Qual é a diferença entre TOC e Transtorno da personalidade obsessivo-compulsiva?

Atualizado em 02/02/2016
Por Nayara Benevenuto

Qual é a diferença entre TOC e Transtorno da personalidade obsessivo-compulsiva?

Atualizado em 02/02/2016
Por Nayara Benevenuto
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Qual é a diferença entre TOC e Transtorno da personalidade obsessivo-compulsiva?

Qual é a diferença existente entre o TOC e o Transtorno da Personalidade Obsessivo-Compulsivo? Vamos ver os critérios para um e para outro, segundo o DSM-5, a fim de entendermos melhor:

TRANSTORNO OBSESSIVO-COMPULSIVO– 300.3 (F42)

A) Presença de obsessões, compulsões ou ambas:

Obsessões são definidas por (1) e (2):

1) Pensamentos, impulsos ou imagens recorrentes e persistentes que, em algum momento, durante a perturbação, são experimentados como intrusivos e indesejados e que, na maioria dos indivíduos, causam acentuada ansiedade ou sofrimento.

2) O indivíduo tenta ignorar ou suprimir tais pensamentos, impulsos ou imagens ou neutralizá-los com algum outro pensamento ou ação.

As compulsões são definidas por (1) e (2)

1) Comportamentos repetitivos (p. ex, lavas as mãos, organizar, verificar) ou atos mentais (p. ex, orar, contar ou repetir palavras em silêncio) que o indivíduo se sente compelido a executar em resposta a uma obsessão ou de acordo com regras que devem ser rigidamente aplicadas.

2) Os comportamentos ou os atos mentais visam previnir ou reduzir a ansiedade ou o sofrimento ou evitar algum evento ou situação temida; entretanto, esses comportamentos ou atos mentais não tem uma conexão realista com o que visam neutralizar ou evitar ou são claramente excessivos.

Critério B:

As obsessões ou compulsões tomam tempo (p. ex. tomam mais de uma hora por dia) ou causam sofrimento clinicamente significativo ou prejuízo no funcionamento social, profissional, ou em outras áreas importantes da vida do indivíduo.

Critério C:

Os sintomas obsessivo-compulsivos não se devem ao efeito de uma substância (p. ex. droga de abuso, medicamento) ou outra condição médica

Critério D:

A perturbação não é mais bem explicada pelos sintomas de outro transtorno mental.

Especificar se:

Com insight bom ou razoável

Com insight pobre

Com insight ausente / crenças delirantes

Diagnóstico diferencial com relação ao Transtorno da Personalidade Obsessivo-Compulsiva:
“Embora o transtorno da personalidade obsessivo-compulsiva e o TOC tenham nomes semelhantes, suas manifestações clínicas são bem diferentes. O transtorno da personalidade obsessivo-compulsiva não é caracterizado por pensamentos intrusivos, imagens ou impulsos ou por comportamentos repetitivos que são executados em resposta e essas intrusões; em vez disso, ele envolve um padrão mal-adaptativo duradouro e disseminado de perfeccionismo excessivo e controle rígido. Se um indivíduo manifesta sintomas de TOC e transtorno da personalidade obsessivo-compulsiva, ambos os diagnósticos podem ser dados” (DSM-5, p. 241-242).

TRANSTORNO DA PERSONALIDADE OBSESSIVO-COMPULSIVA – 301.4 (F60.5)

Um padrão difuso de preocupação com ordem, perfeccionismo e controle mental e interpessoal à custa de flexibilidade, abertura e eficiência que surge no início da vida adulta e está presente em vários contatos, conforme indicado por quatro (ou mais) dos seguintes:

1) É tão preocupado com detalhes, regras, listas, ordem, organização ou horários a ponto de o objetivo principal da atividade ser perdido.

2) Demonstra perfeccionismo que interfere na conclusão de tarefas (p. ex, não consegue completar um projeto porque seus padrões próprios demasiadamente rígidos não são atingidos).

3) É excessivamente dedicado ao trabalho e à produtividade em detrimento de atividades de lazer e amizades (não explicado por uma óbvia necessidade financeira).

4) É excessivamente consciencioso, escrupuloso e inflexível quanto a assuntos de moralidade, ética ou valores (não explicado por identificação cultural ou religiosa).

5) É incapaz de descartar objetos usados ou sem valor mesmo quando não têm valor sentimental.

6) Reluta em delegar tarefas ou trabalhar com outras pessoas a menos que elas se submetam à sua forma exata de fazer as coisas.

7) Adota um estilo miserável de gastos em relação a si e a outros; o dinheiro é visto como algo a ser acumulado para futuras catástrofes.

