fbpx
A-importância-da-expressão-emocional-na-infância---site-Casule---psicóloga-Pedrita

A importância da expressão emocional na infância

Atualizado em 21/01/2019
Por Redatora Casule

A importância da expressão emocional na infância

Atualizado em 21/01/2019
Por Redatora Casule
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

A importância da expressão emocional na infância

Como já exposto em textos anteriores¹ e ², as emoções são fundamentais em nossa vida e é ainda mais importante durante a infância, fase em que ela é a maior forma de comunicação. Portanto, a expressão emocional na infância deve ocupar nossa atenção!

A criança absorve informações e reproduz o que vê ao seu redor com muita facilidade: ela é como uma esponja! Muitas vezes não nos damos conta dos seus sentimentos e por vezes as crianças não estão preparadas emocionalmente para verbalizar tais sentimentos. Até nós adultos temos dificuldades, não é mesmo?

Incentivar as crianças a falar sobre seus sentimentos é algo que deveria ser praticado desde o momento em que elas conseguem compreender conceitos como alegria, medo, tristeza, raiva, ciúmes. Sentimentos que podem ser facilmente percebidos pelos adultos que as rodeiam, mas que usualmente deixamos passar. A identificação e diálogo sobre sentimentos/emoções durante a infância livre de julgamentos permitirá que nas fases posteriores ela não tenha dificuldades de falar sobre seus sentimentos/emoções.

Contudo, é mais comum ouvirmos de adultos frases como “não chore”, “você precisa ser corajoso”, “isso não é motivo para medo” para aliviar o sofrimento e o descontentamento das crianças. O problema é que, mesmo funcionando momentaneamente, a longo prazo essa forma de lidar com as emoções pode fazer com que as crianças aprendam a não expressar o que sentem. E silenciar as emoções pode trazer implicações no desenvolvimento psicológico e social.

Destaco, novamente, que muitas de nossas dificuldades, enquanto adultos, em lidar com emoções, são devido às formas como aprendemos a lidar com tais sentimentos na infância. 

terapia-online-casule-bannerPowered by Rock Convert

Ignorar ou negar as emoções das crianças (e dos adultos) é um comportamento perigoso. Se queremos saúde emocional e relacionamentos positivos, precisamos dar importâncias aos pensamentos e emoções, mesmo que ainda imaturos. As crianças precisam perceber nosso apoio para que se conheçam melhor, o mundo delas, suas percepções e sentimentos são importantes. Por mais que nos parece nada, o que a criança vive é, em seu universo, de extrema importante e real!

Desprezar os sentimentos e sensações podem fazer da criança um adulto menos equilibrado. Devemos estar prontos ao diálogo, claro que diálogo adaptado a cada fase vivida. Se ela teme fantasmas (aos 4 anos de idade) é vã a tentativa de dizer que não eles não existem. Não devemos dizer que seu medo não existe, que sua angústia não é válida. O melhor é ajuda-la a lidar com esse medo: Vamos mandar esse fantasma embora? Aqui não é lugar dele! Vamos procurar juntos esse fantasma? Onde ele estaria? Acolher a criança, seus medos e fantasias e dar a ela segurança para que ela sinta esse conforto e proteção.

Com a idade mais avançada, pode ir ficando mais fácil nomear concretamente seus temores, mas pode ser preciso incentivo para não apenas falar sobre suas emoções, mas para perceber que ela mesma tem recursos internos para buscar ajuda ou até resolver por ela mesma as questões que as afligem.

Não só a emoção do medo (comum na infância), mas também a raiva, a tristeza ou a irritação, são todas respostas naturais e de causas diversas: incompreensão do que está acontecendo, frustração, birra. Todas dizem de algo, trazem uma mensagem que precisa ser entendida. E só conheceremos esse algo se não o rejeitarmos, ou negarmos, exigindo um comportamento ideal para nós adultos. Tal rejeição tem impacto na construção da identidade da criança. Ao reprimir as emoções infantis possibilitamos o desenvolvimento de adultos incapazes de lidar com a linguagem emocional própria, como a do outro – a construção da empatia também fica comprometida.

Através de compreensão e carinho podemos ajudar na expressão das emoções na infância, sejam positivas ou negativas. Uma criança emocionalmente bem desenvolvida torna-se um adulto mais capaz de enfrentar e solucionar suas dificuldades 

Se você tem dificuldades em identificar as emoções, ou quer ajuda para trabalhar as emoções de seus pequenos, não deixe de conferir nosso texto sobre Emoções, sobre Emoções na infância. A busca por ajuda profissional também é importante para auxiliar no processo de comunicação familiar.

banner-paisagem-ebook-manejo-da-ansiedade-v1.1-curtoPowered by Rock Convert

A importância da expressão emocional na infância

Se você quiser saber mais ou conversar com um dos nossos profissionais sobre A importância da expressão emocional na infância, você pode  agendar o seu horário clicando aqui.


