fbpx

Adolescência: O sujeito em busca da sua verdade

Atualizado em 27/01/2017
Por Redatora Casule

Adolescência: O sujeito em busca da sua verdade

Atualizado em 27/01/2017
Por Redatora Casule
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Adolescência: O sujeito em busca da sua verdade

A adolescÊncia é um “conceito” construído socialmente. Constitui uma fase da vida que, em geral, é vista pelos pais como um “período crítico” do sujeito, que está “rebelde”.

Trata-se de um processo de transição conturbado e conflitante, e é esperado que seja assim. Porém, também é possível que esta seja a fase mais bonita da vida.

O adolescente (que tem, em média, entre 13 e 18 anos) vivencia (literalmente) na pele as mudanças físicas da puberdade: alteração no timbre da voz, pêlos no corpo, espinhas, menstruação – no caso das meninas etc., e também enfrenta as mudanças psicológicas comuns a esta idade (cobranças, responsabilidades, escolhas a fazer).

Já não é mais possível e nem desejável que os pais decidam pelos seus filhos adolescentes: preferem um programa com os amigos a acompanhar os pais nos passeios em família, queixam-se das broncas e dizem que os pais estão “ultrapassados”, confrontam valores e ideias, adotam alguém como ídolo (geralmente banda, artista ou alguém da mídia), vestem-se de maneira arrojada e parecem querer “marcar” o seu corpo de alguma maneira (tattoo, piercing, cabelos coloridos ou arrepiados, roupas extravagantes, etc). Por essas e outras dizemos que a adolescência compõe um processo de desligamento dos pais/figuras parentais.

Tudo isso que acontece do lado de fora do sujeito adolescente faz parte do seu processo interno de autoconhecimento, de construção da identidade, de questionamentos (“quem eu quero ser quando crescer?”) e de elaboração de escolhas. Os confrontos com o outro podem ser uma maneira de se auto afirmar e até mesmo de mostrar que tudo parece um pouco confuso agora. Existe aí um processo de luto pelo corpo infantil e pelos pais da infância (que já não o vêem do mesmo jeito).

A sexualidade e a agressividade também ganham ênfase nesta etapa da vida do sujeito e compõem, junto com outros afetos, os traços da personalidade do adolescente. Sua personalidade irá florescer de acordo com aquilo que o adolescente vem cultivando ao longo do seu desenvolvimento e estará diretamente relacionada com as referências que ele tem (ou com a falta delas), isto é, com os tipos de vínculos familiares que construiu e com os significados que ele atribui a estes vínculos.

Assim, é neste período que se concretiza (e não que se define) a orientação sexual do sujeito, os critérios de escolha do parceiro amoroso, a forma de lidar com as frustrações e privações que a vida impõe, a relação com o dinheiro, com o trabalho, com os estudos e com tudo aquilo que se torna seu objeto de desejo.

Por outro lado, os pais do adolescente possuem expectativas e ideais depositados sobre o filho: “Meu filho vai ser isso ou aquilo”, “Vou dar a ele o que eu não tive”, “No meu tempo se fizesse isso era assim, assado, etc.” Contudo, ao fantasiar demais o “filho ideal”, superproteger e controlar, muitos pais não fornecem o espaço necessário para que o adolescente assuma papéis sociais e adquira autonomia para fazer escolhas próprias. Logo, os pais podem dar “asa” ao seu filho, mas ele precisará “voar” sozinho.

terapia-online-casule-bannerPowered by Rock Convert

É claro os limites, as regras e os “NÃOS” são necessários e muito importantes. É preciso que os pais conheçam o círculo de amigos do filho, estabeleçam horário para chegar em casa e exijam o respeito às tradições familiares (respeitar não é obrigar), além de cobrar que ele faça as tarefas que é capaz de fazer. Mas, também é necessário muito diálogo (ouvir e falar), muita negociação e muita paciÊncia para construir uma relação de confiança com o filho.