8) Exibe rigidez e teimosia (DSM-5, p. 678-679).

Diagnóstico diferencial com relação ao TOC:

Apesar dos nomes semelhantes, o transtorno obsessivo-compulsivo costuma ser distinguido do transtorno da personalidade obsessivo-compulsivo pela presença, no primeiro, de obsessões e compulsões verdadeiras. Quando atendidos os critérios para os dois, ambos devem ser registrados (DSM-5, p. 681).

CONCLUSÃO

A principal definição para o TOC é a presença de obsessões e compulsões:

Obsessões: pensamentos, impulsos ou imagens recorrentes e persistentes que são vivenciados como intrusivos e indesejados.

Compulsões: são comportamentos repetitivos ou atos mentais que um indivíduo se sente compelido a executar em resposta a uma obsessão ou de acordo com regras que devem ser aplicadas rigidamente.

Ainda que tenham nomes praticamente idênticos, a diferença essencial entre o TOC e o Transtorno da Personalidade Obsessivo-Compulsivo é a presença ou ausência dessas obsessões e compulsões (e a reação da pessoa à tais obsessões e compulsões). De modo que na personalidade obsessiva o principal é a presença da preocupação com ordem, perfeccionismo e controle mental.

Fonte: http://www.psicologiamsn.com/2015/05/diferenca-entre-toc-e-transtorno-da-personalidade-obsessivo-compulsiva.html

PSICÓLOGA Especialista em terapia cognitiva-comportamental com adultos e tem formação em terapia cognitiva sexual além de atuar na avaliação bariátrica. Clique para marcar uma consulta comigo
Casule Play

Qual é a diferença entre TOC e Transtorno da personalidade obsessivo-compulsiva?

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre Qual é a diferença entre TOC e Transtorno da personalidade obsessivo-compulsiva?, você pode  agendar o seu horário clicando aqui. Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Nayara Benevenuto, aqui no Blog.
PSICÓLOGA Especialista em terapia cognitiva-comportamental com adultos e tem formação em terapia cognitiva sexual além de atuar na avaliação bariátrica. Clique para marcar uma consulta comigo

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários sua opinião sobre: Qual é a diferença entre TOC e Transtorno da personalidade obsessivo-compulsiva?.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

8 Dicas para melhorar a sua autoestima

8 Dicas para melhorar a sua autoestima

Tem dias que você acorda e não se sente satisfeito com o que é? Não consegue sentir orgulho do que faz e das suas conquistas? Tem dificuldade de enxergar seus pontos fortes e suas qualidades? Pois é, você pode estar com baixa autoestima e isso é muito comum de acontecer. Buscar meios para melhorar a autoestima é um grande passo. Seja através da leitura de um livro sobre o assunto, pesquisas, assistindo vídeos ou mesmo através da ajuda profissional.
5 sinais clássicos que você se cobra demais

5 sinais clássicos que você se cobra demais

Como lidar com a sensação incômoda de autocobrança excessiva? Como lidar com aquela voz que fica na nossa cabeça falando “você deveria ter feito isso”, “eu deveria dar conta… “você não podia ter feito aquilo”, “você podia ter feito diferente”, “porque eu sou assim?”, dentre outras tantas frases de cobrança que nós mesmos fazemos conosco.

6 dicas para lidar com a traição

A descoberta de uma traição é capaz de transformar qualquer relacionamento amoroso, seja namoro ou casamento. A vida do casal pode mudar para melhor ou piorar consideravelmente, mas, com certeza, nunca mais será a mesma.
Leia mais

3 estratégias para controlar seu dinheiro

Ser positivo é algo muito bom, porém quando falamos de dinheiro, devemos ser realistas e conhecer bem a nossa própria condição financeira. Por isso, ter inteligência emocional nas finanças se torna algo tão importante.
Leia mais

5 sinais clássicos que você se cobra demais

Como lidar com a sensação incômoda de autocobrança excessiva? Como lidar com aquela voz que fica na nossa cabeça falando “você deveria ter feito isso”, “eu deveria dar conta… “você não podia ter feito aquilo”, “você podia ter feito diferente”, “porque eu sou assim?”, dentre outras tantas frases de cobrança que nós mesmos fazemos conosco.
Leia mais

Geração Tik Tok: 3 vícios do momento

Uma tela de celular, um vídeo vertical e um minuto da sua vida. Esses três elementos são a essência do Tik Tok, a rede social de vídeos curtos que está viciando os jovens e já mudou os hábitos de consumo de vídeos de milhares de usuários. Você abre às 19h, e quando olha para o relógio novamente, já se passou uma hora.
Leia mais
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This