expectativa---psicóloga---Suelen---Casule

Criar expectativas é um problema?

Atualizado em 26/11/2018
Por Redatora Casule

Criar expectativas é um problema?

Atualizado em 26/11/2018
Por Redatora Casule
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Criar expectativas é um problema?

Muitos dos problemas que surgem em consultórios de Psicologia estão, de alguma forma, relacionados com as expectativas que se criam em relação aos outros e/ou situações e a posterior desilusão: aquela pessoa não teve a atitude que esperávamos dela, aquela situação não correu como tínhamos planejado… Se sabemos que criar expectativas faz parte da natureza humana, é importante questionar-nos se, de fato, estamos ou não colocando as nossas expectativas à frente da compreensão que temos da realidade.

De forma mais ou menos consciente, estamos sempre construindo uma imagem das pessoas que nos rodeiam, criada não só através daquilo que observamos e analisamos nos outros, mas também através da nossa percepção individual, ou seja, dos “filtros” que desenvolvemos ao longo das nossas vidas (associados com a imaginação, sentimentos, emoções e experiências anteriores). Estes “filtros” estão também associados às crenças que fomos desenvolvendo desde a infância.

De acordo com o significado da palavra, a expectativa é uma esperança baseada em supostos direitos, probabilidades, pressupostos ou promessas. Assim, ao criarmos expectativas em relação a outra pessoa/situação, estamos a supor que esta corresponda ao que acreditamos ser um “direito” nosso. E quando estas expectativas não são satisfeitas, sentimo-nos revoltados, frustrados e/ou zangados, ocupando frequentemente o papel de “vítima”.

Porém, os outros não pensam, não agem, nem sentem como nós…o que significa que as nossas expectativas podem ter sido criadas com base numa ilusão, porque dependem da ação de outras pessoas/acontecimentos para se realizarem. Esperamos que algo do exterior, sobre o qual não temos controle, corresponda àquilo que julgamos como certo.

Atendendo às expectativas do OUTRO

Vivemos a vida que realmente gostaríamos? Tomamos nossas decisões com base no que queremos?

Seria bom questionarmos se estamos vivendo conforme o que queremos ou conforme as expectativas que os DEMAIS colocam sobre nós.

É preciso ser um bom trabalhador, um bom estudante, uma pessoa responsável, cuidar da família. Tudo isso se converte em imposições que acreditamos ter que cumprir. Mas o que acontece quando saímos do que supomos que as pessoas esperam de nós?

Aparece a frustração das pessoas que sempre nos viram como cumpridores de expectativas. Se reagimos como não estava  previsto e decidimos nos comportar de outra maneira, com certeza nossos relacionamentos mudarão e nos sentiremos culpados por desapontar essas pessoas.

Libertar-nos das expectativas que os demais colocam sobre nós já é um grande passo, no entanto, uma tarefa difícil e que requer muita coragem.

Se além disso tentarmos entender que não fracassamos e que a decepção e a frustração são dos outros, pois foram eles que criaram uma expectativa sobre nós, melhor ainda.

O reflexo das nossas experiências

terapia-online-casule-banner

Nossas experiências, o que vivemos e aprendemos em todas as situações que passamos vai, de alguma forma, nos moldando e criando as nossas expectativas e as que nós temos sobre os demais.

No entanto, as pessoas não são, especificamente, de uma determinada maneira; existem muitos fatores que influenciam como devemos nos comportar e as decisões que tomamos.

Se me decepcionei por esperar algo de alguém, é minha responsabilidade aceitar que isso era minha crença, minha expectativa, o que eu criei em minha mente. A outra pessoa está em seu direito de não corresponder ao que eu esperava dela.

Ao entendermos o processo e o mecanismo de nossas expectativas, vamos tornando-as menos importantes, sendo mais compreensivos e flexíveis.

Vamos aceitando e amando as pessoas e a nós mesmos pelo o que somos, com nossos erros e acertos. Nos permitindo ser como necessitamos ser, permitindo aos outros serem como necessitam ser e como queiram ser.

Amadurecer é ter condição de ser feliz com o que se tem e não apenas com o que estar por vir. Saber lidar com as pessoas como elas são é uma arte, pois esperar mudanças e ações dos outros para ser feliz é um grande gerador de frustrações.

A terapia pode ajudar…

Não é fácil ter o controle das expectativas sem que isso gere sentimentos de ansiedade, mas é possível. E uma das formas de trabalhar melhor esse processo é com um apoio psicológico, que vai fortalecer e ajudar o paciente a não sofrer tanto com as inconstâncias da vida, inclusive nas situações em que as expectativas não são alcançadas.

Fontes:

https://www.oficinadepsicologia.com/entre-expectativa-e-a-desilusao/

https://www.psicologosberrini.com.br/terapia-cognitivo-comportamental/como-gerenciar-as-suas-expectativas/

https://amenteemaravilhosa.com.br/expectativas-asseguram-frustracoes/

https://www.minhavida.com.br/bem-estar/materias/17508-expectativas-exageradas-em-relacao-aos-outros-pode-levar-a-ansiedade

Guia com as 15 Técnicas para reduzir a ansiedade
Casule Play

Criar expectativas é um problema?

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre Criar expectativas é um problema?, você pode  agendar o seu horário clicando aqui. Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Redatora Casule, aqui no Blog.
Sou focada em achar o melhor conteúdo que já foi publicado na rede e trazer informações que são relevantes e agregam valor para você.

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários sua opinião sobre: Criar expectativas é um problema?.

0 comentários

Fome fisiológica versus Fome emocional
Fome fisiológica x Fome emocional

Fome fisiológica x Fome emocional

Não é incomum se deparar com situações e períodos estressantes na vida da maioria das pessoas e uma das primeiras consequências é sair da dieta. Por essa razão a fome fisiológica (homeostática) muitas vezes pode ser confundida com a fome emocional (hedônica). E como diferenciá-las?

Objetivos da Orientação Profissional

A Orientação Profissional é um processo de avaliação que auxilia qualquer pessoa, independente da idade, a escolher uma faculdade ou um curso profissionalizante, e até mesmo mudar de carreira.
Leia mais

Como os super-heróis podem ajudar no desenvolvimento infantil?

Com base nas histórias de super-heróis é possível trabalhar diversos temas e habilidades com as crianças. A maioria das histórias tratam de assuntos como humanidade, emoções, justiça, amizade, confiança, altruísmo, humildade, empatia, virtudes, esperança, responsabilidade, fazer o bem...
Leia mais

Como funciona o atendimento nutricional?

Entender sobre o atendimento nutricional pode encorajar aqueles que buscam alcançar bons resultados. No vídeo, falo os 5 aspectos avaliados no atendimento e dicas para encontrar profissionais que possam atender suas necessidades.
Leia mais
Como-funciona-o-atendimento-nutricional-BLOG

Saiba quais são os 9 indicadores de violência infantil

Antes de qualquer coisa precisamos pensar em uma prática muito comum dos adultos em atribuírem qualquer discurso da criança somente à imaginação e à fantasia, podendo estar negligenciando situações de risco ou de violência consumada. É claro que, em muitos casos, essas situações não são óbvias e nem mesmo fáceis de serem identificadas, por isso é de extrema importância nos atentarmos para os indicadores de violação de direitos e violência.
Leia mais
Saiba quais são os 9 indicadores de violência infantil
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This