Ou você pode ver mais sobre Terapia Online, Acompanhamento semanal com nossa Nutricionista ou Como ter mais produtividade com o nosso Coach!
Redatora Casule, aqui no Blog.
Sou focada em achar o melhor conteúdo que já foi publicado na rede e trazer informações que são relevantes e agregam valor para você.

O que você achou deste conteúdo?
Conte nos comentários sua opinião sobre: A importância da expressão emocional na infância.


0 comentários

Dia do lixo
Na sua dieta tem “dia do lixo”?

Na sua dieta tem “dia do lixo”?

O dia do lixo é uma expressão usada para caracterizar o dia em que comemos em grandes quantidades, alimentos calóricos e super deliciosos! Mas será que essa prática é aconselhável? Contribui ou atrapalha o processo de emagrecimento? Saiba como agir assistindo a este vídeo completo.
A Saúde mental nos relacionamentos como ajudar um parceiro que está passando por algum transtorno psicológico!
A Saúde mental nos relacionamentos: como ajudar um parceiro que está passando por algum transtorno psicológico!

A Saúde mental nos relacionamentos: como ajudar um parceiro que está passando por algum transtorno psicológico!

Quando falamos sobre os transtornos mentais, nos referimos a uma série de alterações significativas no que diz respeito aos aspectos cognitivos, emocionais e comportamentais dos indivíduos e que podem afetar qualquer pessoa durante algum momento de sua trajetória. É uma condição que muitas vezes interfere diretamente na capacidade do indivíduo de enfrentar problemas cotidianos e sentir prazer na vida.

Aspectos psicológicos da dor

Segundo o psiquiatra americano George Hengel, na década de 1970, os estados de saúde e de doença devem ser analisados sob a perspectiva biopsicossocial. Isso significa que a dor nos avisa que algo está não está bem e este aviso pode estar relacionado com seu corpo, indicando alguma lesão ou uma doença, por exemplo; com suas emoções ou com o ambiente em que você vive e trabalha.
Leia mais
Aspectos-psicológicos-da-dor

Aspectos psicológicos da dor

Como a Terapia Cognitiva pode ajudar a quem sofre de dor? O sofrimento que a dor proporciona ultrapassa o corpo, é também um sofrimento emocional. Cuidar das emoções pode ser o primeiro passo para que você aprenda a lidar com a dor. Entender o que está potencializando este incômodo pode te colocar no controle e ajudar a minimizar seus efeitos.
Leia mais
Aspectos psicológicos da dor

Como lidar com os ciúmes?

Aperte o play para escutar este conteúdo. Você é ciumento? Conhece alguém que seja? Sofre com isso? O ciúme é um sentimento que em excesso está relacionado a um padrão de...

Leia mais
Como lidar com os ciúmes

3 passos para cozinhar o próprio alimento

Cozinhar o próprio alimento se torna cada dia mais difícil por conta da rotina atarefada da maioria das pessoas. Mas será que vale a pena terceirizar nossa alimentação e deixar grande parte dela nas mãos do delivery, dos empacotados e congelados?
Leia mais
3-passos para cozinhar o proprio alimento

Somatização

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), ter saúde é diferente de não ter doença, isto quer dizer que ter saúde é usufruir de um bem-estar psíquico, biológico e social.
Leia mais
Somatização

A criança que eu já fui e o adulto que eu sou

Existe uma música que eu adoro chamada “A criança que eu fui um dia” ela é da Reverb Poesia e fala exatamente que à medida em que vamos crescendo, aprendemos a não sonhar, desaprendemos a sorrir, desaprendemos a brincar.
Leia mais
A criança que eu já fui e o adulto que eu sou

Características das pessoas controladoras

A necessidade de controle é um mecanismo de enfrentamento utilizado por muitas pessoas que tem dificuldades em lidar com suas próprias dores e emoções. Os indivíduos com um perfil controlador, geralmente, fazem uso do controle para sentirem-se seguros e se afastarem de reflexões que os levem a sofrimento.
Leia mais
CaracterIsticas-das-pessoas-controladoras

Gratidão!

Dentre os diferentes estados emocionais que o ser humano é capaz de experimentar, a gratidão é um dos mais relacionados à saúde mental e bem-estar. Tal estado está relacionado à percepção de ajuda e contribuição por parte de outros, evidenciando o amparo recebido e contribuições altruístas.
Leia mais
gratidao

5 Dicas de como ser mais Positivo

A negação, ou a negatividade, está mais presente na nossa vida do que a gente pode imaginar. Esse filtro negativo é um erro de pensamento, que como o próprio nome diz, direciona a nossa atenção para aquilo que comprova uma ideia negativa que eu tenho de mim mesmo, e me afasta cada vez mais de uma solução.
Leia mais
5 Dicas de como ser mais Positivo
Tenha o total controle das suas emoções conte com a Casule para o seu bem-estar.
Share This