Zona de Conforto: Série de ações, pensamentos e/ou comportamentos que uma pessoa está acostumada a ter e que não causam nenhum tipo de medo, ansiedade ou risco. Nessa condição a pessoa realiza um determinado número de comportamentos que lhe dá um desempenho constante, porém limitado e com uma sensação de segurança.

Para que você possa ter uma experiência pessoal, tente o seguinte exercício:

Pense em algo que você cronicamente evita fazer, por exemplo, conhecer novas pessoas, equilibrar as finanças pessoais, uma conversa difícil ou voltar a estudar. De que forma você se organiza ao ponto de evitar fazê-lo? Imagine que padrão de evitamento permite com que você não faça essas coisas.

Essa é a sua zona de conforto. Qual é a sensação?

O PREÇO A PAGAR PELA ZONA DE CONFORTO

É muito provável que quando você evita algo que lhe é incômodo, depois se sinta como se estivesse num lugar seguro e familiar, livre da dor que o mundo pode provocar-lhe. Mas simplesmente escapar à dor e mal-estar não é suficiente. Insistimos que a dor pode ser substituída pelo prazer. Fazemos isso com uma infindável variedade de atividades que causam problemas psicológicos e dependências em longo prazo. Os vícios: pelas redes sociais, drogas, álcool, jogo ou mesmo compras excessivas.

Todos estes comportamentos, entre outros, são muito comuns na tão proclamada cultura de conforto. Este tipo de comportamentos indesejados, são impulsionados pela tentativa da pessoa diminuir a ansiedade. A pessoa escolhe atividades que permitem reduzir a ansiedade e ao mesmo tempo lhe proporcionarem prazer, no entanto essas mesmas atividades em longo prazo irão causar uma dor maior do que a saída saudável da sua zona de conforto. Tais atividades funcionam apenas como escapatória. Evitação.

O quer que seja que consista a sua zona de conforto, você paga um preço enorme por isso. A vida oferece possibilidades incríveis, mas você não pode aproveitá-las sem ter que enfrentar algum tipo de dor, esforço, sacrifício ou sofrimento. Se você tem um baixo índice de tolerância à dor e mal-estar, é importante ganhar a noção que isso pode ser um tremendo impeditivo ao desenvolvimento do seu potencial, e que por isso uma ajuda profissional para encarrar é fundamental.

Participe e aprenda mais sobre bem-estarPowered by Rock Convert

Há muitos exemplos disso. Se você é tímido e evita as pessoas e o contato social, irá perder a oportunidade de estabelecer imensos contatos que poderiam enriquecer a sua vida. Se você é criativo, mas não suporta críticas, você certamente afastará a grande maioria das pessoas que poderiam apreciar o seu trabalho. Se você é um líder e não pode confrontar ou estabelecer laços com as pessoas, ninguém vai segui-lo.

Ao ficar na sua zona de conforto, você acaba abandonando a maioria dos seus sonhos e aspirações. Por se limitar e evitar mudanças na sua vida.

Buscar e ter conforto em nossas vidas não é sinônimo de viver na zona de conforto.

PROCURE DESAFIOS QUE MEXAM CONSIGO

O desafio, talvez seja aquilo que mais nos coloca à prova das nossas capacidades e nos faz avançar. O desafio e a motivação, ambos entrelaçados irão permitir a transformação pessoal. Cada provação que enfrentamos ou a que nos propomos a enfrentar é uma oportunidade para criarmos de um “Eu” mais capacitado, habilidoso e realizado. Cabe a cada um de nós de forma constante e persistente procurar desafios que nos motivem. E cabe a você perceber quando se encontra aborrecido e entediado por se ter enraizado na sua zona de conforto.

Durante a vida, as pessoas, de uma maneira geral, costumam acomodar-se, refugiar-se. Acostumam-se com a rotina, um determinado modo de vida, seja no âmbito familiar, social ou profissional. No entanto, a vida é essencialmente dinâmica, mutável. Assim, é preciso adaptar-se continuamente às mudanças que ocorrem.