Talvez confiança seja a palavra chave para esta e para qualquer outra fase da vida. Se o filho confia nos seus pais (sejam eles biológicos ou adotivos, avós, parentes ou quem quer que seja que exerce estes papéis) ele poderá confiar em si mesmo e SABERÁ ESCOLHER O QUE É MELHOR PARA SI não importa onde ou com quem esteja.

Acredito que a maior contribuição que os pais podem dar ao filho adolescente será sempre o AMOR, junto com o seu olhar, a sua atenção e a sua disponibilidade para apoiá-lo. É a procura do amor do outro que aplacará a sensação de desamparo sentida pelo adolescente. E, para oferecer este amor será preciso que os pais também saibam lidar com suas próprias inseguranças e com seus erros, expostos pelo filho adolescente.

Portanto, cabe aos pais e aos filhos adolescentes saber se colocarem um no lugar do outro e reconhecer que eles têm formas diferentes de enxergar o mundo e de interpretar as situações (e sempre terão!) e, principalmente, que também poderão falhar.

É válido considerar, ainda, que ser adolescente na década de 60 e ser adolescente em 2017 é beeemmm diferente. O contexto social afeta muito a auto imagem do adolescente e os ideais que ele traça para si próprio ao se deparar com padrões de beleza, de status profissional, de bens de consumo, entre tantos outros.

Você já se perguntou o que a sociedade atual espera do adolescente? E o que esta mesma sociedade oferece ao adolescente? Além do que, vemos muitos sujeitos (inclusive pais) que estenderam a sua adolescência por muitos anos a frente e que ainda não conseguiram elaborar e superar todos os conflitos deste período, afinal, ser eternamente jovem e belo é uma imposição da sociedade atual. Mas, este já seria assunto para um próximo post…

Por fim, não se esqueçam de que todos estes conflitos podem ser compreendidos durante a psicoterapia, que consiste na oferta de um espaço de escuta clínica que ajuda a revelar, através da palavra, a verdade de cada sujeito.

FONTE:http://www.psicologiasdobrasil.com.br/adolescencia-o-sujeito-em-busca-da-sua-verdade/

banner-paisagem-ebook-manejo-da-ansiedade-v1.1-curtoPowered by Rock Convert

Adolescência: O sujeito em busca da sua verdade

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre Adolescência: O sujeito em busca da sua verdade, você pode  agendar o seu horário clicando aqui.


Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Redatora Casule, aqui no Blog.
Sou focada em achar o melhor conteúdo que já foi publicado na rede e trazer informações que são relevantes e agregam valor para você.

O que você achou deste conteúdo?
Conte nos comentários sua opinião sobre: Adolescência: O sujeito em busca da sua verdade.


0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Como se posicionar?

Como se posicionar?

Sabe aquela pessoa que sempre se comporta de forma rígida e agressiva? Você tem dificuldade em se posicionar quando isso acontece e acaba se sentindo constrangido ou com algum receio ou trava quando alguém te trata dessa forma? Se você quer aprender a se posicionar, esse vídeo é para você!
Ansiedade

Ansiedade

O medo é um sentimento inato que nasce conosco. Já a ansiedade é um sentimento secundário oriundo do medo. Ela é um sentimento que todos nós temos, não há ninguém que tenha uma ansiedade zero. Assim sendo, a ansiedade basal de todos os seres humanos estão sempre maior que zero.
Como reduzir a celulite
Como reduzir a celulite

Como reduzir a celulite

A celulite é um processo de desestruturação em que a pele perde seu aspecto firme. Atualmente afeta cerca de 98% das mulheres de todo o mundo. Será que a alimentação pode contribuir na diminuição da celulite? A resposta é SIM e pode ser mais fácil do que você imagina! Assista ao vídeo completo e saiba como.
Você-pensa-sobre-seus-medos
Você pensa sobre seus medos?

Você pensa sobre seus medos?

O medo é um estado emocional muito importante, associado ao nosso mecanismo de proteção, sobrevivência e adaptação. Os medos estão relacionados a característica do objeto, contexto ou situação temida, mas também a avaliação subjetiva desses fatores. A forma como pensamos as situações, impacta diretamente em como nos sentimos e lidamos com elas. O que acha de avaliarmos nossos medos?

