O-que-faz-um-Psicólogo-Criminal-blog-casule

O que faz um Psicólogo Criminal?

Atualizado em 16/03/2020
Por Redatora Casule

O que faz um Psicólogo Criminal?

Atualizado em 16/03/2020
Por Redatora Casule
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

O que faz um Psicólogo Criminal?

No geral, as pessoas têm a imagem mental do psicólogo como aquele terapeuta que elas buscam para resolver algum conflito psicológico, no entanto, a Psicologia Criminal é um ramo diferente e igualmente apaixonante da Psicologia.

Quando falamos da Psicologia aplicada à investigação criminal, na verdade estamos falando de um conjunto de disciplinas que, juntas, fazem parte da chamada Psicologia Criminal. Esse campo da Psicologia contempla áreas de interesse como a vitimologia, análise de cenas de crimes e a crimodinâmica.

Esta ciência é desenvolvida em uma ampla gama de procedimentos, como a autópsia psicológica, definição de perfis, análise operativa, etc. As áreas de desenvolvimento da Psicologia Criminal são muitas, de modo que é considerada uma ferramenta importante na investigação criminal.

Na prática…

Uma das muitas funções do psicólogo criminalista está orientada ao acompanhamento do investigador policial nas entrevistas com vítimas testemunhas e pessoas suspeitas de um crime. Isso é feito com o objetivo de avaliar o estado mental do entrevistado e os  possíveis fatores psicopatológicos que possam estar presentes.

Da mesma forma, a Psicologia aplicada à investigação criminal traz uma análise interpretativa do local do crime e do modus operandi ou assinatura do criminoso. Este último se refere ao padrão comportamental exibido pelo autor do crime. Também se refere à sua previsibilidade, já que é um comportamento com tendência à mudança caso seja reiterativo.

Os psicólogos criminalistas realizam, além disso, avaliações psicológicas reconstrutivas ou retrospectivas. Essas avaliações combinam conhecimentos forenses com a análise clínica da saúde mental. Sua principal função é a criação de autópsias psicológicas e análises de mortes equívocas, sendo especialmente úteis na delimitação de perfis criminais.

Traçando o perfil criminal

Delimitar os perfis criminais é uma técnica que tenta prever o comportamento humano em relação ao delito. Por exemplo, a análise e a interpretação de evidências encontradas na cena do crime ou o modus operandi podem apontar para um tipo de personalidade criminosa ou, o que não é de menor valia, contribuir para descartar outros perfis.

O perfil costuma ser traçado em quatro etapas:

Etapa 1.  É a etapa na qual se obtém a informação. Quanto mais fontes de informação, mais preciso será o perfil. Isso é feito por meio de depoimentos, inspeções, informes policiais, etc. São utilizadas também a informação forense, a causa da morte, lesões pré e pós morte, atividade sexual e análise toxicológica.

Etapa 2.  É a etapa na qual o delito é classificado com toda a informação relativa ao caso. Classifica-se o delito com base nos manuais policiais e de investigação. São consideradas variáveis como risco para o agressor, duração do delito e tentativas prévias.

terapia-online-casule-banner

Etapa 3. O crime é reconstituído e são feitas as primeiras hipóteses do acontecimento. O modus operandi é definido nessa etapa. Aqui também é importante a criação do perfil geográfico. Os elementos a serem analisados nessa fase são muitos. Por exemplo, seleção aleatória ou não da vítima, controle exercido sobre ela, a prática e o tipo de crime (organizado ou desorganizado). Este último dado contribui com uma informação decisiva para a definição do tipo de personalidade.

Etapa 4.  É nessa etapa que o perfil criminal é elaborado. Deve incluir a aparência física, origem, ambiente sociocultural no qual o criminoso se desenvolve, seu nível acadêmico ou profissional, habilidades intelectuais e capacidades físicas. São descritos também os hábitos do criminoso e seus comportamentos pré e pós-crime. É nessa fase que finalmente são dadas as recomendações para que os investigadores iniciem seu trabalho.

Áreas de atuação do Psicólogo Criminal

Perícia Criminal 

Uma das possibilidades de atuar na área é através do ingresso na Polícia Civil ou Federal por meio de concurso público. Essa seleção não exige graduação específica e várias áreas são contempladas, incluindo a Psicologia.

Servidor Público

Além das polícias, a Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), as Forças Armadas e os Tribunais de Justiça são também opções em concurso público. Há ainda seleções para atuar em presídios, unidades de detenção de menores entre outros.

Assistente técnico

O Psicólogo Forense, outra denominação que aparece frequentemente associada à profissão de Psicólogo Criminal, pode ser contratado como assistente técnico para auxiliar e avaliar laudos do psicólogo perito. 

De forma independente

Os profissionais podem ainda atuar de forma autônoma oferecendo serviços de consultoria no âmbito da investigação forense e criminal, atuando também na área de segurança para empresas privadas. 

Fontes:

https://amenteemaravilhosa.com.br/psicologia-aplicada-a-investigacao-criminal/
https://blog.ipog.edu.br/saude/psicologia-criminal/


Guia com as 15 Técnicas para reduzir a ansiedade
Casule Play

O que faz um Psicólogo Criminal?

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre O que faz um Psicólogo Criminal?, você pode  agendar o seu horário clicando aqui. Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Redatora Casule, aqui no Blog.
Sou focada em achar o melhor conteúdo que já foi publicado na rede e trazer informações que são relevantes e agregam valor para você.

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários sua opinião sobre: O que faz um Psicólogo Criminal?.

0 comentários

Hipocondria

Você sabia que existe um Transtorno de Ansiedade apenas pelo medo de adoecer? É o que chamamos de Hipocondria!
Leia mais
hipocondria

O funcionamento do TDAH em adultos

O Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, conhecido como TDAH, é um transtorno do neurodesenvolvimento que apresenta como característica essencial um padrão persistente de desatenção, desorganização e/ou hiperatividade-impulsividade, o qual costuma persistir na vida adulta resultando no comprometimento do funcionamento social, acadêmico e profissional.
Leia mais
O funcionamento do TDAH em adultos

5 passos para solucionar um problema

Em nosso cotidiano sempre surgem problemas inesperados, não conseguimos fugir deles. Nesse vídeo busco explicar quais são os passos mais importantes para estruturarmos uma solução assertiva.
Leia mais
5 passos para solucionar um problema

Formas de Comunicação

A maneira como você expressa sua opinião e interesses está muito relacionada com a interpretação que o outro vai fazer de você, ou da conversa que vocês estão tendo.
Leia mais
formas de comunicação
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This