Por que nos desmotivamos?

Atualizado em 29/07/2015
Por Nayara Benevenuto

Por que nos desmotivamos?

Atualizado em 29/07/2015
Por Nayara Benevenuto
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Por que nos desmotivamos?

deprime

Sentir-se desmotivado é comum a todas as pessoas, por vezes não nos vemos dispostos a realizar uma tarefa, terminar um curso ou investir em alguma relação, entre outras coisas que abrimos mão por não conseguirmos desprender energia o suficiente para realizar o necessário. Mas por que isso acontece?

A motivação humana foi explicada por Bandura, psicólogo social, como sendo o resultado de três aspectos básicos da cognição: auto conceito, crença de auto eficácia e expectativas de resultado. O auto conceito é a forma como nos vemos, o valor que atribuímos a nós mesmos, o quanto nos achamos “bons”. Já a crença de auto eficácia é especifica à atividade em questão, diz respeito ao quanto nos sentimos capazes de realizá-la. Sendo assim, estão interligadas, partindo de uma mesma percepção básica, mas não são a mesma coisa. Uma pessoa pode se considerar boa em trabalhos manuais (auto conceito), porém não se vê capaz de pintar determinado quadro (crença de auto eficácia).

Outro ponto fundamental no tripé da motivação é a expectativa de resultado, sendo necessário que os resultados alcançados sejam estímulos fortes o suficiente para que a pessoa desenvolva a atividade. Dessa forma, a pessoa precisa se sentir boa na área, capaz de executar a tarefa e ter ganhos significativos com a realização da atividade. Para Bandura, o auto conceito é formado ao longo da vida, como uma visão pessoal sobre suas capacidades e limitações. A crença de auto eficácia pode ocorrer por: experiências passadas (tentativas e erros), experiências vicárias (observando os resultados e comportamentos alcançados pelos outros), persuasão verbal (através de estímulos verbais) e estados fisiológicos (os estados fisiológicos, como a ansiedade por exemplo, podem deixar a pessoa mais vulnerável frente à atividade). Os behavioristas apontam ainda que os resultados atingidos são capazes de reforçar (positiva ou negativamente) o comportamento emitido, de forma que a pessoa se sinta mais ou menos motivada para repeti-lo em uma próxima situação.

Muitas vezes esse mecanismo não se dá de forma consciente, partindo do processamento automático de informação, que realizamos em nossa interação com o mundo. O auto conhecimento e a auto análise nos ajudam a identificar os principais empecilhos em nossas tarefas, a baixa motivação e ansiedade, que muitas vezes nos fazem desistir ou protelar objetivos importantes. Em casos em que a desmotivação se torna patológica e traz prejuízos, a ajuda profissional pode ser fundamental no enfrentamento desse problema.

A terapia cognitivo-comportamental busca identificar as principais crenças do paciente, o auto conceito e distorções relevantes que podem fortalecer essas percepções disfuncionais. Através da reestruturação cognitiva tentamos desenvolver crenças mais coerentes e saudáveis, para que assim o indivíduo possa enfrentar situações antes evitadas e reorganizar suas ações, tornando-se mais ativo e orientado em suas atividades importantes.

Autor: Auxiliatrice Caneschi Badaró

Psicóloga pela UFJF

Terapeuta cognitivo-comportamental pela ATC – Rio

Especialista em terapia cognitivo-comportamental com crianças e adolescentes pelo NEISME – JF

Mestre em Psicologia pela UFJF

Terapeuta cognitivo-comportamental na Casule Saúde e Bem-estar – JF

Professora de Psicologia em FAGOC – Ubá

Membro do NEVAS (Núcleo de estudos em violência e ansiedade social)

Principais áreas de atuação: psicologia clínica com adultos e adolescentes, psicologia social, estudos em ansiedade social, crenças cognitivas e depressão.

Lattes:  http://lattes.cnpq.br/6252008844202195

auxi

PSICÓLOGA Especialista em terapia cognitiva-comportamental com adultos e tem formação em terapia cognitiva sexual além de atuar na avaliação bariátrica. Clique para marcar uma consulta comigo
Casule Play

Por que nos desmotivamos?

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre Por que nos desmotivamos?, você pode  agendar o seu horário clicando aqui. Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Nayara Benevenuto, aqui no Blog.
PSICÓLOGA Especialista em terapia cognitiva-comportamental com adultos e tem formação em terapia cognitiva sexual além de atuar na avaliação bariátrica. Clique para marcar uma consulta comigo

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários sua opinião sobre: Por que nos desmotivamos?.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

8 Dicas para melhorar a sua autoestima

8 Dicas para melhorar a sua autoestima

Tem dias que você acorda e não se sente satisfeito com o que é? Não consegue sentir orgulho do que faz e das suas conquistas? Tem dificuldade de enxergar seus pontos fortes e suas qualidades? Pois é, você pode estar com baixa autoestima e isso é muito comum de acontecer. Buscar meios para melhorar a autoestima é um grande passo. Seja através da leitura de um livro sobre o assunto, pesquisas, assistindo vídeos ou mesmo através da ajuda profissional.
5 sinais clássicos que você se cobra demais

5 sinais clássicos que você se cobra demais

Como lidar com a sensação incômoda de autocobrança excessiva? Como lidar com aquela voz que fica na nossa cabeça falando “você deveria ter feito isso”, “eu deveria dar conta… “você não podia ter feito aquilo”, “você podia ter feito diferente”, “porque eu sou assim?”, dentre outras tantas frases de cobrança que nós mesmos fazemos conosco.

6 dicas para lidar com a traição

A descoberta de uma traição é capaz de transformar qualquer relacionamento amoroso, seja namoro ou casamento. A vida do casal pode mudar para melhor ou piorar consideravelmente, mas, com certeza, nunca mais será a mesma.
Leia mais

3 estratégias para controlar seu dinheiro

Ser positivo é algo muito bom, porém quando falamos de dinheiro, devemos ser realistas e conhecer bem a nossa própria condição financeira. Por isso, ter inteligência emocional nas finanças se torna algo tão importante.
Leia mais

5 sinais clássicos que você se cobra demais

Como lidar com a sensação incômoda de autocobrança excessiva? Como lidar com aquela voz que fica na nossa cabeça falando “você deveria ter feito isso”, “eu deveria dar conta… “você não podia ter feito aquilo”, “você podia ter feito diferente”, “porque eu sou assim?”, dentre outras tantas frases de cobrança que nós mesmos fazemos conosco.
Leia mais

Geração Tik Tok: 3 vícios do momento

Uma tela de celular, um vídeo vertical e um minuto da sua vida. Esses três elementos são a essência do Tik Tok, a rede social de vídeos curtos que está viciando os jovens e já mudou os hábitos de consumo de vídeos de milhares de usuários. Você abre às 19h, e quando olha para o relógio novamente, já se passou uma hora.
Leia mais
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This