O-que-faz-um-Psicólogo-Criminal-blog-casule

O que faz um Psicólogo Criminal?

Atualizado em 16/03/2020
Por Suelen Tebaldi

O que faz um Psicólogo Criminal?

Atualizado em 16/03/2020
Por Suelen Tebaldi
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

O que faz um Psicólogo Criminal?

No geral, as pessoas têm a imagem mental do psicólogo como aquele terapeuta que elas buscam para resolver algum conflito psicológico, no entanto, a Psicologia Criminal é um ramo diferente e igualmente apaixonante da Psicologia.

Quando falamos da Psicologia aplicada à investigação criminal, na verdade estamos falando de um conjunto de disciplinas que, juntas, fazem parte da chamada Psicologia Criminal. Esse campo da Psicologia contempla áreas de interesse como a vitimologia, análise de cenas de crimes e a crimodinâmica.

Esta ciência é desenvolvida em uma ampla gama de procedimentos, como a autópsia psicológica, definição de perfis, análise operativa, etc. As áreas de desenvolvimento da Psicologia Criminal são muitas, de modo que é considerada uma ferramenta importante na investigação criminal.

Na prática…

Uma das muitas funções do psicólogo criminalista está orientada ao acompanhamento do investigador policial nas entrevistas com vítimas testemunhas e pessoas suspeitas de um crime. Isso é feito com o objetivo de avaliar o estado mental do entrevistado e os  possíveis fatores psicopatológicos que possam estar presentes.

Da mesma forma, a Psicologia aplicada à investigação criminal traz uma análise interpretativa do local do crime e do modus operandi ou assinatura do criminoso. Este último se refere ao padrão comportamental exibido pelo autor do crime. Também se refere à sua previsibilidade, já que é um comportamento com tendência à mudança caso seja reiterativo.

Os psicólogos criminalistas realizam, além disso, avaliações psicológicas reconstrutivas ou retrospectivas. Essas avaliações combinam conhecimentos forenses com a análise clínica da saúde mental. Sua principal função é a criação de autópsias psicológicas e análises de mortes equívocas, sendo especialmente úteis na delimitação de perfis criminais.

Traçando o perfil criminal

Delimitar os perfis criminais é uma técnica que tenta prever o comportamento humano em relação ao delito. Por exemplo, a análise e a interpretação de evidências encontradas na cena do crime ou o modus operandi podem apontar para um tipo de personalidade criminosa ou, o que não é de menor valia, contribuir para descartar outros perfis.

O perfil costuma ser traçado em quatro etapas:

Etapa 1.  É a etapa na qual se obtém a informação. Quanto mais fontes de informação, mais preciso será o perfil. Isso é feito por meio de depoimentos, inspeções, informes policiais, etc. São utilizadas também a informação forense, a causa da morte, lesões pré e pós morte, atividade sexual e análise toxicológica.

Etapa 2.  É a etapa na qual o delito é classificado com toda a informação relativa ao caso. Classifica-se o delito com base nos manuais policiais e de investigação. São consideradas variáveis como risco para o agressor, duração do delito e tentativas prévias.

terapia-online-casule-banner

Etapa 3. O crime é reconstituído e são feitas as primeiras hipóteses do acontecimento. O modus operandi é definido nessa etapa. Aqui também é importante a criação do perfil geográfico. Os elementos a serem analisados nessa fase são muitos. Por exemplo, seleção aleatória ou não da vítima, controle exercido sobre ela, a prática e o tipo de crime (organizado ou desorganizado). Este último dado contribui com uma informação decisiva para a definição do tipo de personalidade.

Etapa 4.  É nessa etapa que o perfil criminal é elaborado. Deve incluir a aparência física, origem, ambiente sociocultural no qual o criminoso se desenvolve, seu nível acadêmico ou profissional, habilidades intelectuais e capacidades físicas. São descritos também os hábitos do criminoso e seus comportamentos pré e pós-crime. É nessa fase que finalmente são dadas as recomendações para que os investigadores iniciem seu trabalho.

Áreas de atuação do Psicólogo Criminal

Perícia Criminal 

Uma das possibilidades de atuar na área é através do ingresso na Polícia Civil ou Federal por meio de concurso público. Essa seleção não exige graduação específica e várias áreas são contempladas, incluindo a Psicologia.

Servidor Público

Além das polícias, a Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), as Forças Armadas e os Tribunais de Justiça são também opções em concurso público. Há ainda seleções para atuar em presídios, unidades de detenção de menores entre outros.

Assistente técnico

O Psicólogo Forense, outra denominação que aparece frequentemente associada à profissão de Psicólogo Criminal, pode ser contratado como assistente técnico para auxiliar e avaliar laudos do psicólogo perito. 

De forma independente

Os profissionais podem ainda atuar de forma autônoma oferecendo serviços de consultoria no âmbito da investigação forense e criminal, atuando também na área de segurança para empresas privadas. 

Fontes:

https://amenteemaravilhosa.com.br/psicologia-aplicada-a-investigacao-criminal/
https://blog.ipog.edu.br/saude/psicologia-criminal/


Guia com as 15 Técnicas para reduzir a ansiedade
Casule Play

O que faz um Psicólogo Criminal?

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre O que faz um Psicólogo Criminal?, você pode  agendar o seu horário clicando aqui.


Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Suelen Tebaldi, aqui no Blog.
Psicóloga, terapeuta cognitiva comportamental, apaixonada pela escuta e pelo relacionamento com as pessoas. "Psicóloga da família" desde pequena, vive e ama essa profissão e todos os seus desafios. Conheça o meu Instagram. | Clique para marcar uma consulta comigo

O que você achou deste conteúdo?
Conte nos comentários sua opinião sobre: O que faz um Psicólogo Criminal?.


0 comentários

Mães-Narcisistas
Mães Narcisistas

Mães Narcisistas

O termo “narcisismo” já faz parte da cultura ocidental há mais de século. Tem origem no mito grego de Narciso, rapaz jovem e orgulhoso cuja beleza era admirada por todos. Em uma caminhada ao lado de um rio, Narciso vê seu reflexo na água pela primeira vez. Apaixonado pela própria imagem, ele se mantém junto ao rio para melhor apreciá-la. Por recusar-se a abandoná-la, Narciso morre no local, admirando a si mesmo.
Insonia
Insônia

Insônia

Algumas pessoas enfrentam dificuldades na hora de dormir, seja para iniciar ou manter o sono, como por exemplo, acordam muito mais cedo do que estão habituadas e não conseguem voltar a dormir, acordam no meio da noite ou dormem durante toda a noite e acordam com a sensação de cansaço. Assim, a insônia é caracterizada como a incapacidade de conciliar o sono, seja para adormecer ou permanecer dormindo. “É possível identificar suas causas?” Sim, em sua maioria são consideradas psicofisiológicas.
Ensine seu filho(a) a lidar com as emoções
Ensine seu filho(a) a lidar com as emoções

Ensine seu filho(a) a lidar com as emoções

As crenças dos pais e cuidadores influenciam diretamente em como as crianças irão enxergar o mundo, o outro e principalmente a si mesmas. Todos nós temos nossos medos, ansiedades, sentimos raiva, tristeza e para cada um de nós as emoções têm uma intensidade, um significado e um motivo para que elas se expressem. Ensinar os pequenos a reconhecer as emoções, é muito importante para que tenhamos pessoas mais inteligentes emocionalmente.

Metáfora do alarme desregulado e a ansiedade

Pra que serve um alarme em casa? Para dar segurança e avisar quando a casa é invadida, por exemplo. Imagina se esse alarme está desregulado e ele começa a disparar quando não tem invasão ou até mesmo quando um amigo seu vem te visitar.
Leia mais
Metáfora do alarme desregulado e a ansiedade blog casule

O que é a terapia de Aceitação e Compromisso (ACT) e como ela pode te ajudar

A Terapia de Aceitação e Compromisso ou ACT (Acceptance and Commitment Therapy) foi desenvolvida nos Estados Unidos pelo psicólogo Steven Hayes e por seus colegas Kelly Wilson e Kirk Strosahl. Ela tem se mostrado altamente eficaz na solução de uma série de problemas, desde depressão, ansiedade, dor crônica e até mesmo vício em drogas.
Leia mais

Por que não dá para fugir do que te causa ansiedade?

Um comportamento muito comum em quem sofre de ansiedade é fugir do que a causou. Para uma pessoa que tem medo de falar em público – que tem crises de ansiedade só de pensar que vai estar na frente de uma plateia falando sobre algum assunto – recusar um convite para dar a palestra vai trazer um alívio imediato dos sintomas. Mas será que o problema foi resolvido?
Leia mais

Quando eu devo perdoar meu parceiro?

A reposta para esta pergunta é SEMPRE! Sempre Cris? Mas ele não merece!!! O perdão não é para ele… porque ele merece… é para você! Porque você merece PAZ! Te explico melhor aqui neste vídeo. Vem Comigo!!!
Leia mais

Como ter inteligência emocional?

Quanto maior a inteligência emocional, maior a qualidade das relações e interações sociais. Você já parou para pensar como podemos ter mais inteligência emocional?
Leia mais

Rede Social x Saúde Mental

Existem muitas pesquisas que relacionam problemas de saúde mental, principalmente depressão e ansiedade, com o uso excessivo das redes sociais. Mas o que acontece para que um número cada vez maior de pessoas se sinta atraída como se estivessem hipnotizadas, mesmo sabendo o quanto esse hábito em excesso pode ser prejudicial à saúde mental?
Leia mais

Como lidar com a Ansiedade diante da chegada de um Novo Ano?

A chegada do Ano Novo traz consigo a ideia de Recomeço! Para muitas pessoas, representa esperança, prosperidade e expectativas positivas para ”uma nova vida”. Nessa época, também é comum nos sentirmos ansiosos pela vontade de renovação e mudança. Mas, não podemos nos esquecer que a Ansiedade é uma sensação normal e nem sempre ruim. Ela faz parte do nosso instinto de proteção e nos prepara para lidar com as situações de perigo ou estresse.
Leia mais
Como lidar com a Ansiedade diante da chegada de um Novo Ano

Você reclama demais?

Você já parou para reparar quantas vezes você reclamou hoje? O nosso dia a dia está cada vez mais cheio de obrigações e afazeres. Muitas vezes o cansaço e as preocupações fazem com que façamos das reclamações um hábito. Se você se identificou com esse conteúdo, assista ao vídeo.
Leia mais
Voce Reclama Demais blog casule

Como sair do efeito platô?

Você já percebeu que, no processo de emagrecimento, a perda de peso costuma ser ótima nos primeiros meses, mas depois estaciona? Por que será que isso acontece? E como evitar tal efeito platô e continuar a ter resultados? É isso que a nutricionista Isa Polastri explica no vídeo de hoje.
Leia mais
Como-sair-do-efeito-plato-BLOG
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This