preconceito-com-terapia-psicologia-casule
Você tem preconceito com terapia? (Vídeo Completo)
6 de dezembro de 2018

Por que é tão difícil dizer “NÃO”?

Dificuldade-de-dizer-não---psicóloga---Suelen---Casule

A palavra pode ser pequena, mas seu peso no nosso cotidiano é enorme. Tanto que para muitas pessoas é simplesmente muito difícil pronunciar a palavra “não”. Porém, sempre aceitar tudo traz diversos malefícios.

Saber dosar o “sim” e o “não” faz parte do amadurecimento emocional do ser humano. Se você é uma pessoa que tem dificuldade para dizer “não”, saiba que existem inúmeros fatores psicológicos por trás desse comportamento que está atrapalhando sua vida e pode até prejudicar sua saúde.

Negar alguma coisa a alguém pode ser muito difícil e desagradável. É muito comum que as pessoas optem pelo “sim” apenas para ver o outro feliz, para evitar a discórdia e até para não ter que assumir as consequências do “não”.

Querer sempre agradar

Alguns indivíduos têm a necessidade de sempre agradar os outros, e nesse cenário realmente fica difícil negar alguma coisa a alguém.

Toda vez que você ignora sua vontade de dizer “não”, você está dizendo não para si mesmo. Quem é “bonzinho demais” e aceita tudo o que os outros pedem, acaba deixando seus desejos pessoais em último lugar. Este tipo de pessoa ignora suas verdadeiras vontades e gostos, preferindo agradar os outros.

Muitas vezes, essa pessoa não consegue dar conta de tudo o que se prontificou a fazer, ficando perdida e estressada. De tanto dizer “sim” aos outros, e nunca para si, ela inevitavelmente explode, perde a linha e se cansa de todo o descaso e frustração que teve em sua vida.

Achar o problema do outro mais importante

Sim, de vez em quando a outra pessoa vai realmente ter um problema maior que o seu para resolver. Mas pensar sempre assim é sinal de autoestima baixa.

Nesses casos, o ideal é prestar atenção a como você se sente ao falar o “sim”. Caso a sensação seja ruim, alguma coisa está errada. Mas não precisa dizer um “não” imediatamente, e sim um “vou pensar”. Demonstre que você reconhece o sentimento ou a posição da outra pessoa, sem desmerecê-la, mas coloque também o seu lado da questão. E feche com o que você quer que aconteça, fazendo uma nova proposta.

Acreditar que pode fazer mais do que consegue

Por outro lado, uma autoestima nas alturas também pode tornar difícil dizer “não”. Uma pessoa pode considerar que é mais poderosa do que realmente seria possível e com isso tenta reunir para si um número exagerado de atividades. Nesses casos, é importante dizer “não” a si mesmo, entrando em contato com a realidade. Tudo na vida tem limite. É preciso saber muito bem o que se quer e estabelecer prioridades.

Temer um conflito

Esse talvez seja o motivo mais comum para evitar dizer “não”: medo de arrumar algum problema futuro, justamente por não saber lidar com ele.

Não querer rejeitar o outro

Outro problema da palavra “não” é que ela está intimamente ligada à rejeição. Muitos evitam negar justamente para não causar essa sensação ruim no outro, até como uma ação de reflexo, já que eles mesmos se sentem rejeitados com as negativas.

Entender os fatores psicológicos que sustentam sua dificuldade de dizer “não” é um grande passo para se libertar. Lembre-se: por trás de todo comportamento existe um pensamento e uma crença, e muitos padrões de comportamento da vida adulta são mecanismos de proteção para algum trauma do passado.

Três perguntas antes do “NÃO”

1. Eu quero?

Essa é uma questão importantíssima para fazer escolhas conscientes, mas não suficiente para as melhores escolhas. Após sabermos se queremos ou não fazer o que nos pedem, é importante seguirmos para a próxima pergunta:

 2. Eu posso?

Porque nem tudo o que queremos, podemos fazer. Às vezes dizemos sim sem poder, e entramos numa enrascada! A melhor escolha exige que reflitamos, também, se temos condições físicas e psicológicas de fazermos o que nos é pedido. Se não temos condições, é óbvio que a resposta é “não”. Mas se temos, passamos para a próxima questão:

 3. Eu devo?

É interessante nos perguntarmos se é conveniente fazermos o que nos é solicitado. Quais as consequências do “sim” ou do “não”? O que temos a ganhar ou perder?

Com essas três perguntas, várias combinações de respostas podem ser feitas para agirmos de forma consciente, quando solicitados por alguém.

Enfim, o mais importante é que cada um se dê conta de que dizer “não” ou “sim” é uma escolha. Pessoas que sempre dizem “sim” alegam não terem outra escolha. Na verdade, elas têm, mas não querem arcar com as temíveis consequências do “não”.

O certo é que o “não” que dizemos provavelmente causará incômodo. Os outros certamente se chatearão conosco, mas isso não é o fim do mundo. Para exigir que respeitem os nossos “nãos”, precisamos respeitar a chateação alheia. As pessoas são diferentes e ninguém é obrigado a gostar das nossas escolhas.

Fontes:

http://tribunadoceara.uol.com.br/blogs/papo-psi/comportamento/por-que-e-tao-dificil-dizer-nao/

http://www.sbie.com.br/como-dizer-nao-e-importante-para-o-amadurecimento-emocional/

https://www.minhavida.com.br/bem-estar/materias/16473-por-que-e-tao-dificil-dizer-nao

Comentários

comentários

Suelen Tebaldi
Suelen Tebaldi
Psicóloga, terapeuta cognitiva comportamental, apaixonada pela escuta e pelo relacionamento com as pessoas. "Psicóloga da família" desde pequena, vive e ama essa profissão e todos os seus desafios.

Os comentários estão encerrados.

Marcar Consulta