A importância da rede de apoio no processo de psicoterapia

Muito se fala sobre o acolhimento, alternativas de tratamento, estratégias, dicas e orientações necessárias para os pacientes que estão passando por um momento de sofrimento mental, ou possuem algum tipo de transtorno ou realizam psicoterapia. No entanto, pouco é abordado sobre a importância dos familiares e indivíduos que fazem parte do cotidiano e convívio do paciente, que compõem a rede de apoio, sendo considerados parte importante do processo terapêutico, também poder buscar por ajuda, cuidados e orientação.
Leia mais
A-importância-da-rede-de-apoio-no-processo-de-psicoterapia

Saúde mental e o enfrentamento do câncer

como se manter firme para enfrentar uma doença tão difícil e um tratamento tão delicado, vivendo um turbilhão de emoções? Nesse vídeo você vai encontrar algumas orientações para lidar e ajudar alguém que está convivendo com essa doença!
Leia mais
saúde-mental-e-o-enfrentamento-do-câncer

O que a minha filha me ensina

No aniversário da minha filha Luiza, já estávamos em isolamento social e por conta disso, tivemos que cancelar a festinha de aniversário dela. Confesso que foi bem difícil para mim, pois ela ama o aniversário dela que segundo ela, é o dia mais feliz da vida dela. Mal acaba a festa e ela já está planejando o tema do ano seguinte, ela adora estar com os amigos.
Leia mais
O-que-a-minha-filha-me-ensina

Motivos que levam à obesidade

Você sabia que a obesidade é um quadro multifatorial? Isso mesmo! Não podemos colocar apenas na comida a responsabilidade de um ganho de peso. Por isso é importante não ter preconceito e não julgar o comportamento alimentar de uma pessoa que está nesta situação. O aconselhável é sempre buscar ajuda de profissionais que tenham empatia e que possam oferecer qualidade de vida e bem-estar à pessoa com obesidade. Assista a este vídeo completo e saiba mais!
Leia mais
Motivos-que-levam-à-obesidade

Você já ouviu falar em Pistantrofobia

O termo é complicado mas a explicação é simples. Pistantrofobia é o medo de confiar nas pessoas devido a experiências negativas ou decepções ocorridas no passado. Espero que esse vídeo possa te auxiliar a entender melhor sobre esse assunto.
Leia mais

Você tem medo de falar em público?

O medo de falar em público é muito comum. Ou você mesmo tem esse medo ou conhece alguém que tem, não é? É chamado de glossofobia quando esse medo tem proporções exageradas a ponto de paralisar e não permitir que a pessoa tente vencer este medo por si só.
Leia mais

As 5 Linguagens do Amor

Essas são as 5 formas de expressar e de experimentar o amor nas nossas relações. Vem descobrir qual a linguagem do amor que você fala e qual a linguagem que você mais escuta. Compartilha com uma pessoa querida para que vocês possam melhorar a qualidade do relacionamento!!
Leia mais
Linguagens do amor

6 dicas para se tornar uma pessoa mais resiliente

Você sabia que a resiliência é uma habilidade que conseguimos desenvolver e aprimorar? Não são todas as pessoas que já tem essa habilidade super desenvolvida e é por isso que, nesse vídeo, você vai aprender dicas simples de como se tornar uma pessoa mais resiliente e conseguir enfrentar melhor os obstáculos da vida.
Leia mais
6-dicas-para-se-tornar-uma-pessoa-mais-resiliente-BLOG

Você acha que autoestima é só cuidar da sua aparência?

A autoestima vai muito além da aparência, é a visão que você tem sobre você e quando ela está baixa afeta outras áreas da sua vida, seu relacionamento, vida profissional... No vídeo vou explicar o que é, porque é importante e dar dicas para aumentar sua autoestima.
Leia mais
Você acha que autoestima é só cuidar da sua aparência
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This