fbpx

Controle emocional,como praticar?

Atualizado em 28/03/2017
Por Redatora Casule

Controle emocional,como praticar?

Atualizado em 28/03/2017
Por Redatora Casule
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Controle emocional,como praticar?

A responsabilidade emocional por si mesmo envolve assumir o comando da situação, não só dos comportamentos que levamos adiante, mas também daquilo que pensamos e sentimos. Em suma, de nossa existência.

Ao longo de nossa vida, quando nos relacionamos com os demais, na maioria das vezes nos encontramos falando de nós mesmos, ainda que pensemos que estamos opinando a respeito de um amigo ou familiar. Depositamos nos outros o que não estamos preparados para assumir que existe em nós mesmos. Isto é, nos projetamos e atribuímos a responsabilidade de como nos sentimos em relação aos demais.

Por isso, a leitura dos outros pode ser um fiel reflexo do que nos sucede. O exterior nos fala e nos serve de espelho, e ainda reafirma nossa disposição de ver quais assuntos pendentes temos com nós mesmos.

Não é hora de trabalhar isso?

“Você é responsável por eu me sentir assim”

Estamos acostumados a responsabilizar os outros por nossas emoções, isto é, por como nos sentimos, assim como nos responsabilizamos por como se sentem os demais.

Assim, se alguém ao nosso redor não se sente bem, nos sentimos responsáveis e tentamos a todo custo mudar isso, como se tivéssemos todas as ferramentas para solucionar o sofrimento alheio. Por outro lado, quando somos nós que nos sentimos mal, depositamos a responsabilidade desse sentimento em uma situação ou em uma outra pessoa.

A quem estamos dando o controle de nós mesmos?

Responsabilizar-nos pelas emoções dos demais pode tornar-se um enorme fardo para nosso desenvolvimento individual, da mesma maneira que buscar culpados para como nos sentimos. Pois não se trata de culpados, mas sim de administrar nossos sentimentos e responsabilidade emocional.

Quantas vezes nos expressamos dessa maneira: “Você me cansa” ou “Você me faz sentir mal”? Não se trata de buscar culpados, sim de identificar como você se sente diante de certas circunstâncias e aceitar que é você o responsável pelos seus sentimentos. Alguns sentimentos são inevitáveis em determinadas situações, mas esse sentimento só pode perdurar se tiver o aval da sua mente. Comece a gerir suas raivas, ciúmes, ira ou tristeza, porque as respostas não estão fora, mas dentro de você.

terapia-online-casule-bannerPowered by Rock Convert

Se você não assume o controle das suas emoções, quem o fará? Os outros? A situação? Isso traria muita instabilidade, não é?

Isto não quer dizer que você não tenha que se expressar e manifestar como se sente com respeito aos demais, mas que se responsabilize pela administração dos seus sentimentos. Em vez de outorgar o poder de seu bem-estar ou mal-estar aos outros, assuma as rédeas da sua própria vida.

Você tem tanto direito de se incomodar com algo como qualquer outra pessoa, não há nada de errado nisso. Porém, se você assumir o controle disso, não será refém dos seus sentimentos, tudo será mais satisfatório, um processo de autoconhecimento e crescimento pessoal. Do contrário, sempre estaremos reféns dos demais e das circunstâncias.

Isso também acontece quando falamos dos que estão ao nosso redor. Quando estiver opinando ou criticando alguém, tente ser um pouco mais consciente sobre o que está dizendo. Na maioria das vezes o que você disse também está ou esteve presente em você.

Responsabilidade emocional: “Eu me faço responsável pelo que sinto”

Como fazer isso?

Primeiro, aceitar que existe a possibilidade de nos projetarmos nos outros. Não é uma tarefa fácil, se levarmos em conta que se o fazemos, é porque no momento não somos capazes de assumir. Por isso, tendemos a resistir em assumir a responsabilidade de nossas reações.

“Você não me enraivece, eu me enraiveço diante do que você fez ou diante do que aconteceu”, “Eu sou quem sente ira, tristeza ou raiva, diante das distintas circunstâncias que se apresentam em minha vida, e não as evito, aceitando-as para trabalhá-las. Porém, diante de tudo, eu sou responsável por mim mesmo”

Adquirindo consciência e observando a si mesmo, descubra todas as coisas que tem pendente, trabalhe em cima delas para seguir evoluindo e crescendo. Esse caminho não é fácil, frequentemente caímos em contradições e armadilhas do nosso próprio eu, mas tudo valerá a pena.

O processo de autodescobrimento e de assumir a responsabilidade emocional é cheio de reviravoltas, mas se tivermos perseverança, ao final encontraremos um porto seguro dentro de nós mesmos.

FONTE:https://amenteemaravilhosa.com.br/responsabilidade-emocional/

banner-paisagem-ebook-manejo-da-ansiedade-v1.1-curtoPowered by Rock Convert

Controle emocional,como praticar?

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre Controle emocional,como praticar?, você pode  agendar o seu horário clicando aqui.


Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Redatora Casule, aqui no Blog.
Sou focada em achar o melhor conteúdo que já foi publicado na rede e trazer informações que são relevantes e agregam valor para você.

