Sabemos que é na infância que o ser humano desenvolve as  primeiras ferramentas para o convívio social e tem as primeiras noções de valores, aprimorando também suas capacidades cognitivas e motoras.
         A infância é um momento valioso e é também a etapa quando começamos a formar nossos conceitos e modelos.
         Mas qual será a melhor forma de ensinar os valores, algo tão abstrato e ao mesmo tempo tão concreto para as crianças?

Autoconfiança e autoestima: Autoconfiança é se sentir seguro de si. Autoestima é qualidade de quem se valoriza e sente confiança em seus atos. Ambos são importantes, pois podem determinar como a criança se relacionará consigo mesma e com os outros. Por isso é preciso ter diálogo com o seu filho, mostrando o que ele tem de positivo e o que ele precisa desenvolver.

Tolerância: Além de precisar lidar com outras pessoas, é preciso saber como se posicionar com o outro e também saber aceitar as diferenças. E como a criança poderá ser tolerante se os pais não são? Pois é, os exemplos dados pelos adultos podem ser pequenos, porém são muito eficazes!   

Humildade: Ter humildade para saber que a criança não é melhor do que os outros é fundamental. Podemos exemplificar esse valor através de atitudes do dia-a-dia, como ajudar o próximo. Além disso, mostre à criança a importância da reciprocidade, ensinando que ela precisa tratar os outros da forma que gostaria de ser tratada, e colocar isso em prática.

Persistência: Dizer que a criança é esforçada e evidenciar isso como algo positivo estimula a persistência! Outras atitudes que os pais podem ressaltar para esse valor é não presenteado com tudo que a criança deseja e incentivando que ela conquiste esse objetivo de alguma maneira.

Paciência:
Os exercícios para tornar a criança persistente também a ajudam a ser mais paciente. É importante ensinar para as crianças que algumas coisas dependem das atitudes delas e que outras têm um tempo próprio. Desta forma, mostre para os seus filhos que as pessoas precisam respeitar o seu ritmo bem como o dos outros.

Autonomia: É preciso que a
criança saiba “se virar” em alguns momentos. A melhor forma de fazer isso é justamente dando a ela autonomia, mesmo que aos poucos, por exemplo, desenvolvendo atividades como arrumar os próprios brinquedos, ajudar nos cuidados com o bichinho de estimação ou preparar o próprio material escolar. 

Lidar com frustrações: É importante que a criança aprenda a lidar com momentos de frustração e isso inclui saber lidar com os “nãos” que a vida pode dar. 

Saber se comunicar: É importante que os pais tenham diálogos com seus filhos, pois assim poderão transmitir outros valores importantes para as crianças, como a honestidade, a ética e o respeito, além de demonstrar também verbalmente o amor e companheirismo que são fundamentais para essa relação.

Cada valor tem uma forma de ser praticado, e como as crianças aprendem principalmente através da observação das figuras mais representativas, (pais e/ou cuidadores), de nada adianta passar os valores, cobrá-los e se comportar de forma diferente na presença da criança.
        Então é importante ficar bastante atento a isso! 

Comentários

comentários