Por que algumas pessoas não conseguem demonstrar carinho e afeto?
15 de outubro de 2015
Terapia de casal e família: quando buscar ajuda?
16 de outubro de 2015

 

– Pesquisas do IBGE mostraram que os casais que optam por não ter filhos formam 12% dos casais brasileiros. Porque desta opção?

Os conceitos estão mudando. Antigamente você  tínhamos poucos caminho a seguir, nascer, crescer, casar, ter filhos, envelhecer e morrer. Hoje em dia estamos desenvolvendo muito mais flexibilidade em várias áreas. A forma de pensar sobre vários aspectos vem aceitando  mais opções, por exemplo vemos cada vez mais casais formados por pessoas do mesmo sexo casando e criando (de forma muito tranquila e saudável) seus filhos.

Considero esta flexibilidade como sinal da evolução de nosso pensamento  pois antigamente havia um conceito de moralidade que punia socialmente as pessoas que tinham comportamentos fora dos padrões pre estabelecidos. Sendo assim, acredito que já houve muitas pessoas tendo filhos, ou um numero maior de filhos, do que realmente desejariam, se é que pensavam sobre o assunto. Vejo que atualmente as pessoas tem mais recursos e condições para avaliarem com antecedência quantos filhos querem e quando os pretendem ter. Sendo assim vemos que outros números tornam-se opção viável, uns optam por 1, 2 3, 4, 5, outros por 0.

 

-A necessidade de oferecer tudo aos filhos (aula de inglês, cursos) aumenta a pressão

Talvez a questão financeira seja uma parte do problema. Em países mais desenvolvidos o planejamento financeiro costuma ser levado mais a serio, e custos que não podem ser arcados simplesmente não entram nas planilhas. Creio que no Brasil há um grupo de pessoas que quando  quer uma coisa  deixam para pensar em como pagarão apenas depois da dívida ter sido contraída. Mas talvez o peso da responsabilidade de uma forma geral, incluindo a responsabilidade financeira , seja um forte fator de desistência em ter filhos. Mesmo porque a pressão em oferecer escolas particulares, cursos extras está aumentando cada vez mais, antigamente era possível receber um ensino com qualidade em escola publica e não se considerava que a criança estava defasada caso não cursasse inglês, japonês, dança, etc.

 

– Possível arrependimento e frustração

É possível que quem optou por não ter filhos passe por momentos de olhar para trás e imaginar como seria se tivesse tido filhos. Alguns podem ter tomado esta decisão devido a fatores como carreira ou falta de espaço em casa e depois de um tempo os valores mudam e percebem que o filho seria mais importante. Mas também é possível que para aqueles que realmente não tinham vocação para serem mães (ou pais) haja um grande força  incrementada com o treino necessário para responder as milhares de perguntas de todos os parentes e conhecidos “quando você vai ter filhos?”, “você não pode ter filhos?”.

 

– Quando a ausência do filho é substituída por outra coisa

Animais, viagens e compras podem aparecer como substitutos aos filhos que não vieram. Talvez estas  substituições  possam ser indícios de que esta decisão não tenha sido realmente tranquila e consciente, talvez tenha havido uma lacuna que precisou ser preenchida com outras fontes de prazer. Mas não descarto a possibilidade de casais sem filhos que se dedicam muito a qualquer outra coisa o fariam da mesma forma caso também tivessem filhos.

 

-Como esses casais são vistos na sociedade hoje

Vejo que as coisas estão mudando, as pessoas estão ficando mais abertas a novas possibilidades e menos preconceitos as opções alheias. Mesmo considerando que não ter filhos talvez não seja apenas opção, é possível que haja pessoas que simplesmente não tenham vocação alguma para ter filhos mas pode ser que casais que não possam ter filhos tenham trabalhado a aceitação. Mas também percebo que as mudanças costumam são lentas e ainda há muito preconceito que pode fazer as pessoas que não tem filhos serem vistas como problemáticas.

 

-Vantagens em não ter filhos

– Um filho traz muita alegria, com certeza, mas também pode trazer muita limitação em termos de possibilidade de passeios, espaço em casa, despesas, preocupações com saúde, escola, educação,  caráter, escolhas mal feitas, etc. Não ter todo este peso nas costas pode liberar muito tempo e dinheiro para muita atividade social. Tudo é uma questão de opção pessoal.

 

-Pesquisas dizem que casais que optam por não ter filhos são mais felizes e unidos

Quem sou eu para negar o resultado de uma pesquisa, mas acredito que o casal mais feliz é aquele que conseguiu cumprir seus planos. Os que não queriam filhos e não os  tiverem, mesmo com toda pressão social, serão mais felizes do que os que tiveram filhos “por inercia”, ou seja, simplesmente foram fazendo o que todo mundo faz sem analisar se isto é o que realmente querem.

Creio que optar por não ter filhos precisa de muita analise e consciência, e sendo assim estas pessoas serão mais felizes pois estão tendo a vida que realmente desejaram.

Mas também acredito que as pessoas que realmente querem filhos, e principalmente quando há algum obstáculo a superar para que esta criança venha a esta família (casos de infertilidade ou quando há adoção), também sejam muito felizes. Será que este grupo entrou naquela pesquisa?

 

– Um filho ensina muito aos pais

Há casais que dizem que a vida muda da água para vinho ao ter filhos. O amor que um pai ou mãe sente pelo filho é algo que não existiu em sua vida antes desta criança nascer. Os pais aprendem que existe  o amor incondicional pois apesar das noites mal dormidas, o corpo da mãe alterado, muitas vezes, para sempre, o gasto aumentado, o tempo dedicado para si mesmo reduzido, os locais de passei limitados, e ainda assim amam essas criaturinhas como nunca.

Acredito que os pais tem oportunidade de ouro em seus filhos para aprender muito sobre o ser humano, como por exemplo como as pessoas podem valorizar o tempo passado junto muito mais que um presente; o presente certo tem muito mais valor que o presente caro; como é importante  para aquela criança receber carinho, cuidado e compreensão; etc.

Quando uma pessoa se torna pai ou mãe ela pode perceber forças e coragens que nunca imaginou que teria. O aprendizado sobre si mesmo pode ser enorme.

 

– Solidão quando não há filhos

Não podemos dizer que isto seria regra para todas as pessoas, eu diria que possa haver uma tendência a sentir solidão em uma família reduzida. Quando há filhos e netos há muito mais assunto a ser compartilhado, fotos para serem admiradas e as datas comemorativas fazem mais sentido. Mas nada impede de uma pessoa organizar sua vida de forma a ser feliz com menos estímulos, ou de ter amigos que preenchem completamente.

O material deste site é informativo, não substitui a terapia  ou psicoterapia  oferecida por um psicólogo

 

FONTE:http://www.marisapsicologa.com.br/ele-nao-quer-filhos.html

CONTEښDO VIP
Coloque o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!
 
Enviar
100% livre de SPAM.

Comentários

comentários

Redatora Casule
Redatora Casule
Sou focada em achar o melhor conteúdo que já foi publicado na rede e trazer informações que são relevantes e agregam valor para você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marcar Consulta
CONTEښDO VIP
Coloque o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!
 
Enviar
100% livre de SPAM.
Fechar
 E aí? Vamos conversar?

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

Agende a sua Sessão aqui!
Primeira sessão R$ 100,00 (Psicologia, Fonoaudiologia e Nutrição)

PRÓXIMO PASSO →
fechar
Agendar Sessão