O tripé da Autoestima

O tripé da Autoestima?

Atualizado em 03/05/2021
Por Christiane Alves

O tripé da Autoestima?

Atualizado em 03/05/2021
Por Christiane Alves
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

O tripé da Autoestima?

Autoestima é um dos assuntos mais falados no momento. E, apesar de aparecer sempre muito atrelado à autoimagem (forma como o indivíduo se enxerga), ela é muito mais que isso. 

Auto significa aquilo que está relacionado a si mesmo, enquanto estima diz respeito ao ato de gostar/cuidar/valorizar. Portanto, autoestima é o ato de desejar ou gostar de si mesmo, isto é, o quanto a pessoa gosta de si mesmo(a), o quanto ela se valoriza e tem apreço por si. 

Assim sendo, não nascemos com autoestima alta ou baixa. Na verdade, ela vai se desenvolvendo, principalmente nos primeiros anos de vida, a partir dos reforços e/ou críticas que recebemos das pessoas com quem mais convivemos nesta fase.

Dessa forma, quando a pessoa tem uma autoestima baixa, observamos que ela possui um conjunto de pensamentos, sentimentos e atitudes disfuncionais em relação a ela mesma. Em vista disso, na Terapia Cognitiva Comportamental (TCC) definimos a autoestima como um conjunto de pensamentos, sentimentos e comportamentos em relação a si mesmo(a) formando o que chamamos de tríade da autoestima composta pelo:

  1. Autoconceito: Pensamentos que eu tenho sobre quem eu sou. Mas, cuidado, nem tudo o que você pensa sobre você significa que é verdade. Ao se olhar no espelho, o que você pensa sobre você? Quais as suas qualidades, valores e crenças que você tem a respeito de si?

Se por algum motivo você não conseguir responder a essas perguntas ou ter respostas negativas, provavelmente você não tem um autoconceito saudável, devendo, portanto, melhorá-lo. Se olhe com mais gentileza e amor, pois a maneira como você se enxerga, os pensamentos que você tem sobre você reflete diretamente nos outros elementos da tríade.

  1. Amor-próprio: Sentimentos que você nutre sobre si mesmo(a), ou seja, o afeto direcionado a você mesmo(a). O que você sente ao falar de você? Gratidão? Raiva? Amor? Quais sentimentos você nutre sobre você? 
  1. Autoconfiança: Maneira como você se comporta no mundo. Em outras palavras, o quanto você se orgulha das suas atitudes. E aí, as suas atitudes são congruentes com seus valores, isto é, com o que você acredita e que é realmente importante para você? Você tem se orgulhado de suas atitudes?

Quanto mais você se orgulha dos comportamentos que você tem, maior tende a ser sua autoconfiança e, portanto, sua autoestima. Da mesma forma, quanto menos você se orgulha, mais insegura você tende a ser e consequentemente menor tende a ser sua autoestima.

terapia-online-casule-banner

Mas, o que fazer para que esse tripé funcione da forma mais saudável possível:

  1. Questione seus pensamentos sobre você: Se você tem pensamentos funcionais e saudáveis sobre você, ótimo. Mas, se seus pensamentos são negativos e disfuncionais, que evidências você tem de que você realmente é feia, que ninguém gosta de você, por exemplo? 

Talvez seu nariz seja feio, mas isso não te faz uma pessoa feia. Talvez algumas pessoas não gostem de você, mas isso não significa que ninguém goste. Consegue perceber a diferença? Preste muita atenção nesses pensamentos extremos e, eu te garanto que quando você começar a questionar seus pensamentos, e perceber que eles não fazem sentido, você vai começar a se sentir bem melhor. 

  1. Pratique a autocompaixão: Autocompaixão é se olhar e se tratar com o mesmo amor que você tem com um amigo(a). Você olharia para seu melhor amigo(a) e diria que ele é feio(a) e que ninguém gosta dele(a)? Tenho certeza que você não seria capaz de fazer isso. Então, também não faça isso com você. 

Seja mais gentil com você, pois quando nos olhamos com mais carinho, construímos um relacionamento melhor com a gente mesmo(a) e com os outros à nossa volta. Além disso, fica muito mais fácil e leve lidar com os nossos erros, defeitos e vulnerabilidades.

