Reformulações teórico-práticas da Terapia Cognitiva por Aaron Beck
25 de julho de 2014
Sindrome de Down: o que é e algumas recomendações
20 de agosto de 2014

Ansiedade social: quando a timidez se torna um problema

Em nossa sociedade ainda é muito comum se atribuir valores positivos a pessoas tímidas, por ser considerado quietinha e recatada. Porém, muitas vezes esse comportamento pode causar sofrimento, prejuízos sociais e profissionais; isso ocorre quando a timidez deixa de ser apenas um aspecto da personalidade e se transforma em um quadro patológico, a ansiedade social. O ansioso social teme ser julgado negativamente, se considera com baixas habilidades sociais e atribui pouco valor a si mesmo.

A ansiedade social é um dos transtornos de ansiedade, no qual a pessoa se sente ameaçada frente a situações de interação e desempenho, temendo sempre uma avaliação negativa por parte do outro.  Essa percepção desencadeia sintomas de ansiedade tais como: taquicardia, sudorese, rubor, tremor, entre outros. Uma vez desencadeado esse processo, parecer estar ansioso torna-se mais um medo, intensificando ainda mais os sintomas. Esse mecanismo acaba por provocar um movimento de esquiva e isolamento social cada vez mais comprometedor.

Dentro da Terapia Cognitivo-Comportamental, existem três aspectos importantes do transtorno de ansiedade social. O primeiro diz respeito aos sentimentos de constrangimento e vergonha, fazendo com que um encontro social seja excessivamente ansiogênico. O segundo, se refere ao fato de que, para os ansiosos sociais, a ansiedade vivenciada em uma situação social provoca comportamentos inibitórios automáticos e tentativas de disfarçá-la, isso faz com que diminua seu desempenho social e acabe por provocar a tão temida avaliação negativa dos outros, reforçando suas crenças. O terceiro ponto está relacionado ao estágio em que a ansiedade passa a ser uma ameaça secundária, ou seja, o indivíduo fica com medo de que outros percebam sua ansiedade, isso faz com que ele fique ainda mais ansioso, por acreditar que essa deve ser encoberta, pois pode gerar avaliações negativas.

Em terapia, buscamos trabalhar as três etapas, focando sempre a reestruturação da percepção (crenças cognitivas) distorcida, treino de habilidades sociais e controle de ansiedade (de forma cognitiva e comportamental), sempre focando o bem estar do paciente e sua adaptação funcional aos contextos de interação e avaliação. A Casule Saúde e Bem-estar adota essa abordagem clínica, e oferece tratamento para ansiedade social a partir das bases cognitivo-comportamentais.

Auxiliatrice Caneschi Badaró- Psicóloga Clínica na Casule Saúde e Bem-estar

Comentários

comentários

Cristiane Schumann
Cristiane Schumann
Doutoranda e Mestre em Saúde, Especialista em Terapia Cognitivo-comportamental e em Políticas e Pesquisas em Saúde Coletiva. Atende: Adolescentes, Adultos, Idosos, Casais, Famílias e Grávidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marcar Consulta