Se você possui filhos, já deve ter sido questionado em algum momento com perguntas do tipo: “Como nascem os bebês?” ou “O que acontece quando alguém morre?”. Pois é, os filhos, vez ou outra, têm algumas perguntinhas que deixam os pais às vezes sem saber como respondê-las.
         Na convivência entre pais e filhos, alguns assuntos são conversados normalmente, porém, outros podem ser considerados tabus ou então gerar dúvidas sobre como devem ser abordados.
         Quando se comenta que é necessário tratar determinados assuntos com os filhos, não significa sentá-los no sofá e falar de maneira formal. A melhor forma de fazer isso pode ser em uma oportunidade simples ou até mesmo durante uma brincadeira.    
         Por isso, algumas orientações podem ajudar você a lidar com assuntos delicados quando for questionado por alguma criança, ajudando assim a trilhar um caminho de diálogo.
       E não se esqueça… Falar sobre algumas questões “delicadas” não precisa ser uma tarefa difícil!              

Participe e aprenda mais sobre bem-estarPowered by Rock Convert
  • Se você se sentir desconfortável ou incerto sobre o assunto questionado pelo seu filho, não é preciso ficar nervoso ou forçar-se a respondê-lo de imediato. Mantenha a tranquilidade durante a conversa e diga que vai buscar saber melhor sobre a pergunta dele. 
  • Os livros infantis podem ser utilizados como recursos para introduzir e discutir muitos assuntos, além de ser uma ferramenta didática e lúdica de ensinar as crianças.
  • É recomendado que você use da empatia o máximo possível, e aceite o que o seu filho está sentindo enquanto aborda o assunto. A reação dele pode não ser o que você espera, portanto é necessário ter cuidado para não interpretá-lo de maneira errada. 
  • Tente ser sensível ao desejo do seu filho sobre conversar quando estiver pronto. O segredo é introduzir o assunto aos poucos, sempre criando um ambiente favorável ao diálogo, de forma que todos se sintam confortáveis. 
  • Ouça atentamente o que a criança quer realmente saber. Por exemplo, “Como os bebês nascem?” pode significar abordagens diferentes. Para deixar tudo mais claro, você pode perguntar para seu filho: “O que você já sabe a respeito?” ou “O que já te falaram sobre isso?”. É importante saber o contexto que gerou essa dúvida para aí então responder apropriadamente.
  • A forma de falar e agir dos pais é fundamental. Trate o assunto com leveza, sem forçar a barra em conceitos bons e ruins. O importante na conversa é que o filho sinta um interesse genuíno dos pais, sinta-se especial e que suas preocupações ou dificuldades também são de seus pais.
  • Não leve na brincadeira as perguntas que ele fizer por mais simples que pareçam, pois para ele são muito importantes, por isso, valorize o conteúdo abordado. 
  • Se a família ou a criança estiver passando por um momento complicado e que exija uma explicação detalhada ou profunda, talvez seja interessante buscar o auxílio profissional para saber exatamente como abordar o tema.