  1. Trace um plano de ação: Sabe aquilo que você quer tanto fazer, mas por algum motivo você não faz? Pois bem, comece a traçar um plano de ação para conquistá-lo e comece hoje a dar o primeiro passo mesmo que seja um micro passinho. 

Por fim, dedicar um tempo para cuidar de você e desenvolver a sua autoestima não só vai melhorar o seu relacionamento com você mesmo(a) como também com as pessoas que você convive. Contudo, esse processo nem sempre é fácil. Sendo assim, sentir que está difícil encarar essa jornada sozinho(a) te aconselho a buscar ajuda de um profissional qualificado.

Terapia Casule

A Casule é uma clínica que pensa na sua saúde e no seu bem-estar que atende de forma presencial e online. Isso faz que possamos cuidar de pessoas em qualquer parte do Brasil e do Mundo!

Venha nos conhecer! Marque uma conversa com nossos terapeutas clicando aqui!

Curtiu o texto? Fica a vontade para relaxar com a gente, conheça nossos áudios de relaxamento, é GRÁTIS!

Compartilhe também a Casule em suas redes sociais, InstagramFacebook e Youtube.

Guia com as 15 Técnicas para reduzir a ansiedade
Casule Play

O tripé da Autoestima?

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre O tripé da Autoestima?, você pode  agendar o seu horário clicando aqui. Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Christiane Alves, aqui no Blog.
Apaixonada pela Psicologia, ama estudar e ajudar a mulheres a desenvolverem uma autoestima saudável e a construírem um relacionamento leve consigo e com os outros. Conheça o meu Instagram. | Clique para marcar uma consulta comigo

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários sua opinião sobre: O tripé da Autoestima?.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fome fisiológica versus Fome emocional
Fome fisiológica x Fome emocional

Fome fisiológica x Fome emocional

Não é incomum se deparar com situações e períodos estressantes na vida da maioria das pessoas e uma das primeiras consequências é sair da dieta. Por essa razão a fome fisiológica (homeostática) muitas vezes pode ser confundida com a fome emocional (hedônica). E como diferenciá-las?
Dicas-para-lidar-com-a-Insônia
Dicas para lidar com a insônia

Dicas para lidar com a insônia

Você sabia que os nossos comportamentos e atitudes durante o dia estão totalmente ligados com o nosso sono? Por isso, nesse vídeo, abordei quais são os tipos de insônia, e sugeri algumas mudanças para que você pode adaptar a sua rotina, e como consequência, melhorar a qualidade do seu sono.

Objetivos da Orientação Profissional

A Orientação Profissional é um processo de avaliação que auxilia qualquer pessoa, independente da idade, a escolher uma faculdade ou um curso profissionalizante, e até mesmo mudar de carreira.
Leia mais

Como os super-heróis podem ajudar no desenvolvimento infantil?

Com base nas histórias de super-heróis é possível trabalhar diversos temas e habilidades com as crianças. A maioria das histórias tratam de assuntos como humanidade, emoções, justiça, amizade, confiança, altruísmo, humildade, empatia, virtudes, esperança, responsabilidade, fazer o bem...
Leia mais

Como funciona o atendimento nutricional?

Entender sobre o atendimento nutricional pode encorajar aqueles que buscam alcançar bons resultados. No vídeo, falo os 5 aspectos avaliados no atendimento e dicas para encontrar profissionais que possam atender suas necessidades.
Leia mais
Como-funciona-o-atendimento-nutricional-BLOG

Saiba quais são os 9 indicadores de violência infantil

Antes de qualquer coisa precisamos pensar em uma prática muito comum dos adultos em atribuírem qualquer discurso da criança somente à imaginação e à fantasia, podendo estar negligenciando situações de risco ou de violência consumada. É claro que, em muitos casos, essas situações não são óbvias e nem mesmo fáceis de serem identificadas, por isso é de extrema importância nos atentarmos para os indicadores de violação de direitos e violência.
Leia mais
Saiba quais são os 9 indicadores de violência infantil

Como escolher minha futura profissão?

Este momento de decidir em qual curso ingressar optando por uma faculdade, representa uma tomada de decisão importante e significativa na vida de todos nós. Muitas vezes se torna um grande desafio, pois junto com as pressões de notas e prazos para os exames seletivos, surgem também sentimentos de insegurança e incerteza. E o que fazer para tomar uma decisão com coerência e tranquilidade?
Leia mais
Como-escolher-minha-futura-profissão-BLOG
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This