Reciprocidade, um dos alicerces dos nossos relacionamentos

Atualizado em 09/02/2017
Por Redatora Casule

Reciprocidade, um dos alicerces dos nossos relacionamentos

Atualizado em 09/02/2017
Por Redatora Casule
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Reciprocidade, um dos alicerces dos nossos relacionamentos

Vivemos em uma sociedade onde medimos tudo o que damos e o que recebemos em troca. Passamos muito tempo avaliando o que o outro nos devolve em troca da nossa dedicação: transformamos a reciprocidade em uma moeda de troca.

Provavelmente isso vai nos fazer sofrer, pois muitas vezes recebemos muito menos do que damos. Nos sentimos injustiçados e insatisfeitos com as relações interpessoais. A reciprocidade não é um sofrimento se você perceber que pode desfrutar os relacionamentos, assim como a nossa dedicação aos outros.

Esperar dos outros

Temos uma tendência e esperar demais dos outros, no mínimo a mesma dedicação que nós oferecemos a eles. No entanto, nem sempre é assim. Isto gera sofrimento, frustração e nos sentimos usados, porque poucas vezes somos correspondidos como gostaríamos.

O fato de esperarmos algo dos outros, muitas vezes de uma determinada forma e maneira, pode ser uma dolorosa decepção; nos faz repensar nossa atitude de continuarmos nos doando sem receber nada em troca.

Agradar aos outros

Muitas vezes o que nos motiva a dar algo aos outros é a preocupação com o seu bem-estar. Queremos que esteja bem, que não lhe falte nada, etc. Em princípio, podemos dizer que não queremos nada em troca.

No entanto, quando nos sentimos sozinhos e precisamos de apoio, nos sentimos ainda mais tristes ao perceber a falta de uma resposta. Quando precisamos de “uma mão” e ninguém está disposto a estendê-la, começamos a pensar que o que temos não depende do que damos.

Necessidade de valorização

Muitas vezes, mesmo sem percebermos, muitos dos nossos comportamentos que visam agradar o outro são gerados pela necessidade de receber. Damos desesperadamente porque precisamos de algo em troca.

De forma subconsciente, acreditamos que “se cuidarmos do outro, ele cuidará de nós”. Essa é uma crença equivocada que nos leva ao sofrimento e a conflitos nas relações interpessoais. Já comprovamos mil vezes que isto não é assim, mas estamos convencidos de que “deveria ser assim” e acabamos sofrendo por isso.

É muito mais saudável cuidar de si mesmo sem esperar nada dos outros. Isto não quer dizer que não vamos ajudar ninguém, mas o faremos por vontade própria, sem querer agradar e sem a condição de receber algo em troca.

Dessa forma, a satisfação de ajudar os outros é a única motivação que nos move. A reciprocidade pode até acontecer, mas deixará de ser uma tortura para nós quando acontecer, ou não, de uma forma diferente daquela que esperamos.

terapia-online-casule-banner

Eu tenho direito a reciprocidade

“Eu tenho direito a reciprocidade” significa receber com alegria o que os outros queiram nos dar. Se não esperamos nada de ninguém, a gratidão e a satisfação farão parte da nossa vida.

Dessa forma, entenderemos que a reciprocidade é um ato de liberdade e cada pessoa decide o que quer dar, quando e como. Respeitando a decisão dos outros podemos desfrutar plenamente os benefícios da reciprocidade.

Cada um decide como agir

Cada pessoa decide se quer fazer ou dar algo para os outros. Ninguém deve nada a ninguém, somos livres e não temos obrigação de retribuir.

Então vamos parar de medir o que os outros nos dão; isso é uma decisão deles. Não existe essa obrigatoriedade de dar e receber. Ninguém é obrigado a devolver o que já recebeu.

O equilíbrio nas relações interpessoais

Quando respeitamos as decisões dos outros, descobrimos outra forma de entender os relacionamentos. No entanto, muitas vezes recebemos muito de pessoas que não esperávamos e provavelmente essas pessoas não são as mesmas que receberam muito de nós.

Este é o equilíbrio das relações interpessoais; ele existe de forma natural e nos surpreende a cada momento: muitas vezes recebemos muito e não damos nada ou nos doamos demais e não recebemos nada em troca. A reciprocidade é um instrumento de troca espontânea, de satisfação e de gratidão.

FONTE:https://amenteemaravilhosa.com.br/reciprocidade-alicerce-relacionamentos/

Guia com as 15 Técnicas para reduzir a ansiedade
Sou focada em achar o melhor conteúdo que já foi publicado na rede e trazer informações que são relevantes e agregam valor para você.
Casule Play

Reciprocidade, um dos alicerces dos nossos relacionamentos

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre Reciprocidade, um dos alicerces dos nossos relacionamentos, você pode  agendar o seu horário clicando aqui. Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Redatora Casule, aqui no Blog.
Sou focada em achar o melhor conteúdo que já foi publicado na rede e trazer informações que são relevantes e agregam valor para você.

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários sua opinião sobre: Reciprocidade, um dos alicerces dos nossos relacionamentos.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

5 sinais clássicos que você se cobra demais

5 sinais clássicos que você se cobra demais

Como lidar com a sensação incômoda de autocobrança excessiva? Como lidar com aquela voz que fica na nossa cabeça falando “você deveria ter feito isso”, “eu deveria dar conta… “você não podia ter feito aquilo”, “você podia ter feito diferente”, “porque eu sou assim?”, dentre outras tantas frases de cobrança que nós mesmos fazemos conosco.
Geração Tik Tok: 3 vícios do momento

Geração Tik Tok: 3 vícios do momento

Uma tela de celular, um vídeo vertical e um minuto da sua vida. Esses três elementos são a essência do Tik Tok, a rede social de vídeos curtos que está viciando os jovens e já mudou os hábitos de consumo de vídeos de milhares de usuários. Você abre às 19h, e quando olha para o relógio novamente, já se passou uma hora.

Entenda o caso: mulher flagrada com mendigo

A notícia do envolvimento de uma mulher com um morador de rua trouxe muita repercussão na mídia. A mulher foi extremamente exposta e o morador de rua infelizmente teve "dias de glória". Mas o que pode explicar esse surto que a mulher teve? Neste vídeo, a Dra. Cristiane Schumann levanta algumas hipóteses e explica o que é transtorno bipolar do humor com sintomas psicóticos, em estado hipomaníaco. Lembrando que o mais importante é que saúde mental da mulher seja reabilitada e as pessoas esqueçam rápido o que aconteceu e a ajude nesse processo de recuperação.
Leia mais

Perigo! Exercícios em excesso

Neste vídeo, a Dra Cristiane Schumann fala sobre vigorexia. Um transtorno onde já uma distorção da imagem corporal e a pessoa tende a se ver menos “forte” do que ela realmente é. Com isto, há uma necessidade constante por musculação, atividade física em busca de um corpo muscularmente perfeito.
Leia mais

A importância de dizer ‘não’

Você é o amigo bonzinho que diz sim pra todo mundo? Muitas pessoas apresentam essa dificuldade de dizer não e isso pode atrapalhar nossa vida de várias maneiras. Nesse vídeo eu vou te mostrar a a importância de dizer não e te ajudar a falar sim pra você mesmo!
Leia mais
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This