Como-ajudar-a-criança-a-lidar-com-o-luto-casule

Como ajudar a criança a lidar com o luto?

Atualizado em 05/04/2018
Por Redatora Casule

Como ajudar a criança a lidar com o luto?

Atualizado em 05/04/2018
Por Redatora Casule
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Como ajudar a criança a lidar com o luto?

        É comum algumas pessoas dizerem que crianças pequenas não compreendem a morte, e por isso muitas vezes tem-se a ideia de que tudo que é relacionado a este conceito é prejudicial para a criança, fazendo com que exista um silêncio amedrontador e desconversas sobre esse assunto.


        Na maioria das vezes o luto é associado à morte, mas esse processo engloba outras perdas como, por exemplo, perda de um emprego, perda de um animal de estimação, perda de um relacionamento, etc.. Mas vamos falar um pouco sobre a perda de um ente querido durante a fase infantil.


       O luto é o processo de adaptação emocional que acompanha qualquer perda. E sem dúvida a morte de um ente querido é a situação mais difícil de compreender.

    
        Em qualquer fase da vida, perder uma pessoa querida gera tristeza, mas durante a infância, uma perda pode ser ainda mais significativa, afetando as crianças de forma diferente.
        É importante deixar claro que o não falar sobre morte com crianças pode acarretar alterações em seu desenvolvimento. Com essas dificuldades e a falta de entendimento das crianças, o luto pode conduzir ao isolamento, infantilização, desinteresse, medo, culpa, sintomas psicossomáticos, insônia, pesadelos, perda de apetite, ansiedade de separação, crises de pânico, incapacidade ou recusa de encarar a realidade, depressão, baixa autoestima, baixo rendimento escolar e em alguns casos tentativas de suicídio.  


        Cada criança lida com a perda de sua própria maneira, variando de acordo com a sua idade, a causa da morte e o grau de proximidade. Por isso, é importante acompanhar de perto o comportamento dessas crianças para fornecer o melhor apoio possível a elas durante os momentos mais difíceis.


        Ao contrário de um adulto, a criança vai crescer com a memória da perda e aprender a entendê-la de maneiras diferentes ao longo de cada etapa do seu desenvolvimento. Portanto, é essencial ajudá-las a lidar com o problema de forma saudável durante todo o seu crescimento.  


        Dessa forma, no processo de elaboração do luto infantil o mais importante é que a criança expresse seus sentimentos, inclusive os negativos, como raiva e culpa que são considerados normais nesse processo. E o papel da família é ajudar a criança nos momentos de tristeza, além de incentivar que ela expresse seus sentimentos.


O luto de acordo o desenvolvimento cognitivo:

Antes dos 3 anos – Não há compreensão do significado da morte e a criança raramente se perturba, mas pode ficar ansiosa em função da reação dos familiares.

terapia-online-casule-banner

A partir dos 3 anos – A criança entende a morte como um processo reversível, sendo algo temporário e não permanente.

Aos 5/6 anos – A criança começa a entender a morte, mas a considera um evento não natural e passa a associar a causa da morte a termos mágicos.

Após os 7 anos – Começa a compreender que a morte é irreversível e passa a questionar a respeito. Também passa a fazer menção às causas concretas da morte como algum tipo de doença, veneno ou acidente.

Aos 10 anos – Entende a morte como fim da experiência da vida e tem condições de compreender o sentimento de perda.

Após os 11 anos – A criança entende o real sentido da morte e passa a percebê-la como condição natural do ciclo de vida.

Como ajudar a criança a lidar com o luto:

Apoio de pessoas importantes na vida da criança – Durante um momento difícil como esse, é importante que as pessoas que tenham algum envolvimento na vida da criança tentem ajudá-la a entender o processo pelo qual está passado e a lidar com a perda de uma forma mais positiva. Entender suas necessidades, conversar e observar como a criança lida com a situação são algumas maneiras de ajudar.

A despedida Algumas pessoas acreditam que ao evitar que a criança vá ao velório ou enterro, estará poupando-a de mais sofrimento. No entanto, este é um momento essencial para iniciar o processo de superação do luto, já que permite que a criança se despeça e comece a tomar consciência do que está acontecendo. No entanto, também é preciso prepará-la para tudo que vai acontecer. É extremamente importante que alguém de confiança sente com ela, explique como tudo acontece. Assim, a própria criança poderá decidir se quer presenciar ou não. Caso opte por ir, é interessante que ela vá acompanhada por alguém de sua confiança, caso opte por não comparecer, uma ideia é criar um ritual próprio para que se despeça, como uma pequena cerimônia íntima em casa.

Ajuda profissional – As marcas de uma perda podem permanecer com a criança de forma negativa durante seu crescimento se não forem bem resolvidas. Se após a perda de um ente querido a criança não demonstrar sinais de recuperação ou estiver ainda muito afetada com o acontecido, pode ser interessante procurar a ajuda de um psicólogo que a ajude a lidar com o problema. O apoio dos familiares também é muito importante. Lidar com o luto em família, compartilhando a dor, é uma forma eficiente de fortalecer os laços e de acelerar o processo de recuperação.

Guia com as 15 Técnicas para reduzir a ansiedade
Sou focada em achar o melhor conteúdo que já foi publicado na rede e trazer informações que são relevantes e agregam valor para você.
Casule Play

Como ajudar a criança a lidar com o luto?

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre Como ajudar a criança a lidar com o luto?, você pode  agendar o seu horário clicando aqui. Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Redatora Casule, aqui no Blog.
Sou focada em achar o melhor conteúdo que já foi publicado na rede e trazer informações que são relevantes e agregam valor para você.

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários sua opinião sobre: Como ajudar a criança a lidar com o luto?.

0 comentários

5 sinais clássicos que você se cobra demais

5 sinais clássicos que você se cobra demais

Como lidar com a sensação incômoda de autocobrança excessiva? Como lidar com aquela voz que fica na nossa cabeça falando “você deveria ter feito isso”, “eu deveria dar conta… “você não podia ter feito aquilo”, “você podia ter feito diferente”, “porque eu sou assim?”, dentre outras tantas frases de cobrança que nós mesmos fazemos conosco.

Entenda o caso: mulher flagrada com mendigo

A notícia do envolvimento de uma mulher com um morador de rua trouxe muita repercussão na mídia. A mulher foi extremamente exposta e o morador de rua infelizmente teve "dias de glória". Mas o que pode explicar esse surto que a mulher teve? Neste vídeo, a Dra. Cristiane Schumann levanta algumas hipóteses e explica o que é transtorno bipolar do humor com sintomas psicóticos, em estado hipomaníaco. Lembrando que o mais importante é que saúde mental da mulher seja reabilitada e as pessoas esqueçam rápido o que aconteceu e a ajude nesse processo de recuperação.
Leia mais

Perigo! Exercícios em excesso

Neste vídeo, a Dra Cristiane Schumann fala sobre vigorexia. Um transtorno onde já uma distorção da imagem corporal e a pessoa tende a se ver menos “forte” do que ela realmente é. Com isto, há uma necessidade constante por musculação, atividade física em busca de um corpo muscularmente perfeito.
Leia mais

A importância de dizer ‘não’

Você é o amigo bonzinho que diz sim pra todo mundo? Muitas pessoas apresentam essa dificuldade de dizer não e isso pode atrapalhar nossa vida de várias maneiras. Nesse vídeo eu vou te mostrar a a importância de dizer não e te ajudar a falar sim pra você mesmo!
Leia mais
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This