As mudanças são desconfortáveis, trazem insegurançaansiedade. Mas são necessárias. É preciso preparar-se continuamente para os novos desafios que se apresentam todos os dias. Não podemos contar com a estabilidade nas relações sociais ou profissionais. A todo o momento, surgem novidades, oportunidades.

 Só erra quem tenta, e só quem tenta tem a possibilidade de ser bem sucedido.

Iniciando A MUDANÇA DE HÁBITOS

  1. Compreenda a verdade sobre os seus hábitos.Os hábitos representam os acontecimentos do passado (sucessos e insucessos). Você tem formado comportamentos automáticos, porque uma vez obtido sucesso com algo, temos uma enorme tendência para executar a mesma resposta da próxima vez, e esperar que funcione novamente. Deve tentar novas maneiras de pensar e agir, isto porque provavelmente as formas antigas estão desadequadas e ultrapassadas.
  2. Faça alguma coisa, por menor que seja, de forma diferente e veja o que acontece.Mesmo os hábitos melhor sucedidos, eventualmente, perdem a sua utilidade à medida que as coisas vão mudando. Grande parte das estratégias do passado estão condenadas ao fracasso em algum momento. Deixar que hábitos automáticos assumam o controlo da sua vida é um caminho certo para a auto-sabotagem e insucesso.
  3. Seja você mesmo.É fácil supor que você sempre tem que adaptar-se para caminhar no mundo, que você deve obedecer para ser querido e respeitado por outros ou então enfrentar a exclusão. Porque a maioria das pessoas quer agradar, tentam tornar-se o que acreditam que os outros esperam que elas sejam, mesmo que isso signifique obrigar-se a ser o tipo de pessoa que não são. Isto não é ser assertivo, nem fazer uso da flexibilidade de pensamento ou muito menos ser uma pessoa com uma identidade própria.
  4. Se coloque em primeiro lugar.Você é único. Você precisa colocar-se em primeiro lugar, porque mais ninguém tem tanto interesse na sua vida como você próprio, e porque se não o fizer, ninguém vai fazer por si. Colocar os outros em segundo lugar, significa dar-lhes o devido respeito, não ignorá-los totalmente. Manter uma auto-imagem positiva pode ser um desafio.  Ao invés, ser presunçoso, e ter uma auto-estima desmedida e irrealista, pode ser prejudicial. É importante perceber que um bom equilíbrio emocional  irá colocá-lo num situação saudável e vantajosa, caso precise da ajudar de alguém ou a de si mesmo, certamente estará à altura quando o momento chegar.
  5. Aceite que você é influenciado. Não podemos funcionar de forma eficaz e adaptativa, sem interação e apoio de outras pessoas. Tudo o que temos, tudo o que aprendemos, veio a nós através das mãos  de outras pessoas, mesmo que indiretamente. Assim,  esforce-se por reconhecer que você é uma rica mistura de pensamentos e sentimentos que vêm e vão, alguns úteis, outros não. Não há necessidade de manter uma fachada, não há necessidade de fingir. Não somos melhores, nem piores, somos únicos!

O que por vezes nos prende em situações e ações que não funcionam não é a inércia ou procrastinação. É o poder  exercido pelos velhos hábitos pelos quais você enxerga e pensa acerca das coisas. Até que você  tome consciência que isso o aprisiona e lhe sabota, eles vão continuar a mantê-lo refém de si mesmo. Permanecer na sua zona de conforto através do mero hábito, ou pior ainda, ficar lá por causa de medos irracionais, irá condená-lo a uma vida de frustração e arrependimento.

Se você conseguir aceitar a verdade sobre o mundo e a si mesmo, ficará mais flexível para mudanças e verá com novos olhos a vida ao seu redor. Você irá perceber que uma única ação, por menor que seja, abre a porta da sua prisão auto imposta e auxilia a alcançar os seus objetivos de vida.

Você vai conseguir alcançá-los, se você quiser.

Share This