O que você achou deste conteúdo?
Conte nos comentários sua opinião sobre: Controle emocional,como praticar?.


0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você-pensa-sobre-seus-medos
Você pensa sobre seus medos?

Você pensa sobre seus medos?

O medo é um estado emocional muito importante, associado ao nosso mecanismo de proteção, sobrevivência e adaptação. Os medos estão relacionados a característica do objeto, contexto ou situação temida, mas também a avaliação subjetiva desses fatores. A forma como pensamos as situações, impacta diretamente em como nos sentimos e lidamos com elas. O que acha de avaliarmos nossos medos?
Compulsão por trair existe?

Compulsão por trair existe?

Muitos casais estabelecem um acordo em que se comprometem a permanecer fiéis ao amor que professam um pelo outro. Quando um dos dois rompe esse acordo, falamos de infidelidade. A pessoa que comete a infidelidade geralmente a oculta porque sabe o que significa, e intui algumas das consequências que pode ter, embora mais tarde possa confessar ou ser descoberta. Seja como for, a pessoa que é vítima da infidelidade sofre uma dupla sensação de traição: uma traição a ela e ao relacionamento.
A-importância-da-rede-de-apoio-no-processo-de-psicoterapia
A importância da rede de apoio no processo de psicoterapia

A importância da rede de apoio no processo de psicoterapia

Muito se fala sobre o acolhimento, alternativas de tratamento, estratégias, dicas e orientações necessárias para os pacientes que estão passando por um momento de sofrimento mental, ou possuem algum tipo de transtorno ou realizam psicoterapia. No entanto, pouco é abordado sobre a importância dos familiares e indivíduos que fazem parte do cotidiano e convívio do paciente, que compõem a rede de apoio, sendo considerados parte importante do processo terapêutico, também poder buscar por ajuda, cuidados e orientação.

Motivos que levam à obesidade

Você sabia que a obesidade é um quadro multifatorial? Isso mesmo! Não podemos colocar apenas na comida a responsabilidade de um ganho de peso. Por isso é importante não ter preconceito e não julgar o comportamento alimentar de uma pessoa que está nesta situação. O aconselhável é sempre buscar ajuda de profissionais que tenham empatia e que possam oferecer qualidade de vida e bem-estar à pessoa com obesidade. Assista a este vídeo completo e saiba mais!
Leia mais
Motivos-que-levam-à-obesidade

Você já ouviu falar em Pistantrofobia

O termo é complicado mas a explicação é simples. Pistantrofobia é o medo de confiar nas pessoas devido a experiências negativas ou decepções ocorridas no passado. Espero que esse vídeo possa te auxiliar a entender melhor sobre esse assunto.
Leia mais

Você tem medo de falar em público?

O medo de falar em público é muito comum. Ou você mesmo tem esse medo ou conhece alguém que tem, não é? É chamado de glossofobia quando esse medo tem proporções exageradas a ponto de paralisar e não permitir que a pessoa tente vencer este medo por si só.
Leia mais

As 5 Linguagens do Amor

Essas são as 5 formas de expressar e de experimentar o amor nas nossas relações. Vem descobrir qual a linguagem do amor que você fala e qual a linguagem que você mais escuta. Compartilha com uma pessoa querida para que vocês possam melhorar a qualidade do relacionamento!!
Leia mais
Linguagens do amor

6 dicas para se tornar uma pessoa mais resiliente

Você sabia que a resiliência é uma habilidade que conseguimos desenvolver e aprimorar? Não são todas as pessoas que já tem essa habilidade super desenvolvida e é por isso que, nesse vídeo, você vai aprender dicas simples de como se tornar uma pessoa mais resiliente e conseguir enfrentar melhor os obstáculos da vida.
Leia mais
6-dicas-para-se-tornar-uma-pessoa-mais-resiliente-BLOG

Você acha que autoestima é só cuidar da sua aparência?

A autoestima vai muito além da aparência, é a visão que você tem sobre você e quando ela está baixa afeta outras áreas da sua vida, seu relacionamento, vida profissional... No vídeo vou explicar o que é, porque é importante e dar dicas para aumentar sua autoestima.
Leia mais
Você acha que autoestima é só cuidar da sua aparência

Na sua dieta tem “dia do lixo”?

O dia do lixo é uma expressão usada para caracterizar o dia em que comemos em grandes quantidades, alimentos calóricos e super deliciosos! Mas será que essa prática é aconselhável? Contribui ou atrapalha o processo de emagrecimento? Saiba como agir assistindo a este vídeo completo.
Leia mais
Dia do lixo

A Saúde mental nos relacionamentos: como ajudar um parceiro que está passando por algum transtorno psicológico!

Quando falamos sobre os transtornos mentais, nos referimos a uma série de alterações significativas no que diz respeito aos aspectos cognitivos, emocionais e comportamentais dos indivíduos e que podem afetar qualquer pessoa durante algum momento de sua trajetória. É uma condição que muitas vezes interfere diretamente na capacidade do indivíduo de enfrentar problemas cotidianos e sentir prazer na vida.
Leia mais
A Saúde mental nos relacionamentos como ajudar um parceiro que está passando por algum transtorno psicológico!
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This