6 atitudes básicas para proteger as crianças da violência

6 atitudes básicas para proteger as crianças da violência

Atualizado em 05/03/2021
Por Redatora Casule

6 atitudes básicas para proteger as crianças da violência

Atualizado em 05/03/2021
Por Redatora Casule
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

6 atitudes básicas para proteger as crianças da violência

Aperte o play para escutar este conteúdo.

Sabe-se que a violência infantil pode causar impactos físicos, psicológicos e sociais profundos na vida da criança e do adolescente, mas o que podemos fazer para protegê-los? 

Aqui estão 6 atitudes básicas e extremamente importantes:

·     crie ambientes familiares seguros e acolhedores;

·     modifique atitudes e práticas que apoiam o uso de violência;

·     estimule o diálogo dentro de casa, escute e acolha;

·     saiba onde e com quem a criança/adolescente está sempre que possível;

·     preste atenção em mudanças bruscas de humor e comportamento; 

·   observe qualquer tipo de violação de direitos humanos e preconceito (racismo, homo/transfobia, gordofobia, machismo etc.) que possam estar presentes no cotidiano da criança/adolescente, pois eles podem se tornar gatilhos para a violência infantil. 

Agora podemos pensar também em algumas estratégias mais específicas de acordo com o tipo de violência:

terapia-online-casule-banner

·     Violência sexual: explique quais são as partes íntimas do corpo da criança, seus limites e como dar nome a elas. Converse também sobre consentimento, que ninguém pode tocar em suas partes íntimas sem a sua permissão;

·     Bullying: acompanhe a vida escolar e construa uma relação próxima com a escola. Atente-se para as relações sociais dentro da escola e em outras instituições que estejam relacionadas ao contexto de vida da criança/adolescente, se possui amigos e como são essas relações;

·  Cyberbullying ou bullying virtual: acompanhe o uso de tablets, smartphones e computadores. Procure investigar quais os sites e aplicativos utilizados e qual o motivo do uso (jogos, pesquisas escolares ou redes sociais);

·     Maus-tratos e Testemunho de violência: atente-se à dinâmica familiar dentro e fora de casa, preste atenção na forma como os membros da família se relacionam e como resolvem seus conflitos. Estimule o diálogo e evite discussões acaloradas perto da criança/adolescente. 

As estratégias apresentadas podem contribuir para diminuir os riscos em relação à violência infantil, promovendo um desenvolvimento mais seguro, acolhedor e saudável! 

Terapia Casule

A Casule é uma clínica que pensa na sua saúde e no seu bem-estar que atende de forma presencial e online. Isso faz que possamos cuidar de pessoas em qualquer parte do Brasil e do Mundo!

Venha nos conhecer! Marque uma conversa com nossos terapeutas clicando aqui!

Curtiu o texto? Fica a vontade para relaxar com a gente, conheça nossos áudios de relaxamento, é GRÁTIS!

Compartilhe também a Casule em suas redes sociais, InstagramFacebook e Youtube.

Guia com as 15 Técnicas para reduzir a ansiedade
Sou focada em achar o melhor conteúdo que já foi publicado na rede e trazer informações que são relevantes e agregam valor para você.
Casule Play

6 atitudes básicas para proteger as crianças da violência

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre 6 atitudes básicas para proteger as crianças da violência, você pode  agendar o seu horário clicando aqui. Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Redatora Casule, aqui no Blog.
Sou focada em achar o melhor conteúdo que já foi publicado na rede e trazer informações que são relevantes e agregam valor para você.

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários sua opinião sobre: 6 atitudes básicas para proteger as crianças da violência.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

5 sinais clássicos que você se cobra demais

5 sinais clássicos que você se cobra demais

Como lidar com a sensação incômoda de autocobrança excessiva? Como lidar com aquela voz que fica na nossa cabeça falando “você deveria ter feito isso”, “eu deveria dar conta… “você não podia ter feito aquilo”, “você podia ter feito diferente”, “porque eu sou assim?”, dentre outras tantas frases de cobrança que nós mesmos fazemos conosco.

3 estratégias para controlar seu dinheiro

Ser positivo é algo muito bom, porém quando falamos de dinheiro, devemos ser realistas e conhecer bem a nossa própria condição financeira. Por isso, ter inteligência emocional nas finanças se torna algo tão importante.
Leia mais

5 sinais clássicos que você se cobra demais

Como lidar com a sensação incômoda de autocobrança excessiva? Como lidar com aquela voz que fica na nossa cabeça falando “você deveria ter feito isso”, “eu deveria dar conta… “você não podia ter feito aquilo”, “você podia ter feito diferente”, “porque eu sou assim?”, dentre outras tantas frases de cobrança que nós mesmos fazemos conosco.
Leia mais

Geração Tik Tok: 3 vícios do momento

Uma tela de celular, um vídeo vertical e um minuto da sua vida. Esses três elementos são a essência do Tik Tok, a rede social de vídeos curtos que está viciando os jovens e já mudou os hábitos de consumo de vídeos de milhares de usuários. Você abre às 19h, e quando olha para o relógio novamente, já se passou uma hora.
Leia mais
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This