Depressão infantil: causas e sintomas
11 de dezembro de 2015
Como conviver com alguém de temperamento difícil?
14 de dezembro de 2015

Transtorno Bipolar: o que é e como tratar?

O transtorno bipolar é uma desordem cerebral que causa mudanças no humor, oscilando entre a extrema euforia e a apatia e desanimo severo. Os sintomas de transtorno bipolar são graves, e são diferentes dos altos e baixos que normalmente todo mundo passa, e podem resultar em diversos danos nos relacionamentos, na capacidade produtiva e até mesmo o suicídio. O transtorno bipolar pode ser tratado e fazer com que os pacientes que depois de um tratamento adequado, consigam levar uma vida plena e produtiva.

Sinais e Sintomas

Pacientes com transtorno bipolar vivenciam experiências intensas de variação de estados emocionais que ocorrem em períodos distintos chamados “episódios de humor”. Cada episódio de humor representa uma drástica mudança de humor e comportamento habitual de uma pessoa. Um estado excessivamente alegre ou de extrema excitação, é chamado de um episódio maníaco, e um estado extremamente triste ou desesperado é chamado um episódio depressivo. O transtorno bipolar, também pode estar presente em um estado misto, em que o paciente pode apresentar tanto o episódio maníaco como o depressivo simultaneamente.

Em alguns casos, pacientes com graves episódios de mania ou depressão podem apresentar sintomas psicóticos associados, como alucinações ou delírios, estes sintomas tendem a refletir o tipo de crise sofrida. Por exemplo, se durante um episódio maníaco, o paciente pode acreditar que é uma pessoa famosa, que tem muito dinheiro, poderes especiais e outros pensamentos de grandeza. Durante um episódio depressivo, os sintomas psicóticos são de menos valia, o paciente pode acreditar que está em ruínas, sem dinheiro, ou acreditar ser um criminoso. Assim, é muito comum as pessoas com transtorno bipolar com sintomas psicóticos associados, são por muitas vezes confundidas com quadros de esquizofrenia.

Sintomas de Episódio Maníaco:

Alterações de Humor
Período de grande excitação, sensação de capacidade plena, felicidade exacerbada, baixa tolerância a frustração e irritabilidade.

Alterações Comportamentais
Aceleração da fala, euforia, trocas constantes de uma ideia para outra, pensamentos rápidos e intempestivos, facilmente distraídos, inquietação, falta de sono, extrema disposição, crença irreal nas próprias capacidades, impulsividade e comportamento de alto risco.

Diagnóstico

Em muitos casos o paciente não percebe que tem o transtorno bipolar, é necessário que um familiar ou amigo atento às oscilações de humor e orientado por um profissional especializado, busque tratamento adequado. O diagnóstico é feito de acordo com o DSM (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais), observando as alterações de humor a partir de seu estado de humor normal. Há quatro tipos básicos de transtorno bipolar:

Bipolar I
definido por episódios de mania (euforia) que duram no mínimo 07 dias, e episódios depressivos que podem durar de 02 semanas a vários meses, ambos com sintomas intensos, provocando profundas mudanças de comportamento e conduta;

Transtorno Bipolar II
definido por um padrão de episódios depressivos e episódios hipomaníacos (sintomas de mania menos intensos), sem grandes prejuízos comportamentais;

Transtorno Bipolar III (não especificado ou misto)
diagnosticada quando existem sintomas da doença, mas não satisfazem os critérios de diagnóstico nem para o tipo I ou II, no entanto os sintomas são fora do considerado normal;

Transtorno Bipolar IV (Ciclotímico)
uma forma leve de transtorno bipolar. As pessoas com ciclotimia têm episódios de mania ou depressivo leve, em muitos casos no mesmo dia, muito comumente confundida com traços próprios de personalidade do paciente.

Riscos

Os profissionais orientam e alertam para o fato de que se não tratado de forma adequada o quanto antes, podem tornar os episódios mais frequentes e o agravamento ao longo do tempo. Além disso, os atrasos na obtenção do diagnóstico e tratamento correto pode contribuir para problemas pessoais, sociais e laborais sérios. Na maioria dos casos, o tratamento pode ajudar a reduzir a frequência e a gravidade dos episódios.

É bastante comum pacientes com transtorno bipolar, na tentativa de diminuir o sofrimento causado pelos sintomas, desenvolverem uma dependência química com medicamentos, álcool e outras substância psicoativas, mas as razões para esta ligação não são claras. No entanto, o abuso de substâncias psicoativas pode provocar ou prolongar sintomas bipolares, e os problemas de controlo de comportamento associados com mania pode resultar em um consumo compulsivo.

Convivendo com o Transtorno Bipolar

Se você conhece alguém que tem transtorno bipolar e isso também tem afetado você, a primeira e mais importante atitude que você pode tomar é ajudá-la a obter o diagnóstico e tratamento adequado. Talvez seja necessário que você o incentive e apoie o início e a continuidade do tratamento. Para ajudar um amigo ou parente, você pode:
– Ofereça apoio emocional, compreensão, paciência e encorajamento;
Informe-se, saiba mais sobre o transtorno bipolar e entenda melhor o que seu amigo ou parente está sofrendo;
– Encoraje-o (a) ao tratamento e a continuidade deste, quando necessário acompanhe-o (a) durante o tratamento;
– Ouça as expressões de sentimentos de seu parente ou amigo (a), elas podem te ajudar na compreensão de situações que podem desencadear um episódio;
– Proponha atividades de distração positiva ao ar livre, como caminhadas, passeios e outras atividades;
– Informe, e quando necessário relembre ao seu parente ou amigo que com o tratamento, ele ou ela podem voltar a ter uma vida normal e produtiva.

Como posso ajudar a mim mesmo se eu tenho transtorno bipolar?

 – Converse com seu médico e psicólogos, sobre as opções de tratamento, prognostico e siga as orientações destes profissionais.
– Mantenha uma rotina, procure dormir, fazer refeições e outras atividades em horários fixos;
– Procure ter uma boa noite se sono;
– Não mude sua prescrição sem antes consultar seu médico;
– Procure identificar sinais que indicam um episódio de transtorno bipolar.

Fonte: http://estanciaresiliencia.com.br/Transtorno-bipolar.html

Comentários

comentários

Nayara Benevenuto
Nayara Benevenuto
Especialista em Terapia Cognitivo-comportamental com crianças e adolescentes. Atende: adultos, casais, famílias, crianças e adolescentes. Afiliada à Federação Brasileira de Terapias Cognitivas (FBTC).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marcar Consulta