentos e como pode fazer para liberar as suas emoções. Esse é um trabalho de regulação emocional.  Devemos esperar a criança se acalmar para que haja diálogo!

Acolhimento: é importante acolher a emoção. Quanto mais intensa ela tiver sido vivenciada, mais apertado vale o abraço! Ensine-a a respirar fundo, a oxigenação do cérebro faz com que a gente lide melhor com as situações, mas não precisa dizer assim para ela. Diga apenas: respire bem fundo, você vai ver como o ar vai te acalmar ou como o ar vai te fazer entender ou como o ar vai fazer a dor parar!

  • Histórias: Busque ou invente uma historinha possível de ser vivida pelo pequeno! Crie personagens parecidos com os da vida real (amigos, familiares, animais de estimação). Escolha uma emoção para estar presente nesta história. Peça ajuda de seu pequeno (ou pequenos) para a construção do final da história.

Exs.: 

Emoção: Raiva;

Enredo: Um personagem não foi convidado para uma festa;

Pergunta: Como você se sentiria se não fosse convidado?

Emoção: Tristeza;

Enredo: Um personagem teve seu brinquedo preferido quebrado por um colega.

Pergunta: Como você se sentiria se alguém quebrasse seu brinquedo? 

E continue explorando os questionamentos:

O que você faria no lugar da personagem? Teria outra solução?

Faça uma lista com ele das possibilidades para aplacar a angústia do personagem. Essa brincadeira dará à criança subsídios para que aprenda a lidar melhor com os próprios sentimentos, a falar sobre eles e buscar ajuda.

  • Técnica do semáforo: o objetivo desta técnica é que as crianças associem as cores de um semáforo às suas emoções e comportamentos. Podemos usar desenho, recortes, etc.

Cor vermelha: Esta cor estaria associada a “parar”. Então, quando se sentem muito irritadas, ficam nervosas ou querem gritar e brigar, devem se lembrar de que a luz vermelha do semáforo está acesa e precisam parar. É como se fossem o motorista de um carro que para no farol vermelho. A mensagem que podemos lhes transmitir é: “Pare! Acalme-se e pense”;

Cor laranja: Esta cor marca o momento de parar para pensar, para descobrir qual é o problema e o que estão sentindo. Podemos dizer-lhe que, quando o semáforo está no amarelo, os motoristas param, pensam, procuram soluções e se preparam para sair. Neste caso, lhes diríamos: “Pense nas soluções e suas consequências”;

Cor verde: Esta cor é o indicativo para continuar, ou seja, para escolher a melhor solução e colocá-la em prática. A mensagem que os ajudaria nesses casos seria: “Avance e coloque em prática a melhor solução”;

Existem, claro, outras possibilidades. O mais importante é estar presente e entender o quanto é importante trabalharmos as emoções para nossa saúde mental agora e futura! Poder refletir junto com os pequenos sobre as causas de suas emoções, as formas de sentir e resolver promove sua conscientização, regulação e responsabilidade emocional.

Se esse texto te interessou compartilhe com os amigos! E se precisar de ajuda, conte conosco! 

Comentários

comentários

Pedrita Reis
Pedrita Reis
Doutoranda e Mestre em Processos Psicossociais em Saúde. Especialista em Terapia Cognitivo-Comportamental. Atende: Adolescentes, Adultos, Idosos, Casais, Famílias, Grávidas.

Os comentários estão encerrados.

Marcar Consulta